[ editar artigo]

Amabié: o papel do folclore japonês durante a pandemia da COVID-19

Amabié: o papel do folclore japonês durante a pandemia da COVID-19

Amabié é uma criatura lendária que se assemelha a uma sereia. Diz a lenda que ela emergiu do mar para profetizar boas colheitas e epidemias. Atualmente é uma tendência no Japão como um símbolo popular da pandemia causada pelo novo coronavírus. 1

A imagem faz parte da cultura japonesa desde 1846. Segundo a lenda, um oficial sem nome foi investigar uma luz estranha que aparecia no mar. Chegando lá ele encontrou a estranha criatura que explicou:

“Eu moro no mar. Meu nome é Amabié. A boa colheita continuará por seis anos. Ao mesmo tempo, a doença se espalhará. Me desenhe e me mostre às pessoas o mais rápido possível ”. 2

O funcionário deixou um esboço encantador e a história foi impressa e disseminada em kawaraban (boletins impressos em xilogravura que eram uma espécie de jornal da época, apresentando notícias, fofocas ultrajantes e rumores) conforme demonstra a figura 01. 3

Figura 1: Monstro no fundo do mar na província de Higo (Higo no kuni kaichū no ayakashi), 1846. Disponível nesse link. Cortesia da Biblioteca Principal, Universidade de Kyoto-Amabie

A Amabié como símbolo da doença pandêmica surge de uma rica história cultural; é uma das muitas criaturas sobrenaturais comuns no folclore japonês conhecidas como yōkai, espíritos ou demônios que transformam fenômenos intangíveis ou incompreensíveis em formas familiares ou administráveis de animais ou humanos, algumas das quais reivindicam um poder talismânico de prevenir doenças durante surtos de doenças infecciosas.

Esse personagem foi “revivido” no imaginário da população japonesa através do twitter, onde ainda em janeiro já haviam posts com esse tópico. No entanto, foi o artista Orochidō que levantou a hashtag “#AmabieChallenge” e fez com que o termo bombasse novamente no mundo virtual.

A popularidade de Amabié tomou conta de todo o Japão - das ilhas do norte de Hokkaido às ilhas do sul de Okinawa. O personagem aparece nos pôsteres da estação de trem incentivando as pessoas a evitar sair desnecessariamente. 2

Há muitas exposições de arte sobre a Amabié realizadas em muitas cidades, e o personagem é destaque nas esculturas, cerâmicas, vidros e têxteis. Inevitavelmente, existem inúmeras formas de lembranças comemorativas, incluindo bonecos de pelúcia, doces em seu formato, garrafas de saquê com estampas da personagem, camisetas Amabié e muito mais. 4

Segundo Furukawa e Kansaku, “A popularidade orgânica da Amabié veio de uma combinação de intenso interesse na pandemia recém-iniciada, adesão cultural ao compartilhamento de imagens como uma suposta maneira de interagir e evitar a doença; e a facilidade de compartilhar imagens nas redes sociais em um momento em que muitas atividades ainda são limitadas. O #AmabieChallenge alimentou o fenômeno como um evento "viral" paralelo.” 2

Em um momento no qual as pessoas estão se sentindo isoladas e, talvez, desamparadas, a inusitada história do século XIX fornece um meio de expressão reconfortante, brincalhão e bem japonês para conectar as pessoas umas às outras e reivindicar um pequeno senso de proteção e controle para si. Isso demonstra a importância de levarmos em conta o poder que a história e as artes têm em nosso processo saúde-doença.

Conta para a gente o que achou sobre a Amabié e sua influência positiva durante esse momento tão grave no qual nos encontramos. Quer saber mais sobre a história e as artes e quais seus papéis na medicina? Dá uma olhada no nosso curso de Humanidades Médicas.

 

Texto elaborado por Diego Arthur Castro Cabral

 

 


Quer escrever?

Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 186 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!


 

Referências

  1. Collection of Kyoto University Library. Monster under the sea in Higo Province, 1846. Higo no kuni kaichū no ayakashi. Published online 2003. Accessed June 24, 2020. https://rmda.kulib.kyoto-u.ac.jp/item/rb00000122

  2. Furukawa, Y., & Kansaku, R. (2020). Amabié—A Japanese Symbol of the COVID-19 Pandemic. JAMA. doi:10.1001/jama.2020.12660

  3. 新聞文庫・絵 | 京都大学貴重資料デジタルアーカイブ. ([s.d.]). Recuperado em 20 de julho de 2020, de https://rmda.kulib.kyoto-u.ac.jp/item/rb00000122#?c=0&m=0&s=0&cv=83&r=0&xywh=-7711%2C1635%2C24934%2C5770

  4. Okubo K, ed. Everyone's Amabie. Minna no amabie. Fusōsha; 2020.

 

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler matéria completa
Indicados para você