{{ warning.message }} Ver detalhes
Post
Link
Pergunta
7 usos incríveis para impressoras 3D na medicina
[editar artigo]

7 usos incríveis para impressoras 3D na medicina

7 usos incríveis para impressoras 3D na medicina

Impressão tridimensional de células humanas e até de órgãos, incluindo o coração e fígado, podem parecer ficção científica. Pesquisadores reais, entretanto, estão levando este assunto a sério. Listamos 7 usos incríveis das impressoras 3D, que podem revolucionar a medicina.

7) Imprimir células tronco embrionárias humanas.

Printing human embryonic stem cellsCélulas tronco, essas células mágicas, podem desenvolver-se nos mais diversos tipos de tecido do corpo, agora podem ser  impressas, pelo menos em laboratório. No dia 5 de fevereiro de 2013, no jornal Science, pesquisas da Universidade de Edinburgh descrevem uma impressora baseada em válvulas que faz células tronco embrionárias humanas VIVAS. Essas células podem ser usadas para criar tecidos para testes farmacológicos ou crescer órgãos para transplante.

6) Imprimir vasos sanguíneos e tecido cardíaco.

Imprimir alguns tecidos já é uma realidade. Gabor Forgacs da Universidade de Missouri na Columbia e colegas imprimiram vasos sanguíneos e lâminas de tecidos que “batem” como um coração de verdade. O trabalho foi publicado em março de 2008 no jornal Tissue Engineering. Forgacs e colaboradores começaram uma companhia chamada Organovo para disponibilizar estes produtos para o mercado.

Um grupo na German Fraunhofer Institute também criou vasos sanguíneos, imprimindo moléculas biológicas artificiais com tinta 3D e recortando-as com laser.

Printing skin5) Imprimir pele.

Nos últimos 25 anos, temos visto grandes avanços na engenharia tecidual de pele, que pode ser usada para substituir pele lesada por queimaduras, doenças de pele entre outras causas. Recentemente, cientistas tem adotado pele impressa em 3D em seu repertório. Lothar Koch e colegas, do Laser Center Hannover na Alemanha imprimiram a laser células epiteliais, como foi relatado em setembro de 2010 no jornal Tissue Engeneering (Engenharia de Tecidos, em português) parte C, métodos.

4) Consertando um coração partido.

Pesquisadores estão trabalhando no desenvolvimento de um “conserta-coração” feito de células impressas em 3D que reparam corações partidos. Ralf Gaebel e seus colegas da Universidade de Rostok , na Alemanha construíram o reparador usando uma técnica computadorizada de impressora 3D a laser. Eles implantaram esse reparador feito de células humanas em corações de ratos que sofreram infarto do miocárdio, os corações de rato que foram reparados mostraram melhora na função. Os cientistas relataram o caso em dezembro de 2011 no jornal Biomaterials.

3) Imprimindo cartilagens e ossos

O sistema esquelético também se tornou um alvo popular nas pesquisas de impressão 3D de células. Em 2011, o mesmo grupo da Alemanha que criou enxertos de células-tronco que poderiam ser diferenciadas em ossos e cartilagens. O trabalho foi publicado em janeiro de 2011 no jornal Tissue Engineering(Engenharia de Tecidos) parte C, métodos.

2) Estudar câncer com células impressas

cancer cels

Imprimir células pode levar a melhores jeitos de estudar doenças em laboratório e desenvolver terapias. Por exemplo, um grupo de pesquisadores usou um sistema automatizado para imprimir células neoplásicas de ovário em um gel dentro de uma placa de Petri, onde as células podem crescer e ser estudadas. A proposta desta impressão possibilita aos cientistas estudar as células tumorais num ambiente mais sistemático (preciso) e usá-las para testar fármacos. O estudo, liderado pelo engenheiro biomédico Utkan Demirici, de Harvard University Medical School e Brigham and Women’s Hospital, foi publicado em fevereiro de 2011 no Biotechnology Journal.

1) Imprimir órgãos

580263_416031031849510_121498991_n

Podemos criar órgãos ao invés de transplantá-los? Essa foi a questão que o cirurgião Anthony Atala perguntou durante um TED talk em 2010, que se tornou viral. Dez anos atrás, Atala, que dirige o Wake Forest Institute for Regenerative Medicine, pegou células-tronco de um paciente com falência de bexiga, cresceu uma nova bexiga e transplantou no paciente. As pesquisas mais recentes de Atala estão focadas em órgãos impressos, e ele demonstrou em um experimento recente um transplante de rins.

Assista, logo abaixo, a apresentação do projeto de Anthony Atala no TED 2010, no qual ele e sua equipe demonstram a possibilidade da impressão de órgãos a partir de impressoras 3D

Fernando Carbonieri

Fernando Carbonieri

Inovação é sua forma de exercer a medicina. Em 2012 criou a Academia Médica, comunidade dedicada a "FALAR O QUE A FACULDADE ESQUECEU DE NOS CONTAR". Membro Comissão do Médico Jovem do CFM, Palestrante, Hacking Health Curitiba e Brasil

Fique informado sobre as novidades da comunidade
Cadastre-se aqui
Gostou desse artigo? Escreva o seu também!
Nova publicação

Artigos relacionados

Continue lendo!

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso
aos conteúdos exclusivos.

Entrar