{{ warning.message }} Ver detalhes
Post
Link
Pergunta
Brasileiros MD – Carlos Chagas
[editar artigo]

Brasileiros MD – Carlos Chagas

A biografia do mais Ilustre dos Médicos do Brasil é extremamente rica e merece o conhecimento não apenas de nós da classe médica, mas sim de todos os brasileiros. Infelizmente, eu sei, isso é querer demais da nação do jeitinho. Por inúmeros motivos ele é mais um Brasileiro M.D.

Carlos chagas é o que deveríamos ter de modelo e ideal de personificação para o nosso povo!

Carlos Chagas fez algo incomparável na história da medicina tropical. Em menos de um ano – entre o segundo semestre de 1908 e o primeiro de 1909 – ele descobriu e descreveu o ciclo completo de uma doença infecciosa: descobriu o Trypanosoma cruzi, identificou seu inseto hospedeiro (o barbeiro), e diagnosticou a doença que era causada por ele, a tripanossomíase americana – que ficou conhecida como mal de Chagas.

Esse feito, até o momento, jamais foi repetido na história da medicina mundial. Nunca, ninguém, além de Carlos Chagas, descreveu uma patologia por completo. Ele foi o primeiro e o único cientista na história da medicina a descrever completamente uma doença infecciosa: o patógeno, o vetor (Triatominae), os hospedeiros, as manifestações clínicas e a epidemiologia.

Carlos Chagas (1879-1934) nasceu em Oliveira, Minas Gerais no dia 9 de Julho de 1879, era filho do cafeicultor José Justino Chagas e Mariana Cândida Ribeiro de Castro. Carlos Ribeiro Justino Chagas, seu nome da batismo, ficou órfão de pai quando tinha quatro anos de idade.

Aos 18 anos, passou a cursar a Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, onde este mesmo tio trabalhava, em abril de 1897. Tal faculdade vivia uma “revolução pasteuriana“, pois havia adquirido as teses de Louis Pasteur e estava passando por um processo de renovação. Chagas, assim, também leva essas idéias adiante em seu trabalho. Ao longo do curso, dois professores exerceram grande influência em sua carreira: Miguel Couto, que apresentou a Chagas as noções e as práticas da clínica moderna e com quem passaria a ter uma estreita amizade; e Francisco Fajardo, que colocou Chagas no estudo de doenças tropicais, especialmente da malária, e que seria de grande importância para sua futura carreira. Assim, esses dois professores apresentaram os dois caminhos que se abriram para Chagas no decorrer de seu curso médico: a clínica e a pesquisa científica.

Concluído o curso, em 1902, para elaborar sua tese (pré-requisito para o exercício da medicina), dirigiu-se ao Instituto Soroterápico Federal, na fazenda de Manguinhos, levando uma carta de apresentação de seu professor, Miguel Couto, a Oswaldo Cruz, diretor do Instituto, onde teve seu primeiro contato com aquele que veio a trabalhar, ser seu grande mestre e tornar-se amigo.

Devido à tese de doutorado sobre a malária, em 1901 foi recrutado por  Oswaldo Cruz para missão de controlar a doença em Itaguatinga, interior de São Paulo, que atacava a maioria dos trabalhadores da Companhia Docas de Santos, que construía uma represa na região, causando a paralisação das obras. Assim, realizou a primeira ação bem-sucedida contra a malária no Brasil, colocando em prática procedimentos que mais tarde se tornariam corriqueiros nas outras campanhas.[1]

Segundo ele, para se impedir a propagação da doença em regiões em que não havia ações sistemáticas de saneamento, fazia-se necessário concentrar as medidas preventivas nos locais onde viviam os homens e os mosquitos infectados com o parasito da malária. Seguindo tal orientação, em cinco meses Chagas consegue debelar o surto da doença – fato que serviu de base para o efetivo combate à moléstia no mundo inteiro.

De volta ao Rio de Janeiro, Chagas continuou servindo a Diretoria Geral de Saúde Pública e, em 19 de março de 1906, transferiu-se para o Instituto Oswaldo Cruz. Foi solicitado, no ano seguinte, pela Diretoria Geral, a organizar o saneamento na Baixada Fluminense, onde estava acontecendo obras para a captação e bombeamento de água ao Rio de Janeiro. Junto com Arthur Neiva, seguiu para Xerém, e os resultados positivos que conseguiu nessa obra confirmaram a sua teoria da infecção domiciliar da malária.

