[ editar artigo]

Métodos para descontaminação de máscaras N95 no contexto da pandemia da COVID-19

Métodos para descontaminação de máscaras N95 no contexto da pandemia da COVID-19

A pandemia causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) causou escassez mundial de equipamentos de proteção individual, como as máscaras N95 [1]. Em geral, as máscaras N95 são projetadas para uso único. Contudo, o cenário atual induz a procura de maneiras eficazes de se higienizar adequadamente tais materiais para reutilização por curtos períodos de tempo [2].

Um estudo norte-americano demonstrou que a exposição de máscaras N95 contaminadas à peróxido de hidrogênio vaporizado (PHV) ou luz ultravioleta (UV) eliminou o SARS-CoV-2 do material e preservou a integridade e o ajuste das máscaras. O calor seco (70 °C) também foi eficiente para eliminar o vírus nas máscaras. Por fim, um spray de etanol a 70% também foi testado, mas os pesquisadores descobriram que as máscaras descontaminadas com essa técnica não funcionavam efetivamente após a descontaminação e não recomendaram o uso desse método [2,3].

Todos os métodos eliminaram o SARS-CoV-2 das amostras, embora o tempo necessário para a descontaminação e o número de vezes que pudesse ser descontaminadas por método variasse conforme a Tabela 1*.

Os pesquisadores demonstraram que o tratamento com PHV exibe a melhor combinação de inativação rápida de SARS-CoV-2 e preservação da integridade das máscaras por até três rodadas de inativação viral. A radiação UV mata o vírus mais lentamente e preserva a função por até três vezes. O calor seco a 70ºC mata com velocidade semelhante à luz UV e mantém escores aceitáveis por duas rodadas de descontaminação.

Os autores concluem o estudo da seguinte maneira:

“Nossos resultados indicam que as máscaras N95 podem ser descontaminadas e reutilizadas em períodos de escassez por até três vezes para UV e PHV e até duas vezes para calor seco. No entanto, deve-se tomar o máximo cuidado para garantir o funcionamento adequado da máscara após cada descontaminação.”

Contudo, o CDC não aprovou nenhum método para descontaminação de máscaras para reutilização e a ANVISA traz em sua nota técnica que: 

NUNCA se deve tentar realizar a limpeza da máscara N95 ou equivalente, já utilizada, com nenhum tipo de produto. As máscaras N95 ou equivalentes são descartáveis e não podem ser limpas ou desinfectadas para uso posterior e quando úmidas perdem a sua capacidade de filtração.

Dessa maneira devemos considerar que esse estudo é preliminar e com a justificativa de estarmos sob uma situação de excepcionalidades [4, 5].

(*) O método com etanol foi excluído da tabela por sua ineficiência para reutilização das máscaras.

Referências

  1. Health C for -D and R. N95 Respirators and Surgical Masks (Face Masks). FDA 2020. Available from: https://www.fda.gov/medical-devices/personal-protective-equipment-infection-control/n95-respirators-and-surgical-masks-face-masks

  2. Fischer R, Morris DH, van Doremalen N, Sarchette S, Matson J, Bushmaker T, et al. Assessment of N95 respirator decontamination and re-use for SARS-CoV-2. Infectious Diseases (except HIV/AIDS); 2020. https://doi.org/10.1101/2020.04.11.20062018.

  3. Liao L, Xiao W, Yu X, Wang H, Zhao M, Wang Q. Can N95 facial masks be used after disinfection?And for how many times? [Internet]. Stanford University and 4C Air, Inc; 2020 [cited 2020 Apr 10]. Available from: https://stanfordmedicine.app.box.com/v/covid19-PPE-1-2

  4. How to Sanitize N95 Masks for Reuse: NIH Study. Medscape n.d. http://www.medscape.com/viewarticle/928877 (accessed April 23, 2020).

  5. Nota técnica ANVISA. Ministério da Saúde. Brasil. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33852/271858/NOTA+T%C3%89CNICA+N%C2%BA+05-2020+GVIMS-GGTES-ANVISA+-+ORIENTA%C3%87%C3%95ES+PARA+A+PREVEN%C3%87%C3%83O+E+O+CONTROLE+DE+INFEC%C3%87%C3%95ES+PELO+NOVO+CORONAV%C3%8DRUS+EM+INSTITUI%C3%87%C3%95ES+DE+LONGA+PERMAN%C3%8ANCIA+PARA+IDOSOS%28ILPI%29/8dcf5820-fe26-49dd-adf9-1cee4e6d3096

Quer escrever?

Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 170 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!

Link da imagem do post: 

https://images.unsplash.com/photo-1586975949231-9374052a0d63?ixlib=rb-1.2.1&ixid=eyJhcHBfaWQiOjEyMDd9&auto=format&fit=crop&w=750&q=80

Academia Médica
Diego Arthur Castro Cabral
Diego Arthur Castro Cabral Seguir

Acadêmico de Medicina da Universidade Federal do Pará. Jovem pesquisador em neurociências com projetos de iniciação científica. Coordenador discente de projetos de Extensão. Insta: @arthurcastropro

Ler matéria completa
Indicados para você