[ editar artigo]

Burnout - Seis passos simples para evitá-lo

Burnout - Seis passos simples para evitá-lo

Burnout, muito se ouve falar sobre a síndrome que afeta médicos e profissionais de saúde com esgotamento físico e mental, resultado de longas e estressantes jornadas de trabalho e que se tornou uma epidemia no setor de saúde. Nem sempre é fácil identificar e diangonsticar o burnout, mas isso é crucial se você pretente manter um ambiente de trabalho saudável e produtivo, pois quando há uma pessoa afetada, rapidamente, outros também tendem a sucumbir.

Mas tão importante quanto a identificação do burnout na sua equipe, é a prevenção.

Em texto publicado recentemente na American College of Chest Physicians, a autora Avery Hurt cita seis passos fáceis de implementar e que são verdadeiros 'salva-vidas' para evitar o burnout. Compartilho com vocês esse passo a passo e também acrescento alguns comentários pessoais de quem vive uma rotina pesada entre trabalho, plantões e aprendizado.

1- Autoavaliação

Segundo Avery Hurt, o primeiro passo — e um dos mais importantes — é nos autoavaliar, entender o que nos deixa estressados e o porquê e tentar localizar em nossa volta alguém que também apresenta um comportamento de estresse/ansiedade. Se um membro da equipe vem perdendo o controle, facilmente, isso irá se espalhar para outras pessoas, tornando-se um ciclo vicioso. Portanto se você não quer que o burnout afete sua equipe, primeiramente tente ver se ele não está afetando você. 

2- Espalhe alegria

Pessoas gostam e querem trabalhar com pessoas felizes. Se o seu grupo não está feliz e satisfeito, certamente isso vai afetar o humor e produtividade da equipe. Tentar fazer com que o ambiente de trabalho se torne mais divertido e menos sisudo contribui para a felicidade de todos. Mas você, leitor que assim como eu trabalha com o limiar da vida, deve estar se perguntando: "como vou ficar feliz se tenho que dar notícias ruins diariamente, se muitas vezes sinto que a minha prática médica não pode melhor mais a vida dos meus pacintes?" Pois é, isso é dificil! Mas cabe aos líderes e gestores tentar diversificar o ambiente de trabalho e estimular a interação da equipe. Uma sugestão do artigo é organizar atividades fora do ambiente de trabalho que estimulem a interação entre profissionais e até pacientes. Por exemplo, um dia de doações para instutições carentes ou atividades ao ar livre entre colaboradores, gestores e pacientes, como uma corrida.

3- Viu algo estranho? Comente!

 Nós, como médicos, sabemos que é difícil diagnosticar o burnout, porém alguns sinais são fácies de identificar por qualquer profissionail da saúde. Então, se você está vendo que aquele seu colega de plantão está mais estressado, com mais dificuldade de se concentrar nas tarefas, tome coragem e vá conversar. Às vezes, é esse empurrãozinho de saber que alguém se importa com a situação do próximo é o que  falta para as pessoas efetivamente pedirem ajuda. 

4- Reestabeleça a sua missão como profissional

Algumas vezes o burnout acontece quando o profissional se frustra com sua prática. Nós médicos, apesar de todos os tropeços e dificuldades da profissão, precisamos construir um mindset positivo sobre nossa missão como profissionais e pessoas e entender que muitas vezes na medicina nos doamos muito e o retorno, às vezes, é mínimo. Brigar com doenças complexas sem chances de cura, ver o sofrimento do outro não é fácil. Por isso correr atrás do seu melhor e acreditar que muitas vezes aliviar, e não apenas curar, é o caminho. Isso torna nossa jornada um pouco mais leve.

5- Esteja próximo da sua equipe

Construir uma relação de confiança com a equipe multidisciplinar não é fácil,  mas é essencial se queremos prevenir o burnout. Prestar atenção no time e valorizar o trabalho deste é tão importante quanto cuidar dos nossos pacientes. O médico, como líder, deve encorajar a equipe a fazer sugestões para a melhoria da assistência. Dessa forma, criam-se laços de confiança e de amizade, que são fundamentais para manter um time motivado e produtivo.

6- Inspire as pessoas a sua volta.

Em um conto budista o estudante pergunta para o seu mestre: "estou desencorajado, o que devo fazer?". O mestre responde:"encoraje os outros". Focar em ajudar sua equipe será benéfico pra você. A liderança não é sobre criar seguidores, mas inspirar a formação de novos líderes. Reacender o amor pela sua prática profissional faz parte do trabalho de liderança e mantém o burnout longe.

 

 

Academia Médica
Roberta Fittipaldi Palazzo
Roberta Fittipaldi Palazzo Seguir

Medica pneumologista e intensivista. Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Professora da Pós graduação em Terapia Intensiva HIAE. Cursando doutorado em Pneumologia FMUSP. Médica Assistente UTI Respiratória FMUSP.

Ler matéria completa
Indicados para você