Educador médico

Chagas acreditava que a ciência médica era sustentada por dois pilares: o primeiro defende uma estreita articulação entre o ensino e a pesquisa. O segundo dá importância de introduzir nos cursos de Medicina o estudo específico de doenças tropicais e o combate dos problemas de saúde pública brasileira, como malária, ancilostomose e tripanossomíase. Com isso, o país teria profissionais qualificados para tratar dos problemas sanitários.

Em 1925, o Ministério da Justiça e Negócios Exteriores promoveu a reforma na Educação brasileira, permitindo a Chagas pôr em prática o seu objetivo, criando a especialização em Higiene e Saúde Pública e a cadeira de Doenças Tropicais na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro no ensino médico oftalmologista.

Prêmios e títulos

  • 1912 –  Prêmio Schaudinn, cedido pelo Instituto de Moléstias Tropicais de Hamburgo, Alemanha.
  • 1921 – nomeado Artium Magistrum, Honoris Causa, da Universidade de Harvard, EUA;
  • 1923 – Prêmio Hors-concours, na Conferência Comemorativa sobre o Centenário de Louis Pasteur, em Estrasburgo, França,
  • 1925 o Prêmio Kummel, da Universidade de Hamburgo, Alemanha.
  • 1926, 1929 e 1934 outros títulos Honoris causa, vindos das universidades de Paris, de Lima e Livre de Bruxelas, respectivamente.
  • 1917 – diplomado na Universidade Nacional de Buenos Aires;
  • 1925- diplomado na Faculdade de Medicina da Universidade de Hamburgo;
  • 1932 – diplomado pela Cruz Vermelha Alemã,
  • pertenceu à Société de Patologie Exótique da França (em 1919), à Physicans Club of Chicago dos EUA (em1921), à Associação Médica Panamericana (em 1922), da Sociedade de Artes Médicas das Índias Orientais Neerlandesas(1924), à Academia de Medicina de New York e à Kaiserlich Deutsch Akademie de Naturforscher zur Halle (1926), à Real Sociedade de Medicina Tropical e Higiene de Londres (1928) e da Sociedade de Biologia de Buenos Aires e Academia de Medicina de Paris (1930).
  • Recebeu o título, em 1920, de Cavaleiro da Ordem da Coroa da Itália; em 1923 de Comendador da Coroa da Bélgica e deCavaleiro da Ordem Nacional da Legião de Honra da França; em 1924 o Grau de Oficial da Ordem de São Thiago, dePortugal; em 1925 o de Comendador da Ordem de Afonso XII, Espanha, em 1926 Comendador da Ordem de Isabel, a Católica da Espanha e em 1929 Cavaleiro da Ordem da Coroa da Romênia.
  • Carlos Chagas recebeu duas indicações para o Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia, embora não tenha sido laureado.

Por que ele não foi laureado com o Nobel?

É um pouco nebuloso o motivo pelo qual Carlos Chagas não foi agraciado com o maior Prêmio da Ciência Mundial. Algumas fontes afirmam que o médico brasileiro foi boicotado por inimigos políticos ou por ciúmes de outros médicos brasileiros. Outras afirmam que o fato de o Brasil fazer ciência à margem dos grandes centros foi definitivo para a não obtenção do Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia.

FONTES - HTTP://PT.WIKIPEDIA.ORG/WIKI/CARLOS_CHAGAS ; HTTP://WWW.E-BIOGRAFIAS.NET/CARLOS_CHAGAS/ ; HTTP://WWW.FIOCRUZ.BR/CHAGAS/MEDIA/CARLOS%20CHAGAS%20NAO%20RECEBEU%20O%20PREMIO%20NOBEL.PDF ; HTTP://WWW.JORNALDACIENCIA.ORG.BR/DETALHE.JSP?ID=62964
Fernando Carbonieri

Fernando Carbonieri

Inovação é sua forma de exercer a medicina. Em 2012 criou a Academia Médica, comunidade dedicada a "FALAR O QUE A FACULDADE ESQUECEU DE NOS CONTAR". Membro Comissão do Médico Jovem do CFM, Palestrante, Hacking Health Curitiba e Brasil

Fique informado sobre as novidades da comunidade
Cadastre-se aqui
Gostou desse artigo? Escreva o seu também!
Nova publicação

Artigos relacionados

Continue lendo!

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso
aos conteúdos exclusivos.

Entrar