[ editar artigo]

Câncer do Mais Médicos metastiza da Bolívia

Câncer do Mais Médicos metastiza da Bolívia

Câncer do Mais Médicos metastiza da Bolívia

O câncer é uma doença terrível. Ele consome suas reservas fisiológicas ao se multiplicar, na tentativa patológica de um tipo celular anômalo de tornar-se eterno.

Sabemos que normalmente ele inicia em algum órgão. Após algum tempo e inúmeras multiplicações ele ganha a capacidade de cair na corrente sanguínea e se alastrar para outros órgãos previamente sadios. Dessa forma, por mais que você tente combatê-lo com medidas eficazes, ele toma todo o corpo e acaba com todas as expectativas de controle da doença.

Assim tem sido o atual governo quando o assunto é a saúde brasileira.

Prestes a fazer um ano de aparecimento, o câncer chamado Mais Médicos começa a mostrar descontrole. Está prestes a performar uma metástase incontrolável, que no momento atinge a SOBRATI - Sociedade Brasileira de Terapia Intensiva. Vale ressaltar que é uma sociedade multidisciplinar, de várias profissões da saúde que atuam em conjunto em uma UTI.

Ontem, Domingo 25/05/2014, foi publicado no site da instituição (que tem a premissa de reunir e tomar decisões quando o assunto é terapia intensiva) uma resolução de apoio a formação deficiente e acelerada de médicos, na Bolívia para exercer medicina no Brasil.

Seu presidente assinou o documento que veiculamos abaixo:

AOS SENHORES ASSOCIADOS DA SOBRATI

RESOLUÇÃO 020/2014

" IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA EDUCACIONAL DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE"

A SOBRATI, no uso das suas atribuições estatutárias, em acordo cooperativo com Sistema Mercosul de Ensino e diante:

1. Da escassez de médicos em regiões periféricas do país;

2. Necessidades de Profissionais brasileiros já capacitados e habilitados no Sistema Único de Saúde;

3. Portadores da Cidadania Brasileira com amplo conhecimento das necessidades sociais do país;

4. Com rápidas adaptações curriculares e incorporações de crédicos;

5. Com avaliação de médicos Mercosul sob a viabilidade técnica estabelecida na formatação proposta;

RESOLVE

Criar o Programa Mais Médicos Brasileiros, onde profissionais de saúde com comprovação de dois ou mais anos de atuação no Sistema de Saúde, poderão ingressar em Programa Especial de Graduação em MEDICINA através da Universidade UDABOL com Supervisão da SOBRATI, seja no aspecto da admissão, acompanhamento, formação e estágio. Para tal os crédito educacionais básicos serão automaticamente incorporados após avaliação escrita, permitindo o ingresso no 7 semestre, permanecendo o estudante por 2 anos em Santa Cruz - BO, em um ano de internato no Brasil para as disciplinas básicas de Clínica, pediatria, GO e cirurgia. A ênfase será em Urgência/Emergênica. O interessados deverão aguardar o Edital de Convocação. A revalidação será estabelecida mediante o Programa Mais Médicos em cumprimento às normas.

São Paulo, 25 de maio de 2014.

Douglas Ferrari - Presidente

___________________________________________

Diante disso, qual o interesse de uma instituição que deveria desenvolver e melhorar as UTIs brasileiras, em trazer pessoas formadas em uma faculdade de formação duvidosa para as terras tupiniquins?

Não sabemos, mas temos algumas 13 considerações a fazer:

  • Atualmente são mais de 30 mil os brasileiros que cursam "medicina" na Bolívia. Estes, migraram para o país bolivariano atrás da promessa de tornarem-se "médicos", com baixos custos educacionais e de moradia.
  • Para o ingresso no curso de medicina das universidades particulares bolivianas, não é necessário vestibular, comprovação de conhecimento referente ao ensino médio.
  • Como a UDABOL não é brasileira, o MEC não tem como avaliar a formação e a ementa curricular da instituição.
  • Há um histórico grande de denuncias que caem sobre a instituição, tais como: compra de provas, ausência de aulas, falta de hospitais para o internato de seus 30 mil alunos.
  • A SOBRATI é uma sociedade multidisciplinar que "reúne" os profissionais que atuam em UTIs.
  • A sociedade médica que é responsável pelo profissão é a AMIB, e somente ela que tem credibilidade para falar sobre Medicina intensiva. A sociedade em questão (SOBRATI) não é reconhecida para desenvolver este papel.
  • O Presidente da instituição não possui currículo Lattes, então não conseguimos comprovar sua formação.
  • Há uma ligação grande entre o Presidente da SOBRATI e a UDABOL. Ele é doutor honoris causa da instituição desde 2012.
  • A Lei geral do Programa Mais Médicos não permite o exercício da medicina de pessoas graduadas em países com menos de 1,8 médicos por habitante (caso da Bolívia, que tem 0,9) ou que não tenham atuado pelo menos 1 ano no pais de origem.
  • Ano passado (2013) a presidente da república vetou artigos importantes da "Lei do Ato Médico". A profanação de um texto que foi discutido por 12 anos leva a interpretações errôneas que incorrem em falsas atribuições para outros profissionais de saúde
  • O acordo homologado pelo Ministro da Saúde, que visa o livre transito e exercício profissional entre os profissionais de saúde do Mercosul não inclui a Bolívia.
  • O Panorama do Ensino Médico na Bolívia não é nada animador.
  • Para as pessoas que se formam na Bolívia ainda há a exigência de revalidar o diploma pelo REVALIDA.
  • Posto isso, acreditamos que estamos a beira de um colapso da saúde brasileira, onde órgãos já não desenvolvem suas funções e permitem infecções oportunistas causadas por "profissionais" que apoiam o programa Mais Médicos.

    O câncer chamado "políticas brasileiras para a saúde" está se espalhando rapidamente, e, em breve,  irá suprimir toda a nossa capacidade de luta contra a doença da ignorância, imprudência e imperícia destes "gestores" que insistem em nos manter doentes.

    A tentativa de eternidade dos nossos governantes passa por toda a sociedade, se multiplicando e corroendo nossas forças. Em breve, este câncer estará muito perto de seu objetivo. Infelizmente como todo câncer não tratado, o êxito só tem um desfecho: a morte do "hospedeiro".

    Compartilhe e discuta logo abaixo.

     

     

    Academia Médica
    Fernando Carbonieri
    Fernando Carbonieri Seguir

    Inovação é sua forma de exercer a medicina. Em 2012 criou a Academia Médica, comunidade dedicada a "FALAR O QUE A FACULDADE ESQUECEU CONTAR". Membro Comissão do Médico Jovem do CFM, especialista em Bioética

    Ler matéria completa
    Indicados para você