[ editar artigo]

Efeitos do lockdown no estilo de vida de crianças com obesidade

Efeitos do lockdown no estilo de vida de crianças com obesidade

As medidas de lockdown foram adotadas para conter o avanço da Covid-19 na Itália. Sendo assim, todas as escolas tiveram suas aulas interrompidas e seus alunos ficaram em casa.

Um estudo que foi realizado na cidade de Verona demonstrou alguns resultados preocupantes sobre os efeitos que as medidas de lockdown surtiram em crianças e adolescentes em situação de obesidade. [1]

Estudos prévios demonstraram que no período de férias escolares há maior dificuldade no controle do peso por parte dos pacientes. [2] Outros autores postularam também que, durante o confinamento, as famílias estocavam alimentos ultraprocessados e ricos em calorias, uma hipótese fortemente corroborada por observações recentes do mundo real. [3]

A pesquisa demonstrou que o lockdown exacerbou os fatores de risco para ganho de peso associados às férias escolares, como: comportamentos alimentares inadequados, pouca atividade física e baixa qualidade de sono. Essas mudanças em uma direção desfavorável ocorreram após três semanas de confinamento durante o bloqueio nacional.

Tais achados apontam para a necessidade crítica de implementação de medidas preventivas durante os períodos de lockdown, principalmente quando sua duração é incerta.

As medidas podem incluir:

  1. Implementação de programas de estilo de vida por telemedicina,

  2. Médicos podem oferecer orientações incentivando as famílias a manterem escolhas de estilo de vida saudáveis e,

  3. Instalações podem ser projetadas para a implementação de programas de exercícios que minimizam a transmissão viral.

Os autores concluem o estudo com a seguinte reflexão:

“A pandemia da COVID-19 tem efeitos colaterais que se estendem além da infecção viral direta. Crianças e adolescentes que lutam contra a obesidade são colocados em uma posição infeliz de isolamento que parece criar um ambiente desfavorável para a manutenção de comportamentos saudáveis.”

Levar em consideração os achados deste estudo e adaptá-los à realidade da prática clínica brasileira deve ser uma ordem de prioridade. Além dos efeitos do lockdown, há uma grande disparidade socioeconômica no país e nos atentar para as peculiaridades de cada paciente deve ser o norte para tratarmos as crianças e adolescentes que lutam para controlar o ganho de peso e levar uma vida mais saudável.

 

Texto elaborado por Diego Arthur Castro Cabral.

 


Quer escrever?
Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 175 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!


 

Referências

1. Pietrobelli A, Pecoraro L, Ferruzzi A, Heo M, Faith M, Zoller T, et al. Effects of COVID-19 Lockdown on Lifestyle Behaviors in Children with Obesity Living in Verona, Italy: A Longitudinal Study. Obesity n.d.;n/a. https://doi.org/10.1002/oby.22861.

2. von Hippel PT, Powell B, Downey DB, Rowland NJ. The effect of school on overweight in childhood: Gain in body mass index during the school year and during summer vacation. Am J Public Health 2007;97(4):696-702.

3. Creswell J. 'I just need the comfort’: Processed foods make a pandemic comeback. New York: The New York Times; April 7, 2020:[Available from: https://www.nytimes.com/2020/04/07/business/coronavirus-processed-foods.html 

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você