[ editar artigo]

10 passos para o burnout médico

10 passos para o burnout médico

O burnout do médico talvez seja um dos maiores males da profissão. Assunto presente em diversos congressos é agora de preocupação de alguns poucos gestores hospitalares e é um tema que não podemos parar de discutir.

Esse é um problema mundial atrelado a cargas horárias muito grandes, condições hostis de trabalho, falta de progressão de carreira e pela miséria humana observada diariamente nos hospitais.

Após ler sobre o assunto em um dos maiores blogs para médicos no mundo (KevinMD), resolvi trazer os 10 passos para você torrar a sua mente e entrar na estatistica por ser mais um médico com burnout.

  • Pare de cuidar de você. Sempre ha um paciente a mais que você pode atender. Sempre irão aparecer novos medicamentos para você aprender a usar; Adicione a isso  necessidade dos seus filhos, dos seus pais que estão envelhecendo e de seu companheiro(a). Então seu tempo para você rapidamente vai a zero. Quer ficar cansado rapidamente? Pare de fazer exercícios. Coma depressa. Durma pouco e mal. Não estabeleça os seus objetivos. Perca os primeiros passos de seus filhos, as consultas médicas de seus pais, aniversários e você estará rapidamente percorrendo o caminho para o burnout.
  • Aceite as decisões de outros na sua profissão. Seus pares irão atuar de forma egoísta e você não pode mudar isso. Atente-se em mudar os seus colegas de profissão e você, em pouco tempo estará com o cérebro frito.
  • Agarre-se à ideia de que você acredita ter controle sobre a sua agenda e as decisões sobre a seus compromissos não serão lógicas para ninguém.
  • Seja sempre lembrado por estar em dia com suas burocracias médicas. Caso isso não aconteça, deixe isso ir para o travesseiro contigo. Leve o trabalho para casa, para a maioria de suas noites.
  • Isole-se dos colegas saudáveis, das conferências, congressos e outras oportunidades de crescimento profissional. Rodeie-se de pessoas que odeiam seus trabalhos. Trate seus colegas do hospital de forma autoritátia.
  • Espere que os pacientes sejam lógicos e pensem como você pensa. Espere que pessoas façam mais do que elas podem. Julgue as pessoas e as decisões que elas tomam.
  • Corra durante o dia todo. Não conecte-se com pacientes e seus familiares. Esqueça seus nomes e lembre-se deles apenas pelas patologias que apresentam.
  • Tome como certas as informações que você aprendeu em anatomia e fisiologia. Esqueça os milagres que testemunhamos diariamente. Esqueça aqueles que trilharam o caminho da medicina antes que nós, aqueles que dedicaram a vida perseguindo a medicina, a inteligência e o trabalho duro de outras pessoas.
  • Seja rígido e resiliente mais do que aquele que enxerga a oportunidade em expectativas inesperadas.
  • Culpe-se pelos seus erros. Aja como se fosse inaceitável você errar e como se isso fosse uma falha moral gravíssima caso isso ocorra. Não fale sobre isso com seus pares. Não se perdoe. Questione seus talentos e acredite que você nunca deveria ter feito medicina.

Como você puderam ver a lista é dura, mas o caminho para aqueles que seguem esses "conselhos" é um só : BURNOUT e depressão.

Para ajudar os demais coleas que estão lendo este texto, nos envie um comentário logo abaixo com a sua dica para o médico entrar em burnout.

Academia Médica
Fernando Carbonieri
Fernando Carbonieri Seguir

Empreendedor serial em saúde com cases de transformação digital reais que já impactam milhões de vidas. Crio uma arena de discussões para que o conhecimento seja compartilhado e construído para que a saúde e a medicina evoluam!

Ler conteúdo completo
Indicados para você