[ editar artigo]

A solução está nas nossas mãos ?

A solução está nas nossas mãos ?

Hoje, lendo alguns artigos da Harvard Business Review, me deparei com uma leitura interessante sobre aplicativos voltados para área da saúde, de nome original Do Health Apps Really Make Us Healthier? E será que esses aplicativos, que vêm crescendo tanto em qualidade quanto em quantidade, realmente ajudam a nos deixar mais saudáveis?

Nos últimos anos, a evolução no setor de saúde, por meio da tecnologia é cada vez maior, principalmente no último ano, onde o mundo se viu obrigado a aceitar e mudar a forma que lidava com isso. De acordo com a Distrito, o primeiro trimestre de 2021 já acumulou US$ 91,7 milhões em investimentos para as healthtechs brasileiras, representando 85% do valor total acumulado em 2020.

Com essa tecnologia vieram os aplicativos e os chamados wereables (vestíveis), que possuem como finalidade a coleta de dados de vários aspectos do indivíduo, como sono, atividade física, níveis de glicose, entre outros. Eles até introduzem um novo nome para chamar esse movimento, o "Quantified Self" ou Autorrastreamento.

E toda essa ideia se baseia numa frase de Peter Drucker, considerado pai da gestão moderna: "O que pode ser medido, pode ser melhorado" .

O mix entre essa frase do Peter Drucker e os Apps/wereables veio contribuir para a Medicina Personalizada, que não é nenhuma novidade, já que vem sendo feito há muitos anos através do uso de informações pessoais, histórico médico e familiar, além de resultados de exames. A diferença é que hoje essa medicina está cada vez mais personalizada por ajuda de ferramentas como o Big Data, e é essa imensa quantidade de dados que vem sendo produzida nos últimos tempos. Será que os dados serão considerados o novo Petróleo ?

De acordo com Pedro Schestatsky no seu livro Medicina do Amanhã: "A expectativa é de que, num futuro próximo, os dados individuais sejam utilizados para guiar o paciente em suas decisões de saúde (Medicina Baseada em Fatos Reais), o que até então era feito apenas por meio de pesquisas e evidências extraídas de grande populações. "

Tudo isso que escrevi até aqui não fica só no campo do achismo. Foi realizado na Asia um estudo randomizado, que avaliou o estilo de vida das pessoas por 15 meses. Uma parte recebeu um aplicativo, outro grupo a versão Web do aplicativo e o grupo controle não tendo acesso a nenhum aplicativo. Ao final perceberam que o uso do aplicativo melhorou tanto as métrica de curto prazo, como nível de glicose e hemoglobina glicada, quanto as métricas de longo prazo, como diminuição de visitas ao hospital e despesas médicas. Outros pontos foram percebidos ao longo do estudo, que pode ser acessado na íntegra aqui

Acredito que nada adianta aplicativos, wereables e qualquer tecnologia, se não mudarmos nosso mindset primeiro, mas isso é uma conversa para outra hora. Eu utilizo alguns que foram importantes e me ajudaram na mudança drástica que fiz no meu estilo de vida. E por serem duas áreas (inovação e medicina do estilo de vida) que me interesso e enxergo um grande potencial, vou deixar aqui alguns exemplos de aplicativos que podem te auxiliar na busca da sua melhor versão.

Sono

  • SleepCycle: Fui olhar aqui e percebi que monitoro meu sono com esse aplicativo desde 2019. Você consegue só com o celular saber o tempo de sono, a regularidade, saber de ruídos como roncos e tosse (você até consegue escutar depois mas só na versão paga)
  • ​​​MiFit: coletam os dados através dos relógios da xiaomi, muito parecido com o SleepCycle, mas sem a função de detectar ruídos

Atividade física

  • Esse possui vários, desde apps que contam passos diários até os que contam exercícios específicos
  • Strava: Utilizado para monitorar exercícios, como corrida e ciclismo
  • MiFit: coletam os dados através dos relógios da xiaomi
  • Saúde: nativo do iPhone, conta os passos através do próprio aparelho

Hábitos

  • Notion/Roam: Aplicativos de notas onde você consegue criar um sistema personalizado e ter um controle maior dos seus hábitos, até uma visão geral da semana ou mês
  • Forest: Ajuda no foco, usado muito para estudos. Basicamente ele funciona como um pomodoro, que em seu momento de foco uma árvore vai crescendo e se você sair do aplicativo enquanto isso, por exemplo para olhar o instagram, a árvore morre e você tem que reiniciar a contagem.
  • Daylio Diario: Possibilidade de acompanhar o humor e atividade física, além de te mostrar de uma maneira visual facilitando o reconhecimento de padrões
  • Drink Water: Se você tem dificuldade de ficar lembrando de se hidratar, esse aplicativo te manda um notificação lembrando além de quantificar a quantidade que já foi ingerida e quanto falta para você chegar ao valor ideal de acordo com o peso

Manejo do Stress

  • ​​​​​​Insight Timer: Várias opções de meditação, seja guiada ou não, de várias durações, podendo se adequar a qualquer momento do dia.

 


Quer escrever?
Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 215 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!


 

Referências

  1. https://hbr.org/2021/05/do-health-apps-really-make-us-healthier
  2. Ghose, A., Guo, X., Li, B., & Dang, Y. (2021). Empowering patients using smart mobile health platforms: Evidence from a randomized field experiment. Forthcoming at MIS Quarterly. 

 

Academia Médica
Leticia Alves
Leticia Alves Seguir

Em processo de mudança constantemente ... No momento cultivando duas paixões recentes, tecnologia e estilo de vida.

Ler conteúdo completo
Indicados para você