[ editar artigo]

Naltrexona de liberação prolongada reduz o consumo de álcool

Naltrexona de liberação prolongada reduz o consumo de álcool

Morton Jellinek reestruturou a definição de alcoolismo, e o que antes era visto com glamour, passou a ser classificado como doença, o que gerou uma noção de repercussão negativa. Jellinek definiu o etilista como todo indivíduo cujo consumo de bebidas alcoólicas pudesse prejudicar a si próprio, a sociedade ou a ambos.

Atualmente, a Organização Mundial de Saúde (OMS) define o etilista como um consumidor excessivo de bebidas alcoólicas, cuja dependência em relação ao álcool é acompanhada de perturbações mentais, da saúde física, da relação com os outros e do seu comportamento social e econômico. Desde então, o tratamento do alcoolismo e de sua abstinência é tema importante entre os médicos psiquiatras. 

A naltrexona, análogo sintético da oximorfona, é utilizado em casos de dependência do álcool. Basicamente, esse fármaco atua no Sistema Nervoso Central (SNC) diminuindo a vontade de consumir álcool fazendo com que o indivíduo sinta menos prazer nesse ato.

Uma recente revisão sistemática avaliou um total de 1.500 adultos com transtorno do alcoolismo. Esses pacientes receberam injeções mensais de placebo ou naltrexona de liberação prolongada em doses que variavam de 150-400 mg por 2-6 meses, além de alguma forma de terapia comportamental. O objetivo foi estimar os efeitos da naltrexona de liberação prolongada em comparação ao placebo no que diz respeito ao consumo de álcool e ao quadro de abstinência inicial.

Os resultados iniciais apontaram que o tratamento com a naltrexona reduziu, em dois dias, o consumo de álcool por mês e 1,2 dias a menos de consumo excessivo de álcool por mês em comparação ao placebo. Além disso, os ensaios que não exigiram abstinência inicial e aqueles com duração superior a 3 meses, relataram maiores reduções nos dias de consumo excessivo de álcool por mês.

Sendo assim, a naltrexona de liberação prolongada reduz os dias de consumo e os dias de consumo excessivo por mês em comparação com o placebo. As reduções são maiores com uma maior duração do tratamento. Esses resultados são animadores pois com a pandemia vimos um aumento expressivo no consumo de álcool na população em geral e essa terapia de liberação prolongada facilita o tratamento dessas pessoas.

Conteúdo relacionado

 


Quer escrever?

Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 215 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!


Referências

1. Murphy CE, Wang RC, Montoy JC, Whittaker E, Raven M. Effect of Extended‐Release Naltrexone on Alcohol Consumption: A Systematic Review and Meta‐analysis. Addiction [Internet]. 2021 May 25 [cited 2021 Sep 22]; Available from: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/add.15572 ‌

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você