[ editar artigo]

Impacto da pandemia pelo SARS-CoV-2 na doação de sangue

Impacto da pandemia pelo SARS-CoV-2 na doação de sangue

Com a intenção de promover a doação de sangue, em junho celebra-se a campanha Junho Vermelho em todo o país. A escolha por esse mês deve-se ao fato de ser o momento do ano em que há menor comparecimento de doadores pela coincidência da época com as férias escolares, quando muitas famílias decidem viajar. Uma outra razão para que isso ocorra tem bases climáticas: junho é um mês de inverno, período propício para aumento de infecções respiratórias.

Nesse sentido, a infecção pelo Novo Coronavírus (SARS-CoV-2), o causador da COVID-19, resultou na redução do comparecimento de doadores aos bancos de sangue no ano de 2020.

Redução da doação de sangue no mundo

Em estudo realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Zhejiang, na China, país no qual a pandemia pelo novo coronavírus se iniciou, observou-se que o número de doadores em 2020 caiu para um terço da quantidade correspondente a 2019 quando analisado o mesmo período: o ano novo chinês. Esse feriado dura 7 dias e, no calendário gregoriano, condiz com o final de janeiro e início de fevereiro, variando a cada ano. Assim, esse estudo chamou a atenção para o risco de escassez de sangue nos hemocentros como consequência da pandemia.

Na região da Apulia, na Itália, país em que a pandemia se manifestou de forma grave nos primeiros meses de 2020, houve uma redução de quase 50% em relação a 2019 nas doações de sangue ao final de março e início de abril, quando o número de casos cresceu exponencialmente na região. Uma redução ainda mais significativa foi encontrada no distrito de Dehradun, na Índia. Apesar das ações do National Blood Transfusion Council (NBTC) incentivando a doação durante o período de bloqueio, foi identificada uma queda de 64% nas coletas de sangue em relação ao período pré-pandêmico.

Procurando reverter e evitar o risco de escassez de hemocomponentes, alguns hemocentros adotaram medidas que promoviam o espírito solidário e aumentavam a captação de doadores. Foi o caso da Organização Iraniana de Transfusão de Sangue. As ações incluíam cancelamento de cirurgias eletivas, criação de um sistema on-line para monitorar os estoques de sangue, distribuição de EPI aos funcionários de banco de sangue e doadores, distanciamento das cadeiras nas salas de espera, aumento da desinfecção em superfícies de contato, agendamento das doações, havendo mais disponibilidade de horário, além de divulgação, por redes sociais, de todas essas medidas adotadas.

De forma semelhante, as ações de proteção em um banco de sangue de Hong Kong, na China, foram o uso de máscara facial durante toda a permanência no local, aferição da temperatura e aplicação de álcool nas mãos. Além disso, não era permitida a entrada se o doador tivesse histórico de viagem ou de contato com casos confirmados ou suspeitos, com quaisquer sintomas

Redução da doação de sangue em Minas Gerais

Em 8 de março de 2020, Minas Gerais teve seu primeiro caso de COVID-19 confirmado em paciente com histórico de viagem recente à Itália. No dia 17 do mesmo mês, o estado foi declarado área de transmissão comunitária.

A Fundação Hemominas é uma instituição pública brasileira formada por diversos Hemocentros responsáveis por mais de 95% da cobertura hemoterapêutica do estado de Minas Gerais. Com 22 centros de coleta de sangue, ela atua em todas as macrorregiões do estado. Em 2019, recebeu 348 158 candidatos a doadores de sangue e produziu aproximadamente 825 mil hemocomponentes, enquanto em 2020, houve redução do comparecimento de doadores de sangue desde o aumento de casos de COVID-19 no Brasil.

Desde março de 2020, mês em que ocorreu o primeiro relato de infecção por SARS-CoV-2 em Minas Gerais, a Fundação Hemominas notificou uma redução de 15,30% no comparecimento de doadores em comparação com a média dos 4 anos anteriores. Por outro lado, a taxa de retorno de doadores aumentou em 5,34% quando a mesma análise foi feita.

Quando observado o mês de junho, a taxa de doadores de sangue reduziu em 17,73% e o comparecimento de doadores de retorno aumento em 5,12%. Como consequência, ainda nesse mesmo mês, a produção de hemocomponentes caiu em 9,56%. Essa queda em março correspondeu a 16,59%, ou seja, quase o dobro da redução em junho, demonstrando melhor otimização dos estoques de sangue pela Fundação Hemominas com o passar da pandemia.

De maneira similar à realizada nos hemocentros de outros países, a Fundação Hemominas adotou medidas para aumentar a doação. Entre elas, destaca-se o recrutamento ativo de dadores de sangue, o funcionamento de bancos de sangue em horários alternativos, o contato com doadores de sangue via celular e envio de mensagens para recrutamento e confirmação de comparecimento e o aumento do recrutamento hospitalar de doadores de sangue. Concomitantemente, as campanhas que alertavam quanto à necessidade de sangue e reforçavam a baixa probabilidade de transmissão do SARS-CoV-2 nos hemocentros foram divulgadas em diferentes mídias, incluindo redes sociais.

