[ editar artigo]

6 Sistemas de Cirurgia Robótica que você deveria conhecer

6 Sistemas de Cirurgia Robótica que você deveria conhecer
  1. DaVinci da Intuitive

O sistema de cirurgia DaVinci desenvolvido pela companhia Intuitive foi o primeiro sistema de cirurgia robótica aprovado pelo FDA no ano de 2000. O sistema é aplicável em uma ampla gama de operações, incluindo cirurgias minimamente invasivas cardíacas, colorretais, ginecológicas, de cabeça e pescoço, torácicas, urológicas e gerais. A proposta dos engenheiros por trás do robô era unir o melhor de que cada abordagem cirúrgica: a destreza de movimento da cirurgia aberta e as pequenas incisões da cirurgia laparoscópica.

O cirurgião opera através de um Console Cirúrgico integrado a uma tela com visualizador 3D que permite que o médico tenha uma noção de profundidade na hora de operar além de uma cadeira ergonômica que reduz o desconforto e cansaço de ficar em pé por horas sem intervalos. Através do Console Cirúrgico o cirurgião controla o Cart Robótico que está conectado as ferramentas cirúrgicas e uma câmera que estará em contato com o paciente, dessa forma o médico ganha uma maior amplitude de movimento.

Além disso, o daVinci tem a vantagem de ser relativamente fácil de utilizar, uma vez que ele é muito intuitivo (o que originou o nome da empresa) em comparação a técnica laparoscópica. Durante uma cirurgia por videolaparoscopia os movimentos aparecem no visor como o oposto do que está sendo feito, ou seja, você movimenta o porta-agulha para cima e no visor ele vai para baixo, você mexe para esquerda e ele aparece indo para direita. Para aperfeiçoar essa técnica é preciso que ocorra um re-mapeamento mental através das muitas horas de prática, no daVinci não existe esse problema os instrumentos no visor seguem o movimento do cirurgião o que, consequentemente, reduz o tempo necessário para um jovem cirurgião desenvolver a técnica.

2. Sistema Cirurgico PRECEYES

O PRECEYES, como o próprio nome já diz, é um sistema de cirurgia robótica oftalmológica que visa aumentar a precisão da cirurgia durante o procedimento. Seu nome é um trocadilho das palavras precisão e olhos do inglês “precise” e “eyes”, respectivamente.

A cirurgia oftalmológica envolve a manipulação de estruturas de apenas alguns micrometros e, portanto, exige uma precisão que esta no limite da capacidade humana. Com o PRECEYES o cirurgião utiliza uma mão para operar o olho da forma tradicional e na outra, sua mão predominante, ele utiliza o PRECEYES. O sistema robótico de cirurgia possui um processador que reduz a amplitude dos movimentos da mão do cirurgião para escalas micrométricas e filtra os tremores involuntários eventuais que ele pode ter. Além disso, quando o cirurgião solta o instrumento ele permanece fixo naquela mesma posição o que permite que medicações possam ser administradas de uma forma muito mais precisa.

A precisão dos movimentos aumenta por um fator de até 20 vezes o que reduz o risco de complicações de cirurgias já estabelecidas e abre margem para o desenvolvimento de novas cirurgias. Atualmente, sua aplicação é na remoção da membrana epirretiniana -uma membrana fina fibrótica que se contrai, enrugando a retina interferindo na visão e na drenagem do acúmulo de sangue embaixo da retina devido a degeneração macular relacionada a idade.

3. Sistema MONARCH da Auris Health

O Sistema Monarch, aprovado pela FDA em março de 2018, consiste em um aparelho broncoscópico robótico controlado através de um controle análogo ao do seu videogame tradicional que movimenta o endoscópio robótico flexível pela árvore brônquica. O Monarch, além de proporcionar uma visão broncoscópica contínua, possui um sistema guia de navegação baseado em modelo 3D pulmonar individual daquele paciente.

