[ editar artigo]

Finanças para médicos: 3 instrumentos eficientes para proteção financeira patrimonial

Finanças para médicos: 3 instrumentos eficientes para proteção financeira patrimonial

Uma etapa importante para o seu enriquecimento é a proteção financeira do patrimônio. Mesmo com a reserva de segurança já constituída, caso ocorra alguma situação desagradável, é mais vantajoso não usar recursos próprio e sim recursos de uma seguradora enquanto a situação está sendo resolvida. A proteção patrimonial funciona como uma dupla proteção e, por este motivo, pode e deve ser feita em paralelo com a reserva de segurança.

Aliás, se você ainda não tem nenhum patrimônio construído, nem mesmo a reserva de segurança, é aconselhável primeiro proteger seu patrimônio. A proteção patrimonial, como o próprio nome indica, significa segurar o patrimônio ainda em construção ou mesmo o patrimônio já construído para o caso de uma eventualidade desagradável. Você, certamente, contrata seguro de carro, plano de saúde ou mesmo seguro residencial. Mas você já pensou em contratar seguro para você mesmo, já que você é o principal (senão o único!) provedor e o responsável pela criação do  patrimônio?

Os produtos que se destinam à proteção patrimonial são os seguros. Aqui veremos o Seguro de Vida Resgatável, a Diária de Incapacidade Temporária e o Seguro de Responsabilidade Civil:

>>> Quer saber como começar a construir seu patrimônio? Participe da Semana da saúde financeira do médico, de 17 a 21 de setembro (Curso online e gratuito).

1. Seguro de Vida Resgatável (SVR)

É o principal produto que se destina à proteção patrimonial, sendo adequado a qualquer pessoa, independente de sua profissão. O SVR geralmente é contratado por períodos definidos de 5-30 anos. Nesse período são realizados aportes mensais determinados conforme o valor do capital segurado. O valor é determinado por você e deve levar em conta o seu orçamento. Nessa espécie de seguro, na hipótese de morte do segurado em vigência do seguro, a seguradora garante o pagamento do capital segurado aos beneficiários indicados. Se, ao final do prazo contratado, a morte não tiver ocorrido, o segurado pode resgatar parte do valor que foi aplicado (parcela resgatável) corrigido por um índice, usualmente o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo, usado como índice oficial da inflação no Brasil) e acrescido de uma taxa atuarial de até 3% ao ano.

O SVR apresenta duas partes. A primeira é chamada de cobertura obrigatória e compreende os seguintes itens: antecipação do benefício pago em vida, morte, dispensa de prêmio e invalidez permanente e total por acidente (invalidez de dois ou mais membros de forma permanente). Dependendo da seguradora, a cobertura abrange também doenças graves em estágio terminal (mediante laudo médico informando que a expectativa de vida do segurado é de seis meses ou menos). Essa é a parte resgatável do produto.

A segunda parte são as coberturas opcionais e não são resgatáveis (assistência funeral, doenças graves, invalidez e morte acidentais, perda de autonomia pessoal, renda familiar e hospitalar, temporário e temporário decrescente). O limite de capital segurado atualmente é de R$ 50 milhões por segurado.

O SVR é um produto moldável, isto é, o segurado define quanto quer aportar para as coberturas obrigatória e opcional. É impenhorável, inalienável, livre de inventário e sem a cláusula de não contestação.

2. Diária por Incapacidade Temporária (DIT)

Diferente do SVR, o DIT é bem conhecido por profissionais que dependem do corpo para gerarem renda, tais como os profissionais liberais, autônomos e profissionais da saúde. Esse produto é voltado aos profissionais que, em caso de alguma necessidade de afastamento temporário do trabalho, terão toda ou parte de sua renda comprometida. Lembrando que o SVR cobre diária de internação hospitalar, mas não cobre diária de incapacidade temporária caso o segurado não fique internado. Assim, os benefícios do DIT somam-se aos do SVR.

Tal como no SVR, ao contratar o DIT algumas características do segurado são relevantes para que o corretor desenvolva o produto. Isso porque alguns riscos podem ser negados pela seguradora, bem como algumas profissões podem não ser aceitas. Nesse caso, é importante o auxílio de um bom corretor de seguros.

Além disso, algumas doenças apresentam período de carência ao qual o segurado deve ficar atento. Após a triagem da seguradora, é elaborado o produto final contendo o valor da diária e o valor da franquia em caso de sinistro. O pagamento é feito uma única vez com base no período de afastamento determinado por atestado médico, sendo que o limite de cobertura do DIT é de um ano para cada sinistro.

3. Seguro de Responsabilidade Civil (SRC) 

Destinado aos profissionais da saúde, particularmente aos médicos, esse produto visa proteger o patrimônio pessoal e empresarial em caso de condenação em processo decorrente de erro.

O valor do capital segurado no SRC varia entre R$ 100 e 500 mil, conforme a especialidade e alguns outros parâmetros. Para e definição do prêmio anual a ser pago, é feita análise de risco pela seguradora levando em conta vários parâmetros do exercício profissional. Existem algumas especialidades médicas que são mais expostas à processos, dentre elas a Ginecologia e Obstetrícia, Oftalmologia, Neurocirurgia, Cirurgia Plástica e Anestesiologia.

A principal vantagem do SRC é proteger o patrimônio do profissional da saúde e garantir que, em caso de necessidade, seu paciente e familiares sejam indenizados com mais agilidade sem comprometer o andamento da atividade profissional dos envolvidos. Inclusive, o capital segurado no SRC pode ser usado para pagar honorários advocatícios.

Para concluir, quanto mais protegido estiver o seu patrimônio, menos chance você terá de ter que recorrer a dinheiro de terceiros para saldar compromissos financeiros de curto e médio prazos e também menos chance de interromper a criação do patrimônio por conta de um evento desfavorável. Isso lhe garantirá mais tranquilidade e lhe dará mais confiança para administrar com sucesso a vida financeira.

Colega médico, o que acontecerá com suas finanças se você não puder trabalhar? Participe da Semana da Saúde Financeira para Médicos, de 17 a 21 de setembro.

A Academia Médica e a Saúde+Ação montaram uma semana incrível sobre finanças para médicos. Participe da "Semana da saúde financeira do médico", nos dias 17 a 21 de setembro. Nós médicos aqui do Brasil ainda ganhamos bem, mas nos falta planejamento para fazer o dinheiro trabalhar para nós.

Vagas limitadas. Inscreva-se AQUI!

 

Academia Médica
Francinaldo Gomes
Francinaldo Gomes Seguir

Neurocirurgião. Mestre em Neurociências. MBA em Finanças e Gestão de Investimentos (FGV). Educador e Consultor Financeiro. Autor de livros e artigos sobre finanças e gestão. CEO da Saúde + Ação Educação e Consultoria Ltda. Visionário e Filantropo.

Ler matéria completa
Indicados para você