[ editar artigo]

Mamães médicas - a solução para os seus problemas está aqui (literalmente)!

Mamães médicas - a solução para os seus problemas está aqui (literalmente)!

As mulheres vêm desempenhando um papel fundamental há muito tempo, infelizmente há pouco tempo que elas vêm ganhando o respeito e o espaço que também merecem.

Apesar de estarem conquistando o respeito, ainda recai sobre elas muitas das tarefas que historicamente “são das mulheres” como levar os filhos para a escola, cuidar da casa e dos filhos, causando muitas vezes uma sobrecarga para elas.

Pensando nisso, a revista Mayo Clinic Proceedings lançou uma revisão com o tema, em tradução livre: “Desafios e soluções para as mães médicas: uma revisão crítica da literatura”.

Um tema bem curioso, não? Então leia esse artigo e entenda o assunto tratado nesse documento,publicado no dia  08 de abril de 2021. Boa leitura!.

 

Quais são os desafios enfrentados pelas mamães médicas?

Desafios como planejamento familiar, gravidez, cuidado com crianças, integração entre vida e trabalho, iniquidades no serviço e na sociedade e vieses, tudo isso pode implicar situações difíceis de serem enfrentadas.

Como foi elaborado o estudo?

Foram feitas pesquisas em bases de dados como PubMed, CINAHL, EBSCO MegaFILE e APA PsycInfo on Ovid de janeiro de 2008 a 31 de dezembro de 2018. 

Foram analisados os temas de desafios por nível de influência (individual, organizacional, sistema de saúde e sociedade). As abordagens como soluções foram separadas por abordagem e intervenção.

 

O que baseia o estudo?

O número de mulheres médicas tem aumentado bastante nos últimos anos de 16.9% em 1990 para 35.8% em 2018 nos Estados Unidos. Além disso, o número de mulheres matriculadas nas universidades americanas para medicina aumentou acima do número de homens. Devido a isso, cabe cada vez mais abordar sob o olhar da ciência os problemas e possíveis soluções para os desafios a serem enfrentados.

 

Qual a preocupação?

Uma vez reconhecido que existe uma pressão maior no gênero feminino uma vez que mulheres possuem mais responsabilidades domésticas que os homens, além disso a discriminação associada pode aumentar as taxas de burnouts nas médicas. E incríveis mais de um terço das mães médicas já sofreram discriminação pela licença maternidade, gravidez ou então amamentação no ambiente de trabalho.

Muitas mulheres deixam a gravidez para depois que terminam o treinamento médico devido às ameaças percebidas à sua carreira, e isso está associado com maiores taxas de infertilidade comparada à população em geral, assim como menores taxas de satisfação de carreira.
 

Tabela com os problemas e possíveis soluções propostas pelos pesquisadores

 

Para analisar a metodologia completa, todos os problemas e ramificações identificados na literatura, assim como algumas recomendações de soluções, acesse o documento completo disponível aqui.

 

Dado todo esse contexto, justifica-se haver um estudo assim, não é? 

O que você pensa sobre isso? Gostou do tema? Comente no espaço abaixo.

 


Escrito por Yan Kubiak Canquerino - Colaborador da Academia Médica


Referência

https://doi.org/10.1016/j.mayocp.2020.10.008. Acesso em: 25/06/2021

 

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você