[ editar artigo]

Neurocovid: 80% dos pacientes hospitalizados tem dano neurológico

Neurocovid: 80% dos pacientes hospitalizados tem dano neurológico

A pandemia da COVID-19 continua em todo o mundo. As pesquisas científicas de várias regiões são prolíficas, publicados com a intenção de compartilhar rapidamente o conhecimento sobre prevalência, tratamento e resultados de indivíduos infectados. Numerosos relatos de sintomas e manifestações neurológicas aparentemente associados à infecção por SARS-CoV-2 continuam a surgir, com espectro de manifestações neurológicas variando de leves (anosmia, ageusia e dor de cabeça) a graves (coma, convulsões, encefalopatia por lesão cerebral hipóxica, acidente vascular cerebral, hemorragia cerebral, encefalopatia reversível e síndrome de Guillain-Barré). Da mesma forma, as estimativas de prevalência nessas pesquisas variam de 3,5 a 84%, com muitos estudos não controlando os fatores de confusão ou diferenciando entre os níveis de atendimento ou gravidade da infecção sistêmica.

Fonte: Canva.

Para abordar essa lacuna crítica de conhecimento, 2 consórcios globais (-NeuroCOVID e ENERGY) colaboraram para estabelecer a incidência mundial, tipo e resultados de manifestações neurológicas entre pacientes hospitalizados com COVID-19.

Os objetivos principais deste estudo foram:

  1. determinar a incidência de COVID-19 manifestações neurológicas entre coortes globais de pacientes hospitalizados e
  2. investigar a associação de manifestações neurológicas com mortalidade intra-hospitalar.

Um objetivo exploratório secundário foi identificar potenciais fatores de risco associados ao desenvolvimento de sintomas e sinais neurológicos ou síndromes.

Metodologia utilizada no estudo incluiu pacientes de 4 continentes

Um estudo de coorte publicado no JAMA incluiu pacientes com COVID-19 diagnosticado clinicamente ou confirmado por laboratório em 28 centros, representando 13 países e 4 continentes. A pesquisa foi realizada pelo Estudo do Consórcio Global de Disfunção Neurológica em COVID-19 (GCS-NeuroCOVID) de 1 de março a 30 de setembro de 2020, e o Registro Neuro-COVID (ENERGY) da Academia Europeia de Neurologia (EAN) de março a outubro 2020. Três coortes foram incluídas:

  1. a coorte GCS-NeuroCOVID. Contou com expressivo número de pacientes COVID-19 (n = 3.055), que incluia pacientes hospitalizados com COVID-19 podendo ou não ter manifestações neurológicas;
  2. a coorte neurológica GCS-NeuroCOVID COVID-19 (n = 475), que incluiu pacientes hospitalizados com COVID-19 que tinham manifestações neurológicas confirmadas; e
  3. a coorte ENERGY (n = 214), que incluiu pacientes com COVID-19 que receberam consulta neurológica formal.

Principais achados

Um total de 3.083 de 3.743 pacientes (82%) em coortes tiveram qualquer manifestação neurológica (sintomas neurológicos autorrelatados e / ou sinal neurológico capturado clinicamente e / ou síndrome).

Os sintomas autorreferidos mais comuns incluíram:

  • cefaleia (1.385 de 3.732 pacientes [37%])
  • anosmia ou ageusia (977 de 3.700 pacientes [26%]).

Os sinais e/ou síndromes neurológicos mais prevalentes foram:

  • encefalopatia aguda (1.845 de 3.740 pacientes [49%]),
  • coma (649 de 3.737 pacientes [17%])
  • acidente vascular cerebral (222 de 3.737 pacientes [6%]),
  • meningite e / ou encefalite foram raras (19 de 3741 pacientes [0,5%]).

A presença de sinais neurológicos clinicamente capturados e / ou síndromes foi associada a risco aumentado de morte intra-hospitalar, após o ajuste para local de estudo, idade, sexo, raça, e etnia. A presença de distúrbios neurológicos preexistentes foi associada a um risco aumentado de desenvolver sinais e / ou síndromes neurológicas com COVID-19.

80% desses pacientes exibiram pelo menos 1 novo sintoma neurológico, sinal ou síndrome, e 55% tiveram pelo menos 1 sinal ou síndrome neurológico capturado na avaliação clínica.

Foi observado que a encefalopatia aguda foi o sinal ou síndrome neurológico mais comum com uma incidência de 50% nas 3 coortes separadas, enquanto meningite e / ou encefalite e mielopatia foram as menos comuns, com incidências de 0,1% e 0,2%, respectivamente. Além disso, a presença de sinais ou síndromes neurológicas concomitante à COVID-19 aumentou significativamente o risco de morte durante a hospitalização aguda após o ajuste para variações por local de estudo e características basais. Juntas, essas observações destacam a importância das manifestações neurológicas na COVID-19 e seu impacto potencial no desfecho da doença.

Este estudo de coorte multicêntrico descobriu que as manifestações neurológicas na COVID-19 eram altamente prevalentes e associadas à mortalidade prematura. Usar uma rede global com protocolos padronizados e elementos de dados comuns é fundamental para facilitar estudos futuros para compreender as manifestações neurológicas da COVID-19, incluindo progressão da doença, associações com resultados de longo prazo, mecanismos patofisiológicos e seu impacto social e econômico.

 


Quer escrever?
Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 215 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!


 

Referências

  1. Chou, S. H. Y., Beghi, E., Helbok, R., Moro, E., Sampson, J., Altamirano, V., ... & ENERGY Consortium. (2021). Global Incidence of Neurological Manifestations Among Patients Hospitalized With COVID-19—A Report for the GCS-NeuroCOVID Consortium and the ENERGY Consortium. JAMA Network Open, 4(5), e2112131-e2112131. doi:10.1001/jamanetworkopen.2021.12131
  2. Frontera, J., Mainali, S., Fink, E. L., Robertson, C. L., Schober, M., Ziai, W., ... & GCS-NeuroCOVID Study. (2020). Global consortium study of neurological dysfunction in COVID-19 (GCS-NeuroCOVID): study design and rationale. Neurocritical care, 33, 25-34. https://doi.org/10.1007/s12028-020-01100-4

 

Academia Médica
Diego Arthur Castro Cabral
Diego Arthur Castro Cabral Seguir

Acadêmico de Medicina da Universidade Federal do Pará. Jovem pesquisador em neurociências com projetos de iniciação científica. Coordenador discente de projetos de Extensão. Insta: @arthurcastropro

Ler conteúdo completo
Indicados para você