[ editar artigo]

COVID-19: Estudo brasileiro aponta que vírus destrói neurônios

COVID-19: Estudo brasileiro aponta que vírus destrói neurônios

Mais uma conquista para os pesquisadores científicos nacionais!

Por meio de experimentos in vitro com células neurais, a partir da aplicação de técnicas de PCR, cientistas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) confirmaram que o SARS-CoV-2 é capaz de infectar e destruir neurônios humanos. A próxima etapa é tentar identificar de que forma tal vírus realiza essa destruição.

De acordo com o professor do Instituto de Biologia Daniel Martins de Souza, a análise para identificar a forma detalhada de atuação do vírus no Sistema Nervoso Central de seres humanos será feita a partir de um método denominado de espectrometria de massas, onde é feita a comparação de células infectadas pelo SARS-CoV-2 antes e depois, para que se possa inferir quais proteínas expressas na superfície externa dos neurônios desaparecem, e a partir disso identificar o mecanismo de ação.

“A primeira parte do trabalho era ver se o vírus pode entrar nessas células. A resposta é sim, os vírus entram nos neurônios, disse o professor.

A relação entre a infecção dos neurônios pelo SARS-CoV-2 já havia sido fundamentada antes, pois os cientistas sabiam que os neurônios expressavam o receptor ACE2 (Enzima Conversora de Angiotensina), a qual o vírus utiliza para infectar as células. Essa proteína também é expressa pelas células pulmonares, o que colabora para que o vírus possa gerar o quadro de Síndrome Respiratória Aguda.

No experimento que confirmou a presença dos vírus de SARS-CoV-2 em neurônios humanos foram usados uma linhagem cerebral humana e outro grupo de células nervosas decorrentes de células tronco pluripotentes induzidas. O primeiro passo para determinar a formação de neurônios é retirar amostras de células da pele e fazê-las assumir o estágio de pluripotência, ou seja, induzi-las a voltarem a ser células-tronco embrionárias.

Após isso, a partir da exposição de fatores de indução específicos, tais células são estimuladas a se diferenciarem em células tronco neurais, que é um tipo celular que pode se diferenciar em várias estruturas do Sistema Nervoso Central, como astrócitos, oligodendrócitos e neurônios.

Outros estudos divulgados na Europa haviam demonstrado e sugerido esse possível tropismo do vírus pelo Sistema Nervoso Central. Dentre as principais manifestações neurais geradas pelo patógeno, estão a perda de olfato e paladar, derrame e confusão cognitiva.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. Folha de São Paulo. Novo coronavírus é capaz de infectar neurônios humanos, aponta estudo. URL: https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/04/novo-coronavirus-e-capaz-de-infectar-neuronios-humanos-aponta-estudo.shtml. Arquivo capturado em 1 de maio de 2020.

2. Agência Brasil. Estudo mostra que novo coronavírus é capaz de infectar neurônios humanos. URL: https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/04/novo-coronavirus-e-capaz-de-infectar-neuronios-humanos-aponta-estudo.shtml. Arquivo capturado em 1 de maio de 2020.
 

Academia Médica
Fernando Antônio Ramos Schramm Neto
Fernando Antônio Ramos Schramm Neto Seguir

Atual graduando em Medicina pela Universidade Salvador.

Ler matéria completa
Indicados para você