Ato médico antes da Copa das Confederações
[editar artigo]

Ato médico antes da Copa das Confederações

Ato Médico antes da Copa das Confederações

A espera da realização da penúltima (após a sessão plenária ainda há a assinatura da Lei pela Presidente Dilma) etapa da regulamentação da lei do ATO MÉDICO, trazemos a nota publicada no site do CFM no dia 16 de janeiro. O Conselho espera que tenhamos nossa profissão regulamentada ainda no primeiro semestre deste ano.

Projeto de regulamentação da Medicina deve ser votado no Plenário do Senado ainda neste semestre

À espera de um acordo para a definição do texto final, o projeto de lei que regulamenta o exercício da medicina e estabelece as atividades privativas dos médicos deve ser votado no Plenário do Senado Federal ainda neste semestre. O substitutivo ao projeto (PLS 268/2002), de autoria da senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO), foi aprovado em dezembro pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS). O Projeto de Lei que estabelece quais são as atividades privativas dos médicos também obteve parecer favorável da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE). Nas duas Comissões, a aprovação ocorreu por unanimidade.

“A regulamentação da medicina foi aprovada garantindo o direito das profissões da área da saúde, não impondo restrições às atividades dos demais. Vamos continuar trabalhando em equipe para oferecer à população brasileira uma assistência de qualidade, seja nos postos de saúde ou nas unidades hospitalares”, avaliou Salomão Rodrigues, coordenador da Comissão Nacional de Regulamentação da Medicina do Conselho Federal de Medicina (CFM).

Conselheiro Salomão Rodrigues: a regulamentação foi aprovada garantindo-se o direito das demais profissões da área de saúde

Na análise da relatora Lúcia Vânia, o texto responde à demanda legítima da categoria médica de ter o campo de sua atuação definido legalmente e, ao mesmo tempo, não conflita com a área de atuação das demais categorias profissionais de saúde já regulamentadas. Outros parlamentares manifestaram apoio à matéria: o senador Cyro Miranda (PSDB-GO) recordou que o tema vem sendo debatido há mais de 10 anos no Congresso Nacional. Da mesma forma, o senador Paulo Davim (PV-RN) considerou falsa a ideia de que existiria uma “guerra santa” entre os diversos profissionais de saúde.

Das 14 profissões de saúde no País, a medicina é a única que ainda não tem o seu campo de atuação delimitado e regulamentado em documento legal. Apesar de ser profissão muito antiga, as leis que tratam de seu exercício não cuidam de determinar qual a área de atuação do médico nem quais as atividades que devem ser exercidas exclusivamente por médicos. O texto aprovado lista procedimentos que só poderão ser realizados por médicos, como a aplicação de anestesia geral, cirurgias, internações e altas. Também ficam restritos aos médicos diagnósticos de doenças e decisões sobre o tratamento do paciente.

Fonte: CFM

Fernando Carbonieri
Fernando Carbonieri Seguir

Inovação é sua forma de exercer a medicina. Em 2012 criou a Academia Médica, comunidade dedicada a "FALAR O QUE A FACULDADE ESQUECEU DE NOS CONTAR". Membro Comissão do Médico Jovem do CFM, Palestrante, Hacking Health Curitiba e Brasil

Continue lendo!

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso
aos conteúdos exclusivos.

Entrar
Indicados para você