[ editar artigo]

Prefeito de PQP quer abrir faculdade de Medicina.

Prefeito de PQP quer abrir faculdade de Medicina.

“A cidade de PQP terá uma faculdade de Medicina em breve”, diz extasiado o prefeito.

Segundo o prefeito, os médicos são muito chatos e não querem aceitar trabalhar sábados, domingos, feriados, dia e noite sem direitos trabalhistas para atenderem seus eleitores em PQP. O prefeito disse que encontrou a solução: abrirá uma faculdade de Medicina para transformar grande parte dos jovens da cidade em médicos.

“Vamos formar tantos médicos em tão pouco tempo que exportaremos o excesso para a Bolívia”, diz o prefeito diastemático de PQP.

Perguntado onde ele arranjaria médicos para dar aula aos alunos PQPs, o prefeito responde: “Conforme disse Ciro (meu amigo também diastemático), médico é mais fácil de encontrar que sal no mar morto. E para baratear os custos do curso, vamos contratar profissionais não médicos para formar os alunos PQP. Atualmente temos professores de Medicina aceitando qualquer merreca pra dar aula em troca de "status".

Depois o prefeito acrescentou: “Sabemos que várias matérias podem ser dadas por psicólogos, fisioterapeutas, enfermeiros, nutricionistas... Vamos explorar essa mão-de-obra e formar alunos PQPenses para todo o Brasil com aulas dadas por esses profissionais. A Bolívia que se cuide”, disse peremptoriamente o prefeito diastemático.

O prefeito pequepense disse ainda que oferecerá treinamento às parteiras para serem preceptoras na disciplina de obstetrícia. Ele diz: “Em tempos de hoje, as parteiras podem muito bem treinar os alunos a realizarem partos; afinal, eu nasci em casa, nem de parteira eu precisei; claro que minha mãe teve um pouco de dificuldade no parto, mas eu fui fácil de ser espirrado, eu era o 12º filho”, orgulha-se prefeito.

O prefeito está fazendo lobbie para aprovar a optometria, pois assim não precisará de oftalmologistas para dar aula de oftalmo na faculdade pequepense, “os optometristas serão staffs no curso”, orgulha-se. Quer, ainda, ser o criador da profissão de gesseiro, assim pode colocar esses profissionais para ensinar como engessar pacientes vítimas de traumas em membros na sua instituição.

O prefeito tem apoio de muitos alunos que querem ser médicos em PQP; o resto da população está um pouco cautelosa com a qualidade desses médicos formados nas futuras instalações da UNIPQP, mas o prefeito dá de ombros e diz:

“O mais importante é ter médico trabalhando a preço de banana para eu garantir a minha permanência no poder” diz de peito estufado o prefeito que provavelmente será candidato a deputado nas próximas eleições.

(Adaptação autorizada pelo autor. Veiculado primeiramente no Dignidade Médica)

Não deixe de conferir o nosso post sobre O que é necessário para abrir um curso de medicina.

Este foi um ensaio satírico, originalmente publicado no Grupo Dignidade Médica, que demonstra as insatisfações da classe médica com as políticas de saúde e educação do Brasil. Essas políticas corroem as profissões alicerçadas em conhecimento e prática acadêmica e formam técnicos em tudo. Exemplos recentes, que são contra a prática médica, são as tentativas de formar técnicos em ultrassom, técnicos em teste ergométrico, técnicos em optometria. Há indícios que a nutrição estaria, também,  sendo atacada por esse tecnicismo e lobby das escolas técnicas, com a tentativa de regulamentação da profissão de técnico em nutrição.

Academia Médica
Academia Médica
Academia Médica Seguir

Página da redação do Academia Médica para noticiar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler matéria completa
Indicados para você