Redução da doação de sangue em Juiz de Fora

Na cidade mineira de Juiz de Fora, o primeiro caso de infecção pelo SARS-CoV-2 foi confirmado no dia 14 de março de 2020.

Nesse mesmo mês, a Fundação Hemominas da cidade (JFO) teve uma redução de 17,09% no comparecimento de doadores, queda essa que se acentuou em junho, atingindo o valor 32,26%. Entretanto, a produção de hemocomponentes seguiu o caminho inverso: enquanto em março foi observada uma diminuição de 4,80%, em junho essa produção aumentou em 2,92% em relação à média dos anos de 2016-19. Isso pode ser explicado pelo envio para Juiz de Fora de sangue coletado por outras unidades da Hemominas, o que mostra a vantagem de trabalhar em uma rede de cooperação, principalmente para enfrentar situações críticas.

Ainda assim, a JFO foi a única entre as outras unidades da Fundação Hemominas em que se evidenciou a redução no comparecimento de doadores de repetição nos meses de maio e junho de 2020 apesar das medidas supracitadas. Tendo em vista esse fato e a elevada redução de voluntários à doação em junho, mês importante no qual os hemocentros normalmente evidenciam um desfalque nos estoques, a Hemoliga (Liga Acadêmica de Hematologia de Juiz de Fora, que conta om a participação de alunos das três instituições de medicina da cidade) formulou o projeto intitulado “Amigo de Sangue”.

O projeto Amigo de Sangue

Criado em março de 2021, o projeto “Amigo de Sangue” tem por objetivo imediato ampliar o número de doadores que comparecem ao hemocentro regional de Juiz de Fora, tendo em vista a importância da cidade em manter, de modo efetivo, a demanda dos 57 hospitais atendidos pela JFO.

Outra finalidade é a conscientização quanto a esse ato solidário. Ao divulgar informações no Instagram do projeto (@projetoamigodesangue) sobre a doação de sangue e seus diversos aspectos (etapas do processo, mitos e verdades que o envolvem, quem pode doar e curiosidades históricas), intenciona-se que a população não só se torne doadora, mas também uma multiplicadora e agente divulgadora do conhecimento.

Desse modo, deseja-se multiplicar na sociedade os amigos de sangue, pessoas que carregam a solidariedade como guia orientadora de ações que vão ao encontro da doação.

Referências

  1. Academia Médica. Mídias Sociais e Captação de doadores de sangue na era digital. Available from: URL: https://academiamedica.com.br/blog/midias-sociais-e-captacao-de-doadores-de-sangue-na-era-digital. Accessed June 1, 2021.
  2. Grandone E, Mastroianno M, Caroli A, Ostuni A. Blood supply and transfusion support in southern Italy: findings during the first four weeks of the SARS-CoV-2 pandemic. Blood Transfus 2020;18:230-2.
  3. Leung JNS, Lee CK. Impact of the COVID-19 – the first two months in a regional blood center. Transfusion Today 2020;123:26-7.
  4. Mohammadi S, Tabatabaei Yazdi SM, Eshghi P, Norooznezhad AH. Coronavirus disease 2019 (COVID-19) and decrease in blood donation: experience of Iranian Blood Transfusion Organization (IBTO). Vox Sang 2020;115:595-6.
  5. Raturi M, Kusum A. The blood supply management amid the COVID-19 outbreak. Transfus Clin Biol 2020;27:147-51.
  6. Secretaria de Saúde de Minas Gerais. Junho Vermelho: a importância da doação de sangue em tempos de pandemia. Available from: URL: https://www.saude.mg.gov.br/hpv/story/12910-junho-vermelho-a-importancia-da-doacao-de-sangue-em-tempos-de-pandemia. Accessed June 1, 2021.
  7. Silva-Malta MCF, Rodrigues DOW, Chaves DG, Magalhães NNS, Ribeiro MA, Cioffi JGM, Martins ML. Impact of COVID-19 in the attendance of blood donors and production on a Brazilian Blood Centres. Transfus Med 2020. doi: 10.1111/tme.12733.
  8. Wang Y, Han W, Pan L, Wang C, Liu Y, Hu W, Zhou H, Zheng X. Impact of COVID-19 on blood centres in Zhejiang province China. Vox Sang 2020;115:502-6.

 

Academia Médica
Nathalia Noyma Sampaio Magalhães
Nathalia Noyma Sampaio Magalhães Seguir

Estudante do 3o ano do curso de medicina na Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora (Suprema).

Ler conteúdo completo
Indicados para você