[ editar artigo]

As crises são purificaddoras

As crises são purificaddoras

 

 por João Carlos Simões

“ Como estamos todos inseridos num inarredável sistema, a mudança de um fator afeta todos os demais fatores sistêmicos. Por isso, cada um é importante. Por ele pode passar a energia da grande mudança. Todos somos cada um. Todos, então, contamos e somos imprescindíveis.”

                                       ( Leonardo Boff)

O desejo de encontrar uma saída em meio a esse turbilhão de conflitos e desafios é a única forma de sairmos ilesos do processo de desmoralização que, todos nós médicos, estamos passando no Hospital Universitário Evangélico de Curitiba(HUEC) com as notícias dos fatos recentes envolvendo uma área específica do hospital que é o setor da UTI.

As mudanças exigidas são formidáveis, mas não impossíveis. Importa fazer como a célula: ela está em contínua interação com o meio, intercambia informações e troca energias para viver e se desenvolver. Assim, cada pessoa consciente é desafiada a fazer a sua revolução molecular, lá onde se encontra.

Todos são importantes e devem ser escutados: médicos, estudantes, funcionários, chefes de serviços e a Instituição.

Para se atingir esse desiderato é fundamental e tenho nítida convicção de que é preciso agregar o que foi desagregado, unir o que foi desunido, imantar os corações novamente em ações positivas e agregadoras entre todas as pessoas de boa vontade e sérias que trabalham humanamente e éticamente na nossa Instituição e no curso de Medicina da Faculdade Evangélica do Paraná.

Mas as crises são purificadoras, e do caos pode surgir uma nova ordem, mais alta e integradora.

 

João Carlos Simões - Médico Oncologista do HUEC e Professor Titular do curso de Medicina da FEPAR

Mais sobre o assunto: CARTA ABERTA DE UM INTERNO DO HUEC

Ler matéria completa
Indicados para você