Mais no Academia

Como a cultura do "ferrar com o próximo, porque eu ja me ferrei muito" ainda é propagada nos hospitais de ensino do país. Ao que parece, o "trote" ao R1 não é algo isolado e ainda é feito pelos R2 que sofreram o mesmo ou pelos próprios preceptores.
Não teve conversa, o Governo, quando trata de saúde, só sabe fazer populismo e não investir no verdadeiro modificador do caos que vivemos. Apenas investindo a formação do especialista podemos melhorar a saúde brasileira. Por isso, GREVE!
Antes os médicos não podiam fazer propaganda de remédio, agora não podem fazer propaganda de nada, nem de produtos não relacionados à saúde como por exemplo, sapatos. A questão que eu quero discutir nesse artigo é a seguinte: o CFM tem esse direito? Ele é dono da nossa imagem?
Porque todos podem lutar e o médico não? Não é legitimo o questionamento médico? É simplesmente absurdo o médico não ter direitos.
Apesar de serem menos de 1% da população brasileira, os pacientes Testemunhas de Jeová possuem seus direitos que devem ser preservados. Entretanto, existem algumas ressalvas que devem ser levadas em consideração pela equipe de saúde que o atende.