[ editar artigo]

Se te tirarem a medicina, o que sobra?

Se te tirarem a medicina, o que sobra?

As grandes reflexões não nascem do topo das montanhas, do alto de uma torre de marfim ou da solidão meio a uma floresta. Grandes reflexões nascem ao nível do mar, nascem do cotidiano.

Com frequência reflito sobre o quão costuma ser difícil falar de nós mesmos. O Instagram por sua vez trouxe um item curioso, a biografia ou “A Bio do Insta”. Certamente a etapa mais difícil da criação de um perfil, alguns deixam-na em branco, outros põem emoticons, existe ainda os que colocam seus passatempos e preferências. Todavia, uma formatação que me chama atenção. Quando em um perfil tem unicamente a apresentação da idade seguida pela atividade profissional.

Não faço as próximas perguntas embasadas por estatísticas. Trata-se da mais virginal impressão que, no caso dos estudantes de medicina, a formulação na biografia composta por idade + Estudante de Medicina, em letras maiúsculas, tornou-se uma constante.

Uma primeira impressão que podemos ter é uma opção por algo mais sintético, direto. Olhando mais a fundo, essa forma pasteurizada de apresentação curtíssima pode também ser interpretada como uma inabilidade de reconhecer-se.

Façamos o seguinte exercício, se por acaso, fosse proibido por na sua “Bio” que você é um estudante de medicina, o que sobra da sua própria trajetória, da sua biografia?

Só a idade? Mas uma pessoa não pode se resumir a quantos anos viveu até o momento. É clarividente que a faculdade toma uma porcentagem significativa da sua rotina, entretanto, insisto caro leitor, faça esse exercício e questione-se.

Se te tirarem a medicina, o que sobra?

Nada?

É chegada a hora de significar sua vida para além deste curso. A filosofia já afirmou outrora que: onde há desejo, não há amor e onde o amor está presente, não há mais desejo.

Então questiono novamente leitor, quando o desejo de tornar-se medico for alcançado, o que sobra?

Se fosse apresentar-se sem falar da sua profissão, o que restaria a ser dito?

 


Quer escrever?

Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 207 mil médi,cos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!


 

Academia Médica
Medicina em Crônicas - Elomar R. Moura
Medicina em Crônicas - Elomar R. Moura Seguir

Olá! Sou Elomar R. Moura (@medicinaemcronicas), 22 anos, de Aracaju - SE. Estudante de medicina da Universidade Tiradentes (UNIT) - SE. Um apaixonado pela literatura que escreve reflexões sobre a medicina tanto na sua prática, como na sua simbologia.

Ler conteúdo completo
Indicados para você