{{ warning.message }} Ver detalhes
Post
Link
Pergunta
Aliviando (um pouco) o fardo das más notícias
[editar artigo]

Aliviando (um pouco) o fardo das más notícias

O protocolo SPIKES, desenvolvido por Robert Buckman (Breaking bad news: a guide for health care professionals. Baltimore: John Hopkins University Press, 1992) é uma das técnicas utilizada para o treinamento em “dar más notícias”. Ele se baseia em 6 passos, que encadeados sequencialmente possibilitam uma melhor compreensão entre as partes (médico-paciente/familiares), bem como aumento da empatia e conseguinte confiança no tratamento proposto.

S - setting up ("preparando")

É a preparação mental do médico para a conversa, buscando um ambiente o mais acolhedor possível, sem fatores de interrupção (celulares, demandas da equipe, etc). Avaliar adequadamente a situação do paciente (resultados de exames, tratamentos feitos), para uma explicação clara e completa do cenário, planejar a maneira como abordará as questões que poderão ser levantadas;

P - perception ("percepção")

Descobrir o que o paciente sabe, qual sua opinião e sentimentos sobre a doença. A partir do que for apresentado pelo paciente se desenvolverá a explicação médica. Muitas vezes o paciente vem de vários profissionais que abordaram a doença de maneiras distintas, causando grande confusão para o paciente. Cabe ao médico deixar que o paciente expresse exatamente o que entendeu, sem correções ou julgamentos;

I - invite ("convite") 

É o momento de introduzir que o tema da conversa não será bom, através de expressões que denotem a gravidade do quadro, bem como identificar, através de perguntas diretas (caso o paciente não tenha manifestado antes) o que o paciente deseja saber sobre sua doença. 

K - knowledge ("conhecimento")

A apresentação do problema, seja o diagnóstico de uma doença grave, a piora do quadro, falência do tratamento prévio, etc. Adequar sempre o linguajar à maneira que seja mais compreensível ao paciente. Olhar sempre nos olhos e evitar expressões faciais exageradas, manter a calma e serenidade;

E - emotions ("emoções") 

Ser empático com os sentimentos que o paciente expresse, tentando entender, através de questionamentos simples o que causou aquele sentimento. Toques corporais podem ser utilizados, como segurar as mãos, tocar o ombro, ou mesmo um abraço, a depender da receptividade do paciente. Tentar sempre esclarecer como o paciente sentiu-se com a notícia, antes de passar para o próximo passo;

S - strategy and summary ("estratégia e resumo") 

Após a compreensão dos sentimentos do paciente em relação à situação, apresentar sua proposta de cuidados para as próximas fases da doença. Fazer o paciente se sentir acolhido, mesmo diante da gravidade/complexidade/irreversibilidade do quadro. Demonstrar que ainda que os próximos passos não sejam curativos, nunca “não há nada para fazer”. Deixar claro que o paciente seguirá sendo acompanhado pela equipe, assim como reforçar a importância do seu bem-estar e das suas vontades nessa nova fase. 

Dar notícias ruins é sempre um momento delicado, tanto para o médico, que vivencia um momento de imensurável solidão ao perceber que o quadro clínico não é o que ele gostaria , quanto para o paciente, que pode expressar as mais diversas reações. Desta maneira, é importante estar bem preparado para dar o máximo suporte que o paciente imediatamente necessitará. 

 

Da curadoria: O livro citado no início desse texto, Breaking bad news: a guide for health care professionals, de Robert Buckman, está disponível na Amazon neste link

Gostou desse artigo? Achou o texto útil para sua atividade profissional? Comente abaixo sua opinião.

Quer compartilhar seus conhecimentos sobre a medicina também? Aqui na Academia Médica você tem espaço para isso. Clique em "Criar Novo" e comece a expandir horizontes! 

Naiara Costa Balderramas

Naiara Costa Balderramas

Médica formada pela UFPA, com Residência em Clínica Médica no HUJBB/PA e Oncologia Clínica no HUB/DF. Compus a diretoria da Associação Nacional de Médicos Residentes (ANMR) de 2013 a 2016. Sou membro da Comissão de Integração do Médico Jovem do CFM.

Fique informado sobre as novidades da comunidade
Cadastre-se aqui
Gostou desse artigo? Escreva o seu também!
Nova publicação

Artigos relacionados

Continue lendo!

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso
aos conteúdos exclusivos.

Entrar