[ editar artigo]

A importância do olhar integral em tempos como hoje

A importância do olhar integral em tempos como hoje

Muitas vezes aprendemos na faculdade como tratar um AVC, um infarto, uma HDA, mas não escutamos, ou não temos tempo para aprender a enxergar aquele paciente que está na nossa frente como uma pessoa. 

Que também tem uma família, que também tem medos, inseguranças, que também tem um trabalho e que também é muito importante na vida de alguém.

Aprendemos a vasculhar sintomas, sinais que o corpo nos dá, em busca de uma disfunção orgânica, física e em como tratar esse sintoma ou doença. 

Mas, não aprendemos a vasculhar a fundo, os sentimentos ou talvez até a causa real daquele problema, que vai muito além apenas do físico...

Isso é ainda mais evidente em se tratando de uma doença crônica, por exemplo.

Ter um olhar cuidadoso, integral e humano sobre o nosso paciente, deveria ser uma premissa básica para se tornar um médico.

Como já dizia Carl Gustav Jung

"Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana seja apenas outra alma humana."

Com o atropelo das funções da vida diária e a demanda da própria profissão, muitas vezes acabamos criando um couraça que nos coloca distante daquele que está ali na nossa frente, e que é o real motivo de sermos médicos. Com o tempo, vamos esquecendo o real motivo de ter escolhido a medicina.

Faz sentido pra vocês?

Lidar com o sofrimento humano, não é fácil. É preciso também que o médico saiba da importância de cuidar da sua saúde mental para que seja capaz de cuidar do outro.

Em tempos como esse, que estamos vivendo, ter esse olhar integral e humano se faz ainda mais importante. Saber que, aquela pessoa que está ali, não é um diagnóstico, mas sim uma pessoa, com todas as suas nuances, medos e subjetividade que vão interferir na geração do processo saúde-doença e inclusive na condução do seu próprio tratamento.

Olhar um paciente como sendo composto dos diversos pilares que compõem o ser humano (corpo, mente e alma), nos permite ter uma ação muito mais acertada em relação ao seu tratamento e a promoção da sua saúde.

E consequentemente, dá sentido ao real motivo de ser médico.

Para finalizar a reflexão, deixo aqui uma outra citação que também gosto muito, do professor Abel Salazar:

O médico que só sabe de medicina, nem de medicina sabe.


 

Prepare-se para ampliar seu repertório cultural e se reconectar com as artes e a história!

Literatura, pintura, cinema, música, dança... como as artes e a história podem se relacionar com as ciências da saúde? E como isso pode transformar a sua vida pessoal e profissional?

Conhecer o passado vai te ajudar a entender melhor o momento em que estamos vivendo e a perceber como a história se repete!

 

Conheça o curso A Medicina e as Artes: uma introdução às Humanidades Médicas

 

 

Academia Médica
Ler conteúdo completo
Indicados para você