Brasileiros MD - Miguel Nicolelis
[editar artigo]

Brasileiros MD - Miguel Nicolelis

Brasileiros MD - Miguel Nicolelis

Apresentamos Miguel Nicolelis:

Imagine alguém que tenha como objetivo de vida fazer um tetraplégico andar novamente, ou melhor, proporcionar que esse tetraplégico dê o pontapé inicial da Copa do Mundo do Brasil em 2014! Chamá-lo de louco seria a reação mais provável daqueles que não veem a ciência como resposta aos "defeitos" da vida humana.

Miguel Nicolelis, ao que tudo indica, será  o primeiro brasileiro a obter um Nobel de Medicina. Suas pesquisas o levaram a um patamar que beira ao abstrato, mas completamente real: Nicolelis é considerado um dos 20 cientistas mais influentes da década passada (Revista Scientific American). É o primeiro cientista a receber da instituição americana, no mesmo ano, o Pioneer e o Transformative R01 e o primeiro brasileiro a ter um artigo publicado na capa da revista Science.

Ou seja, o Dr. Miguel Nicolelis é um verdadeiro heroi nacional e deveria ter o reconhecimento de toda a classe acadêmica como tal. Com esse objetivo, tentaremos aqui, em poucas palavras, expor o porquê ele merece toda essa reverência e reconhecimento.

Por que Miguel Nicolelis?

A seguir você pode assistir a uma palestra (em português) do Dr. Nicolelis no Google Think Infinite 2012, na qual ele explica objetivamente a Interface Cérebro-Máquina, sua principal linha de pesquisa.

Leia o artigo na íntegra, que foi capa da Scientific American na edição de Setembro de 2012, clicando na imagem abaixo. Nesse artigo você poderá ver também o longo caminho que foi trilhado até o momento para que as pesquisas em neurociência e próteses controladas mentalmente pudessem chegar a esse patamar atual.

Além das pesquisas envolvendo a parte motora, as pesquisas do Dr. Nicolelis demonstram avanços significativos na percepção sensorial. Em uma outra linha de pesquisa, ele e sua equipe conseguiram que, através de um avatar, macacos pudessem sentir a textura de determinados objetos virtuais. Clique em TEDMED 2012 para assistir à sua palestra.

Nicolelis também é um idealista que, diferente de muitos com essa característica, ele tranforma o ideal em realidade:

Em 23 de Novembro de 2010, Nicolelis divulgou um documento de sua autoria intitulado Manifesto da ciência Tropical: um novo paradigma para o uso democrático da ciência como agente efetivo de transformação social e econômica no Brasil. Nele, sugere que o Brasil encontra-se diante de uma oportunidade única de potencializar seu desenvolvimento científico e educacional, através da cooperação entre ambos, e propõe quinze medidas necessárias para o país firmar-se como uma liderança mundial na produção e uso democratizante do conhecimento. O documento repete a ênfase na descentralização da produção científica e na aproximação entre pesquisa e escola, seguindo o exemplo do Instituto Internacional de Neurociências de Natal.

É hora da ciência brasileira assumir definitivamente um compromisso mais central perante toda a sociedade e oferecer o seu poder criativo e capacidade de inovação para erradicar a miséria, revolucionar a educação e construir uma sociedade justa e verdadeiramente inclusiva.
É hora de agarrar com todas as forças a oportunidade de contribuir para a construção da nação que sonhamos um dia ter, mas que por muitas décadas pareceu escapar pelos vãos dos nossos dedos.
É hora de aproveitar este momento histórico e transformar o Brasil, por meio da prática cotidiana do sonho, da democracia e da criação científica, num exemplo de nação e sociedade, capaz de prover a felicidade de todos os seus cidadãos e contribuir para o futuro da humanidade." - Miguel Nicolelis em "Manifesto da Ciência Tropical: um novo paradigma para o uso democrático da ciência como agente efetivo de transformação social e econômica no Brasil"

Este documento deveria ter a mesma ênfase e peso que teve o manifesto antropofágico do movimento modernista da Semana de Arte Moderna de 1922, idealizado por Oswald de Andrade. Naquele momento, tal ideologia mudou a forma de fazer arte no nosso país. Atualmente, há a necessidade de quebrar os paradigmas da ciência nacional e, assim, mudarmos toda nossa sociedade através da Ciência.

As 15 metas por ele propostas são:

1) Massificação da educação científica infanto-juvenil por todo o território nacional;

2) Criação de centros nacionais de formação de professores de Ciência;

3) Criação da carreira de pesquisador científico em tempo integral nas universidades federais;

4) Criação de 16 Institutos Brasileiros de Tecnologia espalhados pelo país;

5) Criação de 16 Cidades da Ciência;

6) Criação de um arco contínuo de Unidades de Conservação e Pesquisa da Biosfera da Amazônia;

7) Criação de oito “Cidades Marítimas” ao longo da costa brasileira;

8) Retomada e Expansão do Programa Espacial Brasileiro;

9) Criação de um Programa Nacional de Iniciação Científica;

10) Investimento de 4-5% do PIB em ações de ciência e tecnologia na próxima década;

11) Reorganização das agências federais de fomento à pesquisa;

12) Criação de joint ventures para produção de insumos e materiais de consumo para prática científica dentro do Brasil;

13) Criação do Banco do Cérebro;

14) Ampliação e incentivo a bolsas de doutorado e pós-doutorado dentro e fora do Brasil;

15) Recrutamento de pesquisadores e professores estrangeiros dispostos a se radicar no Brasil.

Clique aqui para ler o Manifesto da ciência Tropical na íntegra.

Miguel Nicolelis, em conjunto com Sidarta Ribeiro e Claudio Melo, criou, em 2003, o Instituto Internacional de Neurociências de Natal - Edmond e Lily Safra (IINN - ELS)  - em Natal. Faz parte do instituto o "Campus do Cérebro" localizado no município de Macaíba - um centro de pesquisa e desenvolvimento da neurociência. O instituto é mantido pela fundação SAFRA e pela Associação Alberto Santos Dumont para Apoio à Pesquisa. O IINN-ELS tem como um de seus objetivos permitir o retorno de cientistas brasileiros ao país e criar um ambiente de favorecimento para a vinda de estrangeiros com base em critérios definidos internamente pelos gestores da Instituição. Além do Instituto de Neurociências em si (representado pelos laboratórios de pesquisa), o projeto do complexo do IINN-ELS inclui uma escola modelo para as comunidades carentes de Natal e Macaíba, com uma maternidade voltada para a comunidade local.

*Miguel Nicolelis, médico e Doutor em Fisiologia pela FMUSP é Professor de Neurobiologia e Co-Diretor do Centro de Neuroengenharia da Duke University (EUA) e Coordenador do Instituto Internacional de Neurociências de Natal-Edmond e Lily Safra (Brasil), fala sobre como nosso país tem a chance de criar e ser o líder de uma nova indústria, usando a ciência, seus recursos naturais e seu talento humano, criando uma economia do século XXI.

 

 

Fernando Carbonieri
Fernando Carbonieri Seguir

Inovação é sua forma de exercer a medicina. Em 2012 criou a Academia Médica, comunidade dedicada a "FALAR O QUE A FACULDADE ESQUECEU DE NOS CONTAR". Membro Comissão do Médico Jovem do CFM, Palestrante, Hacking Health Curitiba e Brasil

Continue lendo!

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso
aos conteúdos exclusivos.

Entrar
Indicados para você