[ editar artigo]

No paraíso, o inferno: uma reflexão sobre a pseudociência

No paraíso, o inferno: uma reflexão sobre a pseudociência

Ufa, o longo semestre chega ao fim! Chega de provas, trabalhos e seminários. É hora de curtir as tão merecidas férias no paraíso do lar.  

Para relaxar, enveredo pela obra de Carl Sagan, astrônomo e divulgador científico. Em seu livro ‘’O mundo assombrado pelos demônios", ele ilustra que o maligno não possuía tridente, não estava imerso em fogo e enxofre, tampouco no inferno, mas sim na desinformação, no fanatismo e nas fracas evidências – o demônio de Sagan era a pseudociência.  

Hoje, estudante de medicina e imerso em conteúdo técnico, deparei-me com uma das mais desastrosas vertentes da pseudociência: o movimento antivacina. Velhos demônios, como Sarampo e Rubéola, outrora erradicados, ressurgem das cinzas, fruto da não imunização de algumas pessoas, criando uma porta de entrada para a inoculação destas doenças. Seja por medo de efeitos colaterais com relação à vacina, seja por suspeita de conspiração ou até mesmo da falta de orientação médica, este movimento ganha força e causa danos a toda a sociedade com o número crescente de não imunizados.

Assustador. Não é?

Pensando na dimensão desta barbaridade, como seguir os passos de Sagan e combater esses demônios? Não há apenas uma resposta para isso, pois várias são as maneiras para que eu, futuro guerreiro do jaleco branco, possa entrar nesse embate. Porém, pensando em tudo o que aprendi com a leitura de ''O mundo assombrado pelos demônios'', uma estratégia me parece clara: adaptar para a minha vida profissional os dos preceitos do astrônomo, que são:

  • ser cético.
  • ser questionador.
  • checar as fontes das informações - SEMPRE. 
  • investir em conhecimento.

Dessas quatro armas, acredito eu que a com mais poder de fogo seja a última. Conhecimento é, meus amigos, poder. É o poder de pensar, de buscar a verdade, de não seguir falsos profetas e possuir discernimento. Construindo um alicerce pautado em conhecimento, dificilmente você se deixara persuadir por esse tipo de ideia, que pode ceifar uma - ou várias - vidas.

Sendo assim, posso influenciar pessoas a acreditarem na ciência, se esquivando da sedução da pseudociência que alimenta manobras contrárias à evolução humana, tal qual o movimento da antivacina, exorcizando esta chaga da sociedade. E você, doutor, já está pronto para enfrentar esse desafio em prol de seus pacientes e de toda a sociedade? 


”O QUE FAZEMOS COM O NOSSO MUNDO, AGORA, SE PROPAGARÁ ATRAVÉS DOS SÉCULOS E AFETARÁ PODEROSAMENTE O DESTINO DE NOSSOS DESCENDENTES.”

                                                                                                                                          - Carl Sagan

 

Academia Médica
Luis Guilherme Taveira dos Santos
Luis Guilherme Taveira dos Santos Seguir

Acadêmico de Medicina da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Professor de Química do Pré-Vestibular Curso e Colégio Acesso em Curitiba e Estagiário da Academia Médica.

Ler matéria completa
Indicados para você