[ editar artigo]

9 caminhos para aliviar a pressão sobre os Sistemas de Saúde

9 caminhos para aliviar a pressão sobre os Sistemas de Saúde

O fórum econômico mundial de 2019 demonstrou uma especial preocupação com os sistemas de saúde pelo mundo afora. O fenômeno da inflação exacerbada sobre a saúde não é um efeito observado apenas aqui no Brasil. 

Em algumas das empresas nas quais eu ou minhas empresas atuam, a preocupação sobre a sinistralidade da saúde é uma preocupação do corpo executivo, do RH e também da medicina do Trabalho. 

Ninguém mais aguenta pagar essa conta. Então, todos esses players que antes eram passivos a essa discussão começaram a se preocupar mais com a saúde populacional e os custos desse benefício, que é responsável por aproximadamente 12 a 14% dos gastos operacionais de grandes indústrias. E não para de aumentar.

Por esse motivo, trago a seguir os 9 caminhos publicados no World Economic Forum no dia 20 de Setembro. Aqui estão alguns caminhos que podem ajudá-lo a resolver alguns problemas em saúde populacional e saúde corporativa.

Basicamente esse caminho é traçado com colaboração mútua entre setores privados, grandes empresas e setor públic, assim como terceiro setor; tecnologia para adquirir, quantificar e dar inteligência a dados estruturados ou não; promoção de saúde; eficiência e responsabilidade. 

A seguir você vê o vídeo sobre as preocupações do WEF sobre o futuro da saúde.

1. Trabalhar em parcerias entre setores
Sozinhos os gestores de saúde não podem fornecer os melhores resultados possíveis para a população. As soluções para muitos de nossos desafios de saúde não serão encontradas no setor de saúde e não são apenas dos atores governamentais. Este último deve trabalhar entre setores e silos para abordar as atuais ineficiências e desigualdades nos sistemas de saúde.

2. Abordar os determinantes sociais da saúde
As condições nas quais as pessoas nascem, crescem, trabalham, vivem e envelhecem afetam sua saúde - como demonstrado mais recentemente pelo trabalho da Comissão de Determinantes Sociais da Saúde da Organização Mundial da Saúde. As agências de saúde nacionais e internacionais precisam se comprometer em atender às necessidades dos mais pobres e trabalhar em todos os níveis para oferecer acesso e qualidade iguais aos serviços de saúde.

3. Priorizar os esforços para alcançar e manter a cobertura universal de saúde
O acesso universal a serviços básicos, que possibilita boa saúde e garante que as pessoas não sejam empobrecidas por doenças, acidentes ou deficiências, é imperativo. Os tomadores de decisão devem garantir que as alocações orçamentárias sejam focadas em serviços de qualidade e que os recursos sejam distribuídos de maneira eficiente, eficaz e transparente.

4. Foco na promoção da saúde e prevenção de doenças
Muitas doenças poderiam ser evitadas, ou seu progresso desacelerado, com um foco maior na promoção da saúde e na prevenção de doenças, e combatendo pressões generalizadas que incentivam estilos de vida não saudáveis. Por exemplo, nutrição e exercícios adequados podem ajudar a reduzir ou controlar o diabetes e as doenças cardíacas, e uma boa política pode desencorajar os precursores alimentares dessas condições.

5. Fortalecer os serviços primários de saúde
Um forte setor de saúde primária aumenta o acesso aos serviços e ajuda as pessoas a se manterem saudáveis. Por exemplo, os cuidados primários de saúde podem fornecer imunização, atendimento pré-natal e gerenciamento de doenças crônicas, reduzindo assim as pressões no setor hospitalar e incentivando uma abordagem menos centrada no hospital para condições que não são agudas e / ou com risco de vida.

6. Capacitar as pessoas e suas comunidades
Os sistemas de saúde do futuro devem capacitar e envolver as pessoas e suas comunidades nos serviços de saúde, apoiando escolhas de estilos de vida saudáveis ​​e sendo sensíveis à cultura e costumes locais. Isso requer maior acesso para pessoas carentes e treinamento para profissionais de saúde que possam alcançá-los.

7. Promover soluções baseadas em tecnologia que colocam as pessoas em primeiro lugar
As soluções tecnológicas não fornecem uma solução rápida; eles precisam ser sustentáveis, acessíveis, relevantes localmente e projetados para atender às necessidades das pessoas. Conseguir isso exigirá uma mudança da aplicação fragmentada de tecnologias para plataformas que possam tirar proveito dos benefícios de tecnologias emergentes, como big data e análise, para melhorar os serviços de saúde e o acesso a eles.

8. Maximize a relação custo / benefício
Uma pergunta sempre a ser feita sobre gastos com saúde é: ela gera valor ao dinheiro? A otimização da “assistência baseada em valor” exige que os governos invistam em serviços e sistemas de saúde essenciais e otimize o impacto dessas decisões, garantindo que exista uma força de trabalho em saúde sustentável, qualificada e motivada.

9. Promover responsabilidade e engajamento
A falta de transparência e a atual fragmentação de muitos sistemas de saúde existentes apresentam desafios significativos. Existe uma clara necessidade de políticas e regulamentações aprimoradas, de medidas de equidade, eficiência e eficácia que possam monitorar o desempenho do sistema e uma ênfase em padrões e normas éticas para garantir a responsabilização e envolver todas as partes interessadas.

Como podemos observar, a costura entre stakeholders ainda distantes ainda deve ser feita. Falamos aqui não apenas entre corporações e outras pessoas jurídicas. Falamos entre empregadores e empregados, assim como um trabalho para que todos os envolvidos na saúde de um indivíduo sejam considerados. Estamos avançando muito. Hoje conecto 6 empresas diferentes em busca de entregar maior qualidade de vida às populações. A vida é breve e a arte é longa. Conecte-se com essas ideias para que possamos juntos, escrever momentos melhores para a saúde.;

Gostou desses pontos??? Deixe o seu comentário para ampliarmos esse debate! 

Referências:

Fernando Carbonieri é médico, consultor, fundador da Academia Médica, empreendedor serial em saúde, membro da comissão de integração do médico jovem no CFM  e leva o propósito de "devolver a criatividade para médicos e profissionais da saúde" em tudo o que faz. Pode ser encontrado pelo chat aqui do site, ou por @fernandocarbonieri pelo Linkedin ou Instagram

Academia Médica
Fernando Carbonieri
Fernando Carbonieri Seguir

Inovação é sua forma de exercer a medicina. Em 2012 criou a Academia Médica, comunidade dedicada a "FALAR O QUE A FACULDADE ESQUECEU CONTAR". Membro Comissão do Médico Jovem do CFM, especialista em Bioética

Ler matéria completa
Indicados para você