[ editar artigo]

A sabotagem do Governo Petista com Cuba e a necessidade de um serviço de inteligência na medicina Brasileira

A sabotagem do Governo Petista com Cuba e a necessidade de um serviço de inteligência na medicina Brasileira

Serviços de inteligência são setores cuja função é a coleta de informações essenciais para prevenir ameaças e direcionar ações ao Estado, empresa ou grupo de interesse. Um setor que aliado com a imaginação e os romances criou a famosa “espionagem”.

O popular imagina um serviço James Bond ou um Livro de Tom Clancy, mas vai além de um galanteador cheio de apetrechos ou um grupo de agentes enfurnados em uma sala cheia de computadores em clima de uma iminente guerra nuclear.

Cada planejamento, coleta de dados, análise, disseminação e contrainteligência produz uma rede de informações e ações que salvam vidas ou condenam a todos e mais que isso é um grande serviço intelectual que nos ajuda a progredir de forma real na sociedade.

Muito parecido com o ofício de médico. Coletar informações, processamento desses com o nosso vasto conhecimento para detectar e agir contra possíveis ameaças à vida do indivíduo e da sociedade.

Inclusive na ficção pode-se observar as características de um médico como agente da inteligência, um dos símbolos da inteligência na ficção, o detetive Sherlock Holmes, foi inspirado em um professor da faculdade de medicina que frequentou Sir Arthur Conan Doyle.

No Brasil o próprio Sherlock Holmes veria serviços de inteligência na medicina e diria ao seu fiel assistente e médico Dr. John Watson de forma sarcástica “Elementar”.

Ao observar a saúde publica e a perda do protagonismo do médico nas ultimas décadas há a conclusão de que existem erros de inteligencia em todas as partes.

E vem a necessidade de cobrança sobre os representantes da medicina, as associações de medicina, sociedades de especialidades e principalmente autarquias como o Conselho Federal de Medicina e os Conselhos Regionais de Medicina  a urgência da modernização do serviço de inteligência.

Não somente um serviço de cumprimento de burocracia(o que também é muito importante para manter a ordem em um país de modelo de leis baseado na ordenação filipina), mas como dito acima, um serviço com coleta de informações essenciais para detectar ameaças ao médico e para a saúde.

Em serviços de saúde pública o uso da inteligência é essencial, principalmente em tempos de maior complexidade do perfil epidemiológico em um país de nível continental e principalmente à guarda de um boa medicina extremamente tradicional no mundo.

Trabalhar com planejamento, coleta de dados, análise, disseminação e atuação  reais no lugar de discutir o sexo dos anjos em setores com cheiro de naftalina e miasma ideológico.

Um exemplo claro disso foi a divulgação de correspondências entre o Governo do PT e o governo cubano na contratação do “mais médicos” no ano de 2012 que veio a tona somente no final de 2018.

 As correspondências revelaram um conjunto de troca de mensagens que cada vez mais demonstra um esquema de corrupção bilionário entre dois governos de esquerda que uma proposta de saúde para o bem dos mais necessitados.

Não somente um plano de ganhar dinheiro fácil e propagar as ideias do Foro de São Paulo, mas também se observar o Gramscismo e o marxismo cultural vemos uma teia de vazamento de dados falsos, desmoralização e culpabilização dos médicos que aqui tanto sofrem.

Nossos representantes da medicina, o Itamaraty, a Organização Mundial da Saúde e as gestões petistas tem muito o que explicar à sociedade civil e aos médicos, mas temos que observar também é onde os médicos e a medicina brasileira erraram.

Uma verdadeira sabotagem atingiu os médicos e seus representantes que deixaram passar de forma escancarada informações e atos graves que hoje pagamos as consequências.

Onde estávamos quando tudo isso aconteceu? Fatos que todos nós sabíamos, foram espalhados em redes sociais como boatos não foram averiguados ou ao menos dignos de averiguações ? Esperamos que um jornal  depois de cinco anos revelar fatos?

Falta de estratégias de coleta de dados, falta de processamento de informação, letargia na hora de agir foram exemplos de como não foram aplicados corretamente a inteligência na medicina brasileira.

O que se não resolvido imediatamente, podem trazer consequências catastróficas, um “mais médicos parte 2”, a contínua desvalorização/desmoralização dos médicos, crise da cobertura vacinal, novas doenças no mapa epidemiológico nacional e até o risco de fraqueza em uma guerra biológica.

Um país de dimensões continentais com a saúde em ruínas, com um abismo social até entre os médicos e acabaremos abarrotados como meros “prestadores de serviço” com a mesma carga de responsabilidade imensa, serviços desvalorizados enquanto os “donos da informação” mandam e nós infelizmente obedecemos.

Em alternativa para um futuro menos sombrio há a opção dos médicos evoluírem com um sistema de inteligência adequado, proteção à segurança humana, politica e do bem estar social real.

Porque para pedirmos um Dry Martini batido e não mexido primeiramente temos que ganhar um título de Dr. 007.
 

 

 

 

Academia Médica
Henri Hajime Sato
Henri Hajime Sato Seguir

Médico, formado em medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos, curioso local e sempre existe alguma coisa errada no reino da Dinamarca.

Ler matéria completa
Indicados para você