Eric Davidson, o vice-presidente de vendas e marketing da Auris afirma que o sistema Monarch é o primeiro sistema de cirurgia robótica a integrar um endoscópio, instrumentos cirúrgicos, um sistema de navegação e a robótica em uma única plataforma e, dessa forma, realizar endoscopias da melhor maneira.  Além disso, Davidson estipula que a plataforma ainda será utilizada para o diagnóstico e terapêutica de diversas doenças mas que por enquanto sua principal aplicação é na detecção precoce do câncer de pulmão.

4. O Sistema MAKO Rio

O Sistema Mako oferece uma assistência robótica tanto no processo pré-operatório, durante o planejamento das cirurgias, quanto no próprio procedimento.  O Mako, atualmente, é utilizado em algumas cirurgias ortopédicas: artroplastia parcial e total do joelho e a artroplastia total do quadril. A plataforma robótica utiliza as informações provenientes das TCs para gerar um modelo 3D da estrutura óssea do paciente e, dessa forma, o cirurgião consegue planejar de forma mais precisa o procedimento. É possível, entretanto, que esse modelo precise ser atualizado durante a cirurgia.

O Dr. Steven Allsing, cirurgião ortopédico do Sharp Grossmont Hospital na Califórnia, afirma que com o MAKO é possível planejar a cirurgia com um grau de acurácia elevado o que permite ao cirurgião reproduzir a anatomia original do paciente respeitando o limite das estruturas adjacentes: os músculos, ligamentos e tendões. A partir disso Allsing afirma que há uma redução no tempo de recuperação do paciente, resultados melhores a longo prazo e redução desconforto pós-operatório.

5. Sistema Corpath da Corindus Technology aplicado a telecirurgia

A Cornidus Technology é uma empresa americana focada no desenvolvimento da robótica voltada a cirurgias cardiovasculares de alta precisão. Seu atual sistema mais promissor é o Sistema Corpath que possui braços robóticos de alta precisão associado a um sistema de realidade virtual. Recentemente, esse sistema foi utilizado para realizar o primeiro procedimento de telecirurgia em humanos.

A cirurgia em questão foi realizada na India pelo Dr Tejas Patel em cinco pacientes que estavam localizados a aproximadamente 32km de distância. A aplicabilidade dessa nova tecnologia torna-se extremamente útil especialmente em pacientes que estão em condições muito graves para serem transportados a longa distâncias ou em locais rurais onde um determinado profissional especialista possa estar em baixa oferta. Entretanto, é preciso salientar que essa tecnologia é altamente dependente de uma rede wifi de qualidade e que ainda é necessário que algum médico esteja presente próximo ao paciente caso surja complicações técnicas.

6. Hinotori da Medicaroid

Em 2020 o governo japonês aprovou o primeiro sistema de cirurgia robótica desenvolvido completamente no Japão. Em busca de uma autonomia nacional a Kawasaki entrou em parceria com a Systemex Corporation para criar o Hinotori. O nome Hinotori é uma homenagem ao mangá clássico japonês do mesmo nome que foi escrito por Osamu Tezuka, um médico. Atualmente, sua principal aplicação são nos procedimentos urológicos.

O sistema operacional robótico pode ser dividido em três componentes básicos: a Cabine do Cirurgião, a Unidade de Operação e a Unidade de Visão. A Cabine do cirurgião possui um design ergonômico que reduz o estresse físico sobre o cirurgião; a Unidade de Visão é acoplada a cabine e possui um visor 3D que garante a perspectiva de profundidade e a Unidade de Operação fica instalada a maca do paciente com os instrumentos cirúrgicos.

Gostou? Comenta abaixo se esqueci algum sistema.

 


Quer escrever?

Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 190 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!


 

Academia Médica
Matheus Scalzilli
Matheus Scalzilli Seguir

Estudante de medicina da Zona Oeste do Rio de Janeiro. "A ciência não é apenas compatível com a espiritualidade; é uma fonte profunda de espiritualidade" - Carl Sagan

Ler conteúdo completo
Indicados para você