[ editar artigo]

35 Habilidades Médicas Essenciais!

35 Habilidades Médicas Essenciais!

Um grande desafio a partir do momento em que se entra numa Faculdade de Medicina como aluno é entender o que é preciso mesmo saber e quais as habilidades médicas das quais não se pode abrir mão de aprender antes do tão sonhado dia da colação de grau. 

São inúmeros os conhecimentos, as técnicas, teorias e habilidades médicas. Por isso a Medicina apresenta 54 especialidades, pois é impossível um profissional saber tudo de todas as áreas. Entretanto, existe aquele grupo de técnicas básico que todo médico precisa saber para sua prática diária. 

Por isso, após questionar a professores, buscar na literatura e ter em mente as experiências vividas e trocas em diversos eventos, elaborei uma lista com as 35 principais habilidades para ser um médico, que todos (TODOS MESMO) devem ter. E o interessante é que dessa lista apenas 1/3 das habilidades médicas se referem a conhecimentos essencialmente técnicos, o que nos leva a enxergar em muitos dos outros pontos coisas que a Faculdade esqueceu de nos contar.

  1. Aferir pressão arterial.
  2. Realizar um acesso sanguíneo (incluindo aqui o acesso central e o acesso intraósseo).
  3. Tratar um coma diabético.
  4. Realizar exame pélvico, diagnosticar trabalho de parto e saber realizar um trabalho de parto natural.
  5. Identificar um pneumotórax em uma radiografia de tórax. Mais importante que isso é saber identificar a possibilidade do paciente estar fazendo um PMTX, aí então saber ver a radiografia para confirmar o diagnóstico. Vale a premissa "Todo pneumotórax hipertensivo radiografado, já foi diagnosticado errado!" (informações sugeridas pelo Dr. Camelo).
  6. Diagnosticar  e tratar anemia ferropriva.
  7. Tratar infecções simples, utilizando para isso antibióticos adequados. "Não precisa utilizar um canhão para matar uma formiga".
  8. Saber ajudar pacientes fumantes a deixar o vício.
  9. Diagnosticar púrpura trombocitopênica trombótica, a qual tem uma mortalidade de 90% quando não tratada (sendo que essa mesma mortalidade reduz para 10% a 20% quando tratada corretamente). O mesmo vale para o hiper e hipotireoidismo, diabetes, hipertensão, cistites, pielonefrites...
  10. Distinguir entre os vários tipos de taquiarritmias.
  11. Descobrir aumento de linfonodos e do baço no exame físico.
  12. Tratar adequadamente a hipertensão.
  13. Explicar adequadamente ao paciente a doença e os procedimentos, de uma maneira que o paciente entenda.
  14. Usar a internet para informações sobre medicamentos e literatura científica.
  15. Dar más notícias com compaixão, porém mantendo a honestidade.
  16. Saber quando falar e quando escutar.
  17. Praticar o que prega, especialmente, quando se trata de bons hábitos de vida (alimentação e exercícios).
  18. Reconhecer quando o paciente deve ser transferido para uma UTI/CTI.
  19. Saber quando deve pedir ajuda e quando pode resolver o problema sozinho.
  20. Referenciar o especialista correto, na hora certa, ou pelo menos no período razoável.
  21. Não ter medo de dizer "Eu não sei".
  22. Entender a preciosidade do tempo. Tanto o seu, quanto o do paciente.
  23. Ter seus colegas médicos como fonte de apoio, suporte, informação e camaradagem.
  24. Ser cortês com enfermeiras e os demais membros da equipe de uma forma profissional. O relacionamento com a equipe pode tornar seu trabalho maravilhoso, ou infernal.
  25. Aprender a arte da paciência, paciência, e, mais paciência.
  26. Manter-se atualizado sobre os avanços na assistência a saúde e novas pesquisas.
  27. Nunca deixar que a raiva, a matadora de profissões, interfira na sua missão como médico.
  28. Estar apto a ter SEMPRE um plano de ação para ajudar seu paciente.
  29. Apreciar o dom que cada médico carrega consigo, e nunca deixar um dia difícil seja uma desculpa para tratar com diferença seus pacientes.
  30. Saber que dinheiro não é tudo.
  31. Saber realizar uma intubação oro-traqueal (contribuição da Dra. Pereira).
  32. Saber realizar uma punção lombar (contribuição do Dr. Araújo).
  33. Lembrar que não é preciso ser cirurgião para saber diagnosticar apendicite aguda, hérnia inguinal encarcerada e obstrução intestinal (contribuição do Dr. Azevedo).
  34. O ATLS é ótimo, por isso,  FAÇAM! E aos que fizeram, USEM!!! O mesmo vale também para o ACLS e o PALS (contribuição do Dr. Azevedo).
  35. O ECG não é um hieróglifo! Por isso, aprenda a traduzi-lo (contribuição do Dr. Azevedo).

 

E você? O que achou da nossa lista? Acha que faltou alguma das habilidades de um médico? Conte pra gente aqui nos comentários para mantermos ela sempre atualizada!

 

Fonte: Original da comunidade do Facebook Web Medicine.

Academia Médica
Fernando Carbonieri
Fernando Carbonieri Seguir

Empreendedor serial em saúde com cases de transformação digital reais que já impactam milhões de vidas. Crio uma arena de discussões para que o conhecimento seja compartilhado e construído para que a saúde e a medicina evoluam!

Ler conteúdo completo
Indicados para você