[ editar artigo]

Revisões sistemáticas: dúvidas e desafios

Revisões sistemáticas: dúvidas e desafios


O objetivo das revisões sistemáticas qualitativas é compreender e interpretar experiências pessoais, comportamentos, interações e contextos sociais, para explicar um determinado fenômeno.

A revisão sistemática possibilita sintetizar os dados de pesquisas científicas existentes sobre uma determinada pergunta norteadora, com um método sistematizado e explícito, para elenco de resultados confiáveis para a tomada de decisão. Hoje, esse tipo de revisão é considerado de alto nível em termos de evidência científica.

Existem diferentes modelos de revisão sistemática:

  • Revisão de evidências qualitativas
  • Revisão de texto e opinião
  • Revisão de métodos mistos
  • Revisão de efetividade
  • Revisão de prevalência ou incidência
  • Revisão de evidência econômica
  • Revisão de acurácia de teste diagnóstico
  • Revisão de etiologia e risco
  • Revisão de mensuração de propriedades psicométricas

Revisões sistemáticas são diferentes de revisões integrativas e de escopo, que compreendem estudos mais amplos que permitem a inclusão de diferentes tipos de delineamentos  (revisões integrativas) e para mapeamento das evidências disponíveis em um determinado campo, análise de lacunas de conhecimento e esclarecimento dos principais conceitos da literatura e os fatores relacionados a eles, além de exame do modo como a pesquisa é conduzida em uma determinada área(revisões de escopo).

Revisões sistemáticas que partem de um caráter quantitativo precisam apresentar um planejamento acerca da metodologia de síntese que vai permitir a generalização dos achados.

As revisões sistemáticas de métodos mistos possibilitam integrar experiência (dados qualitativos) e eficácia (dados quantitativos) para identificar discrepâncias nas evidências disponíveis.

Seja qual for a modalidade da revisão sistemática, ela requer avaliação e crítica. 

A síntese de dados é uma questão importante na revisão sistemática. Exceto nas revisões sistemáticas de caráter qualitativo, a metanálise - tratamento estatístico dos dados da amostra constituída a partir dos estudos que compuseram a revisão - deve ser planejada e descrita no protocolo.

A viabilidade de execução da metanálise após a extração de dados está condicionada a uma série de fatores, como a quantidade de estudos incluídos, o risco de viés e a heterogeneidade entre os estudos.

Nas revisões sistemáticas em que o tratamento estatístico é indicado e havendo dados suficientes para a sua realização, a metanálise precisa ser feita, possibilitando a inferência e extrapolação dos resultados obtidos. Caso não seja possível realizá-la, o motivo deve ser descrito.

Fonte
https://www.scielo.br/j/codas/a/btTJ6BQGjNtj3xXDNs4hvPm/?lang=pt

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você