[ editar artigo]

Atualização da Doença do vírus de Marburg

Atualização da   Doença do vírus de  Marburg

A doença de Marburg é uma patologia de família semelhante ao Ebola, e assim como sua parente africana, tem alta letalidade e infectividade. As informações a seguir são da Agência de Vigilância Epidemiológica do Mato Grosso do Sul, que traz informações relevantes sobre a possibilidade de um caso ativo em Campo Grande. Leia na íntegra:


Centro de Informações Estratégicas de  

Vigilância em Saúde (CIEVS-CG)

Atualização da  
Doença do vírus de  Marburg 

Conceito  

A doença do vírus de Marburg (MVD) é uma doença altamente infecciosa  que causa febre hemorrágica. Está na mesma família do vírus do Ebola.  Predomina-se no continente africano.  

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), em surtos anteriores  apresentou taxa de letalidade de até 88%. O diagnóstico clínico de MVD é  difícil de diferenciar de outras doenças febris devido às semelhanças nos  sintomas no início da doença, como vírus Ebola, malária, febre tifoide, leptospirose, infecção por riquetsiose e peste.  

O vírus foi identificado pela primeira vez em 1967 e em 2021, a OMS  confirmou surto da Doença do vírus de Marburg no sudoeste da Guiné,  incluído uma morte pelo vírus. Em 16 de setembro de 2021 foi decretado o  fim do surto. 

Sinais e sintomas  

A clínica da doença começa abruptamente, com febre alta, dor de cabeça  severa e mal-estar grave. As dores musculares são uma característica  comum. Já a diarreia severa, dor abdominal e cólicas, náuseas e vômitos  podem começar no terceiro dia. 

O aparecimento de pacientes nesta fase foi descrito como semelhantes a  “fantasmas”, olhos profundos, rostos sem expressão e letargia extrema.  

Muitos pacientes desenvolvem manifestações hemorrágicas graves den tro de 7 dias, e os casos fatais geralmente tem sangramento, muitas vezes  de múltiplas áreas. 

Transmissão do vírus  

 A infecção humana com a MVD resulta inicialmente da exposição prolon gada a minas ou cavernas habitadas por colônias de morcegos Rousettus.  

Uma vez que um indivíduo é infectado o vírus Marburg pode se espalhar  por transmissão humano-humano, por meio do contato direto (pele ou mu cosas) com o sangue, secreções, órgãos ou outros fluidos corporais de  pessoas infectadas, e com superfícies e materiais (roupas de cama, rou pas) contaminados com esses fluidos ou animais selvagens (macacos e  morcegos frugívoros).  

Não há caso de doença do vírus de Marburg registrado no Brasil 

Notificação  

O Ministério da Saúde recomenda que

todo caso suspeito de vírus Marburg seja notificado ao Centro de  Informações Estratégicas em Vigilância  em Saúde de Campo Grande – MS  

(CIEVS-CG)

Por se tratar de doença de notificação compulsória imediata, inusitada e de grave impacto na saúde pública, de acordo com a Portaria de  Consolidação GM/MS Nº 04 de outubro de 2017, atualizada pela Portaria Nº  1.061, de 18 de maio de 2020.  

Notificar de forma imediata, pacientes que apresentem os sinais e sin tomas. 

A notificação deve ser realizada por meio do telefone: 98405-8689  (somente para profissionais de saúde) e do preenchimento do Formulário de  Notificação Imediata de Doenças, Agravos e Eventos de Saúde Pública do  CIEVS-CG: 

<https://forms.office.com/r/6yJ92Aw8VL> 

Medidas de Prevenção  

  • Os profissionais de saúde que cuidam de pacientes suspeito ou confir mado devem aplicar precauções padrão e de prevenção e controle de  infecção com base na transmissão (IPC) para evitar qualquer exposição  a sangue e/ou fluidos corporais, bem como o contato desprotegido com  os agentes possivelmente contaminados no ambiente; 
  • O contato físico próximo deve ser evitado; 
  •  Qualquer suspeito deve ser imediatamente transferido para uma unida de de saúde para tratamento e isolamento; 
  • Manusear os animais selvagem com luvas e outras roupas de proteção  adequadas; 
  • Cozinhar bem os produtos de origem animal (sangue e carne) antes do  consumo e evitar o consumo de carne crua; 
  • Durante atividades de trabalho ou pesquisa ou visitas turísticas em mi nas ou cavernas habitadas por colônias de morcegos frugívoros, as pes soas devem usar luvas e outras roupas de proteção adequadas  (incluindo máscaras). 

Expediente:  

O Alerta emitido consiste na divulgação de informações sobre a ocorrência de eventos com potencial de risco à saúde com o objetivo de comunicar as áreas responsáveis e embasar mudanças de comportamentos ou a implementação de medidas. 

Prefeito de Campo Grande: Marcos Marcello Trad  

Secretário Municipal de Saúde Pública: José Mauro Pinto de Castro Filho 

Superintendência de Vigilância em Saúde: Veruska Lahdo 

Coordenação CIEVS-CG: Luciana Azevedo Fasciani Miziara 

Gerência Técnica Gestão da Resposta Coordenada:  Vanessa Coelho de Aquino Benjoino Ferraz 

Referência

Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS-CG) http://www.campogrande.ms.gov.br/sesau/downloads/alerta-no-02-2021-doenca-do-virus-de-marburg/

Leia mais

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você