[ editar artigo]

A Medicina e a Esperança Equilibrista

A Medicina e a Esperança Equilibrista

São 7:00 da manhã. Um ex-trabalhador humilde, com 61 anos de sabedoria na bagagem, segue em direção ao ponto de ônibus, tarefa que executou incontáveis vezes. Mas hoje é diferente. É dia de visitar o hospital e descobrir se o seu câncer metastático respondeu ao novo tratamento.

Ele entra no ônibus. Vê todos correndo, alguns resmungando, outros gritando, a maioria reclamando do dia, da chuva, do emprego, do salário, do governo, da família e até mesmo da vida! Espantado, pensa consigo mesmo: como pode alguém reclamar da vida? Pouco depois, reconhece que ele mesmo já havia cometido esse erro. Será que só agora, com sua vida ameaçada, percebe o valor deste bem tão precioso? Lágrimas se misturam à poeira do assoalho tão cotidiano.

Após alguns minutos, avista uma criança no fundo do ônibus. Enquanto canta e brinca com sua mãe, demonstra sutilmente a singular beleza da vida, embaçada naquele meio de transporte. Ainda há esperança! Mas esperança de que tipo? Como representar a esperança que o acompanha nesse momento?

Recorda-se então de Elis Regina. Aquela dita esperança equilibrista corre, dança, cambaleia, se pendura e cai. Em seguida se levanta e reinicia um ciclo que atiça impiedosamente sua angústia, simplesmente por não saber quando e como vai acabar.

Quase chegando ao hospital, se lembra de ter lido sobre as fases do luto, descritas por uma tal de Elisabeth. Ele quer acreditar firmemente que já passou por todas as fases e que, agora, aceita sua condição. Mas o processo é árduo. Cada falha na terapia, seguida por uma nova proposta, oscila a corda bamba, muda a sua posição nas curvas de Kaplan-Meier e aumenta sua angústia. É assim que ele caracteriza a luta contra o câncer... Angustiante.

O ônibus chega ao destino, seu pensamento está nauseado.
Segue em frente e pensa consigo mesmo,

A esperança equilibrista
Sabe que o show de todo artista
Tem que continuar

 


Quer escrever?

Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 210 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!


 

Academia Médica
João Elias de Godoi
João Elias de Godoi Seguir

Sou médico, formado pela Universidade Federal de Goiás. Mantenho um blog pessoal simples, com alguns textos sobre medicina e outros assuntos. jegodoi.org

Ler conteúdo completo
Indicados para você