[ editar artigo]

A importância dos detalhes e a semiologia de cabeça e pescoço

A importância dos detalhes e a semiologia de cabeça e pescoço

A importância dos detalhes e a semiologia de cabeça e pescoço

Arrisco-me a dizer que um bom clínico sempre vem acompanhado de um alter ego detetive. Alguém que se motiva em buscar a resposta naquilo que a maioria não vê. Alguém que busca justificativas ao invés de apenas solucionar o problema. Pois sempre há uma e se a origem não for tratada o problema pode reincidir, tornando a solução apenas paliativa. E nessa contexto referencio a personalidade mais famosa do ramo, Sherlock Holmes: "Os pequenos detalhes são sempre os mais importantes.”, mas será?

Nada como um pato, voa como um pato, faz “quack”... Sim, provavelmente é um pato. Claro que “cada caso é um caso” e depende de inúmeras variáveis. Porém tentar fugir disso pelo tamanho do bico, pode apenas retardar o diagnóstico e gastar um tempo que pode ser importante. Nem todos os sinais e sintomas podem ter causa única, então utilizar os dados mais lógicos, costuma ser o mais sensato. Entretanto, após todo raciocínio, você pode não encontrar o que é o mais lógico e ter que apostar utilizando algum critério a depender do que se é preconizado. Seja a epidemiologia ou o tratamento menos invasivo na tentativa de eliminar alguma opção. Ou a opção mais recorrente: entupir de exames complementares.

Talvez seja nessa hora que os detalhes ressaltem a sua importância e que o tamanho do bico faça toda a diferença. Sendo assim, o bom clínico passa ser aquele que os conhece, seja pelo estudo árduo e/ou pela experiência prática. Como esse último nos foge o controle, por não controlarmos a variável tempo, nos resta investir na primeira opção: o estudo árduo.

A questão é que tudo se inicia do conhecimento básico, do estudo introdutório. Ou seja, traduzindo para a medicina, literalmente depende de um bom estudo da propedêutica médica. Quando formaremos os pilares necessários para edificar nosso conhecimento ao longo dos anos. Para que um dia, até uma relação improvável possa ser a saída para seu raciocínio diagnóstico. Pois sem um estudo aprofundado, você não saberia, por exemplo, que a periodontite, possa ter relação com doenças cardiovasculares como alguns estudos apontam. A explicação? “A placa bacteriana presente na periodontite, ao destruir o epitélio da bolsa periodontal, rompe a barreira que a isola do tecido conjuntivo e da circulação, permitindo a entrada de elementos nocivos na corrente sanguínea (exotoxinas e endotoxinas).” (Link: http://departamentos.cardiol.br/dha/revista/16-3/11-associacao.pdf)

Portanto, vamos continuar hoje nosso estudo árduo e aproveitando a periodontite, vamos tentar relembrar hoje alguns pontos importantes do exame físico de cabeça e pescoço que terminaremos depois. Nesse primeiro vídeo estudamos o exame geral do crânio e da face apenas os olhos...

#MR SEMIOLOGIA - CABEÇA E PESCOÇO (PARTE 1)


(https://www.youtube.com/watch?v=PnUmndclfaQ)

... e nesse segundo abordaremos o restante da face (orelhas, nariz, seios paranasais e boca), ok?

#MR SEMIOLOGIA - CABEÇA E PESCOÇO (PARTE 2)


(https://www.youtube.com/watch?v=rhu0ChjFUgI)

#MR Semiologia - Pescoço

Então bons estudos, uma ótima semana e até a próxima no Medicina Resumida.

Academia Médica
Academia Médica
Academia Médica Seguir

Página da redação do Academia Médica para noticiar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler matéria completa
Indicados para você