{{ warning.message }} Ver detalhes
Post
Link
Pergunta
Novo FIES fechará as portas da medicina para muitos
[editar artigo]

Novo FIES fechará as portas da medicina para muitos

Novo FIES fechará as portas da medicina para muitos

Não é novidade para ninguém que cursar uma faculdade de medicina é muito caro. Apesar do altíssimo preço, até então o pagamento do curso por uma família de classe média, apesar de difícil, ainda era possível, graças ao FIES.

Não há como negar que a expansão do programa de Financiamento Estudantil do Governo Federal possibilitou a muitos pagar as mensalidades e formar-se. Inclusive este que vos fala, só se formou porque conseguiu o FIES no primeiro ano de faculdade. Hoje minhas mensalidades de abatimento do financiamento são pagas mês a mês sem "doer" tanto no bolso, mas consomem 10% de todo o faturamento mensal.

Meus pais são heróis de terem arcado com 50% dos quase 160 mil reais que custou minha faculdade, que, por incrível que pareça, era uma das mais baratas do Brasil quando entrei em 2007 (R$1.650,00) e quando saí em 2013 (R$2.375,00). Mas muitas coisas mudaram desde a assinatura do meu contrato do FIES até hoje, data do lançamento do edital NOVO FIES 2015.

Irei apresentar uma palestra sobre "O Custo da Medicina" no III Fórum de Integração do Médico Jovem em Out/2015 em Florianópolis. Uma das fases do estudo é verificar quanto custa formar-se médico no país. Um dos componentes desse custo é sem dúvida o quanto custa a faculdade de medicina particular. Sem contabilizar todos os gastos inerentes à alimentação e moradia, o resultado preliminar é assustador!

São ao todo 256 escolas médicas no país ( e subindo), sendo a maior parte delas particulares. Realizando uma média aritmética entre a as mensalidades das 126 escolas particulares com turmas abertas no primeiro semestre de 2015 chegamos ao incrível número de R$ 5.288,53. Ou seja, são necessários 6,7 salários mínimos para pagar a mensalidade do curso de medicina em uma escola particular. Segundo economistas¹, não podemos comprometer mais de 15% da renda familiar com educação. Logo, uma família que tem apenas um filho e deseja pagar a faculdade do filho sem financiamento, deve ter uma renda média de 35 mil reais para que os outros gastos não sejam profundamente alterados.

Gráfico 1 - Custo da medicina - Os valores de reajuste estão contabilizados apenas a inflação prevista para os próximos 5 anos. Esse valor pode aumentar desde que haja aumento dos custos do curso para a mantenedora, que deve apresentar em planilhas o porquê do aumento, ano a ano.

quanto custa a vista

Para o Governo, a reserva para educação superior no caso da medicina deve ser de 38%, logo para conseguir pagar o curso (para o Governo) a sua família deve render aproximadamente 14 mil reais por mês.

Quem ganha mais de 14 mil reais líquidos nesse país?

Parcela ínfima da população não é mesmo. Mesmo assim, até o primeiro semestre de 2015, se você estivesse nessa faixa você ainda poderia fazer uma faculdade de medicina. O FIES aceitava alunos com renda familiar de até 15 mil reais, financiava 100% dos custos a um juro anual muito atraente de 3,4%. O valor financiado podia ser pago em até 19 anos

Então mesmo com a fábula de 445.520 mil Reais (custo médio total dos 6 anos do curso de medicina no Brasil somados os reajustes relativos à inflação) somados ao valor do juros do FIES, ainda era possível um aluno de classe média sonhar em ser médico no país. Caso você conseguisse um financiamento de 100%, o seu saldo devedor ao final de 6 anos seria de 515 mil reais.

