[editar artigo]

5 Conselhos para Estudantes de Medicina

Este post é principalmente para aqueles que estão na faculdade de Medicina. Estou há 7 meses do fim do meu internato e, durante esses cinco anos e meio, aprendi um pouco sobre "como levar a vida durante a faculdade". E o que eu diria para aqueles que ainda estão iniciando? Vejamos...


1. Eu não fui o melhor acadêmico, tenho certeza que não tirei as melhores notas nos testes e tenho certeza absoluta de que cometi muitos erros durante a minha vida acadêmica, o importante é aprender com eles e não ter vergonha de errar. Então, a primeira dica que eu dou é: você não é médico, não aja como um. A escola de medicina é, como o próprio nome diz, uma escola. É chato que não deem muito ouvidos para o que a gente diz, principalmente o staff e os residentes, e sabe por quê? Porque a gente não sabe muita coisa, mesmo. Nosso papel é tentar acertar até que, um dia, o acerto seja um ato natural, e isso não acontecerá com meros 2, 3 ou 5 anos de faculdade, confie em mim.



2.
Decoreba não leva ninguém muito longe, então pare com isso. Estudar não é tão simples quanto rezar um terço. Anatomia e farmacologia, por exemplo, são disciplinas que parecem exigir que guardemos mil nomes na cabeça. Porém, nosso cérebro interpreta a decoreba como um meio estúpido de se aprender, e você não é capaz de enganar seu próprio cérebro tão facilmente assim, em algumas semanas terá esquecido tudo. Um exemplo do dia-a-dia que ilustra isso muito bem: é mais fácil entendermos um mapa de um lugar ao fazermos correlações espaciais com os locais adjacentes do que decorando uma lista de instruções de como chegar; é por isto que quando pedimos informações a um estranho na rua nos perdemos: porque a memória é associativa, e é preciso que estudemos as relações que as coisas têm entre si para que possamos lidar com esse conhecimento. Aplique esse conceito à anatomia, por exemplo, e você vai entender. O Ciclo de Krebs você pode até decorar, pois esquecer-se dele não fará diferença alguma na sua vida futura, então relaxe.


3. Grupos de estudos: fuja de todos eles. Nunca funcionou comigo e não acredito que isso funcione muito bem. Primeiro, porque cada pessoa tem seu ritmo e sua maneira de conduzir seu estudo. Quando você menos percebe, já está conversando sobre a novela, sobre o jogo de futebol, sobre a balada do fim de semana. Segundo, porque o nervosismo de um ou outro - quando nas vésperas da prova - pode acabar te contaminando e atrapalhando seu rendimento. O conselho que eu dou é: na hora do estudo, desligar smartphone, baixar todo o material de estudo necessário e então desligar também a conexão com a internet. Coloque uma música instrumental, fones de ouvido, pegue um papel e uma caneta, faça anotações, esquemas e fluxogramas. Na hora da prova, isso te ajudará a lembrar das coisas de que precisa. Procure ser criativo e tenha paciência, aprender demora.

4. A faculdade é uma escola e não é uma prisão. Se você está se sentindo em uma prisão, deve haver algo de errado. Tire uma hora do dia para fazer algo de que gosta, tenha ao menos um dia na semana para fazer qualquer coisa que não estudar. O aprendizado na universidade vai além do crescimento intelectual, é uma época de amadurecimento social que será muito importante na sua vida futura. Então, aproveite seu tempo livre, o lazer faz parte daquela saúde chamada saúde mental.

5. Não estude apenas por livros, isso é passado. O conhecimento que está nos livros está ao menos três anos defasado - ou no mínimo quatro, para as versões traduzidas - em relação ao conhecimento científico da atualidade. Busque complementar com artigos científicos atualizados o assunto estudado, faça correlações entre o que leu nos livros, questione também o seu professor. Uma dica é pegar artigos curtos para não cansar de ler e, assim, ir pegando aos poucos as informações necessárias para, um dia, dominar o assunto. Aqui no Academia Médica você também encontra várias dicas a respeito de como complementar seus estudos durante a faculdade e também depois de formado. Acompanhe-nos diariamente, estaremos trazendo várias ferramentas de estudo ao longo do tempo.

Quando entramos na faculdade de Medicina, vejo isso também nos meus colegas de classe, somos primeiro contagiados pelo furor da novidade e do orgulho de se estar estudando algo que almejamos tanto. Porém, um tempo depois, lá pelo segundo semestre, a estafa mental pode ser algo que realmente atrapalhe sua qualidade de vida. De acordo com alguns estudos, a prevalência de sintomas depressivos dentre os estudantes de medicina é de 40%. Portanto, essas cinco dicas podem ajudar você a prevenir o estresse que é inerente à vida acadêmica.

Gostou da publicação de hoje? Acompanhe o Academia Médica no Facebook!

Emerson Wolaniuk
Emerson Wolaniuk Seguir

Médico Responsável Técnico do Instituto Qualis - Curitiba, centro de referência no tratamento da obesidade e qualidade de vida, medicina preventiva e no processo de reprogramação de vida. Ganhador do Premio Inova Saúde PR 2017 de gestão em saúde.

Continue lendo!

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso
aos conteúdos exclusivos.

Entrar
Indicados para você