[ editar artigo]

Games para a Saúde: Como jogos podem levar a uma saúde melhor ?

Games para a Saúde: Como jogos podem levar a uma saúde melhor ?

Essa matéria foi publicada primeiro no Empreender Saúde

Existem muitas formas de mudar o comportamento de um paciente, infelizmente a maioria delas não funciona. Falar para um paciente que ele tem que correr, praticar atividade física três vezes por semana, ou mudar radicalmente sua alimentação geralmente leva a uma mudança de comportamento de curto prazo, mas falha em criar uma mudança sustentável de comportamento.

Na Conferência Health 2.0 2013, uma tendência que se mostra crescente é a gamification, ou o uso de games para levar a mudanças de comportamento ou de percepções. Para crianças com câncer um interessante jogo demonstrado foi Remission 02, em que agentes quimioterápicos combatem células cancerígenas de forma bastante divertida, de modo a tornar a experiência da quimioterapia comprensível no universo da criança.

Screen-Shot-2013-10-03-at-12.48.13-AM
Uma iniciativa análoga, foi utilizada no Brasil pelo Hospital A.C. Camargo, que revestiu os quimioterápicos com roupas de super heróis e criou um gibi em que super heróis utilizam a medicação para combater o cancêr. Certamente, se o Super Homem está fazendo, eu também posso, é a mensagem que está sendo passada e que foi muito bem recebida pelos pacientes.

Outro jogo interessante é o CogCubed (www.cogcubed.com) que auxlia no Diagnóstico de Transtorno de Déficit de Atenção. As crianças têm que bater um martelo virtual, na tela que aparece um determinado personagem (veja o vídeo abaixo). O jogo apesar de simples foi desenvolvido por uma médica e um cientista da computação, recebeu investimento da Carnegie Mellon University e apresentou resultado de 80% de acerto no diagnóstico de Transtorno de Déficit de Atenção. Não será melhor para crianças e adultos terem problemas médicos diagnosticados através de jogos ao invés de questionários ? Quem de fato gosta de responder questionários com mais de 40 perguntas ?

Para incentivar a mudança de comportamento através do suporte da comunidade, a Omada Health, empresa muito forte em design fundada por profissionais que trabalharam na renomada consultoria de design IDEO, criou uma solução em que grupos de 20 a 30 pacientes diabéticos se apóiam através de uma rede virtual, no sentido de se manterem comprometidos e ativos com o tratamento do diabetes. O que os dados mostram é que o apoio social funciona, mas tem que ser restrito a um número de pessoas em que é possível manter uma conexão relevante com as pessoas, sendo que grupos muito grandes tendem a ser menos efetivos.

Outro produto interessante, é o Idify Dementia da Dinamarca, que está em fase beta, em que pacientes com demência tem a linha do tempo de suas vidas mapeadas com o auxílio de familiares, com o auxílio de fotos, sons e textos, a fim de que possam recordar mais facilmente de suas memóras, quem são e quem foram e assim realizar com maior facilidade suas atividades de vida diária. A idéia do produto surgiu através da experiência com um dos parentes de Michael, co-fundador da empresa, em que  um familiar com demência sempre voltava aos mesmos dois ou três momentos de vida que necessitavam ser constantemente recordados e cuja lembrança tornava este paciente mais interativo com o mundo exterior.

Assim, não deixe de considerara os games ao elaborar uma estratégia de mundança de comportamento ou ao elaborar o novo produto da sua empresa.

banner_es

Academia Médica
Fernando Carbonieri
Fernando Carbonieri Seguir

Empreendedor serial em saúde com cases de transformação digital reais que já impactam milhões de vidas. Crio uma arena de discussões para que o conhecimento seja compartilhado e construído para que a saúde e a medicina evoluam!

Ler conteúdo completo
Indicados para você