Vale ressaltar que segundo o próprio governo, Classe Alta são as famílias que ganham mais de 20 salários mínimos (R$15.760,00) e correspondem a 1% de toda a população brasileira.

brasil é pobre

Com as novas regras, pagar estudos na Pátria Educadora virou um pesadelo que impossibilitará a entrada de muitos no curso de medicina, voltando a ser possível apenas para a minoria absoluta do Brasil. Apenas mais um exemplo de incongruência tupiniquim populista.

Agora, nas novas regras, para candidatar-se a uma vaga no FIES a família não pode possuir uma renda superior a 2,5 salários mínimos per capta (1970 Reais). Some a isso a extinção do financiamento de 100% dos custos. Com as novas regras, um aluno que se enquadre no valor mais alto da tabela (de 2,0 a 2,5 salários/capta) poderá financiar no máximo 81% do custo da mensalidade curso de medicina, sobrando no final do curso, um saldo devedor de 448.097,83 em média².

Custo com novo fies

O prazo de abatimento do montante financiado passará a ser de 18 anos em parcelas mensais que iniciarão logo após a formatura. Anteriormente havia um prazo de 1 ano de carência para o início da amortização da dívida. Logo, assim que formar-se o médico irá ter que arcar com uma parcela de aproximadamente 2074 reais, a serem pagos por 216 meses consecutivos.

Considerando o ganho médio de 700 reais por plantão ( bruto, por cnpj) que passa para 574,56 reais descontados os 16,92% de imposto para a empresa Super Simples, o médico ganha em média 8426,90 reais por um regime de 44h semanais ou 176h mensais. Logo, assim que se forma, a mensalidade do FIES corresponderá a aproximadamente 25% da renda da empresa do médico.

Esse cenário pode ficar ainda um pouco pior. Ao considerarmos que o médico assim que se forma logo entra numa Residência Médica e não possui tempo para ganhar algo além da bolsa de 2400 reais mensais pelos próximos 5 anos, não sabemos o que esperar das futuras gerações.

Então meus amigos que chegaram até o final deste raciocínio, ser médico no Brasil é uma missão ingrata e difícil, que tem um payback muito longo. É sim a profissão que melhor paga recém formado que sai para o mercado de trabalho, mas seus custos atualizados tornam proibitivas as possibilidades de especialização para aqueles que estudaram em escolas particulares.

Aqueles que não estão na faixa de adequação ao FIES (0,5 a 2,5 salários mínimos per capta) terão enormes dificuldades para formarem-se. Há a possibilidade de algumas instituições disponibilizarem outras formas de crédito, porém sempre com taxas maiores que a taxa do FIES. Os valores destes financiamento contemplam 50% ou 25% da mensalidade, tornando a mensalidade corrente bastante cara.

Não adianta, se você é vestibulando, se mate de estudar para passar em uma pública, seus pais irão agradecer. Se você está lendo este texto e acredita que seu filho escolherá medicina para cursar, boa sorte! Comece a guardar dinheiro para pagar a educação dele que ficará cada vez mais cara, pois passar em uma Universidade Pública vai ser algo apenas para os mais preparados!

Por favor, comente logo abaixo!

Caso deseje participar do Estudo "Custo da Medicina no Brasil" estamos fazendo um Crowd Sourcing! Envie um email para contato@academiamedica.com.br com um mini CV e o motivo de seu interesse em participar do estudo.

¹Gustavo Cerbasi para o UOL Educação Nota Governo - Novo Fies Jul-2015; Critério IBGE para definição de classe social no Brasil; Fundo Solidário PUCPR; Blog Tudo Sobre o FIES

Dados sobre as mensalidades obtidos do site http://escolasmedicas.com.br/

Fernando Carbonieri

Fernando Carbonieri

Fundador da comunidade Academia Médica, que desde 2012 tem o intuito de expandir os horizontes falando o que a faculdade esqueceu de nos contar.

Fique informado sobre as novidades da comunidade
Cadastre-se aqui
Gostou desse artigo? Escreva o seu também!
Nova publicação

Artigos relacionados

Continue lendo!

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso
aos conteúdos exclusivos.

Entrar