[ editar artigo]

Por que médicos escrevem tão mal?

Por que médicos escrevem tão mal?

A letra corrida do médico é notoriamente ruim de ser entendida! Segundo algumas fontes pesquisadas, escrever mal acaba sendo uma questão de sobrevivência.  Em um turno de 8 horas, o médico acaba escrevendo sua assinatura entre 50 a 100 vezes, ou mais.

O problema aqui é o volume de documentações que o médico deve fazer para todos os pacientes que ele atende. Para reconhecimento legal, tudo aquilo que foi feito, descoberto e instruído deve estar documentado para possíveis questionamentos ou consultas futuras. Muitos médicos ainda pensam que jamais verão estes documentos novamente, que eles serão apenas armazenados em galpões e de lá jamais sairão. Muitos ainda imaginam que aquilo que escrevem não é para ser lido pelos seus pacientes, apenas por ele e seus pares. Ledo engano!

O prontuário médico pertence a ele e seu paciente. Em caso de dúvidas ou suspeitas legais, o paciente tem direito de requisitar todos os documentos já feitos para apresentar a pessoa que lhe interesse (médico perito ou até ao seu advogado). O prontuário então pode se tornar a maior arma do médico em uma defesa judicial ou sua pior armadilha.

É comum escrevermos siglas ou deixar de escrever aquilo que é óbvio para a gente. Algo que está tão intrínseco em nossa rotina pode facilmente passar por "nada digno de nota". Infelizmente muito daquilo que não "merece" ser documentado para nós, acaba sendo importante para o paciente, quando em posse de seu prontuário médico.

Para a justiça, só é válido aquilo que está documentado ou aquilo que possui testemunhas e/ou evidências. O discurso de que você falou para seu paciente não dirigir dias após a cirurgia para inclusão de próteses mamárias não vale de nada se não estiver registrado no prontuário que você orientou seu paciente quanto a cuidados pós-operatórios imediatos e que isso constava no termo de consentimento assinado pelo paciente. Em caso de dúvidas do paciente sobre a sua orientação, isso estará presente em seu prontuário, depondo a favor do profissional.

Os prontuários eletrônicos estão chegando para acabar com o problema da má escrita do médico. Alguns já estão utilizando de suas secretárias para a digitação dos prontuários, enquanto outros digitam os casos por sí sós.

Aqui encontramos outra nuance que pode trazer problemas futuros. São inúmeros os que utilizam do Ctrl+C e do Ctrl+V nesses prontuários eletrônicos. Muitas vezes essa atitude pode resultar em repetição dos achados da última consulta provocando uma falta de atualização sobre os novos dados médicos daquele paciente.

Acredito que o médico ainda continuará escrevendo mal, e será sempre caracterizado como quem possui péssima caligrafia. Os motivos para isso é que mudarão. Dessa vez a escrita não será ruim pelo volume que se escreve. Será ruim porque ele não irá mais escrever, pois pouco vai fazer sem a ajuda do teclado de um computador.

Texto publicado pela primeira vez em 2013.

 


Quer escrever?

Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 130 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!

Academia Médica
Fernando Carbonieri
Fernando Carbonieri Seguir

Empreendedor serial em saúde com cases de transformação digital reais que já impactam milhões de vidas. Crio uma arena de discussões para que o conhecimento seja compartilhado e construído para que a saúde e a medicina evoluam!

Ler conteúdo completo
Indicados para você