[ editar artigo]

O anestesista guiando a inovação no centro cirúrgico

O anestesista guiando a inovação no centro cirúrgico

Ressignificar o papel do anestesista no centro cirúrgico faz parte do caminho da inovação trilhado pela Anestech.

Cenário atual

A Organização Mundial da Saúde estima que 20 a 40% dos gastos em saúde são por ineficiência e erros e recomenda fortemente cirurgias mais seguras como um ponto crítico de segurança assistencial e econômica.

Centros cirúrgicos são um dos melhores centros de rendimento de uma instituição hospitalar. Chegam a ser responsáveis por 70% do movimento de renovação de leitos e por 40% do consumo de insumos hospitalares e podem chegar a apresentar um custo-minuto de sala cirúrgica atingindo 30 dólares.

A complexidade do funcionamento e dos processos dessa área é comparada na literatura a operações de guerra ou controle de tráfego aéreo. Estima-se que em média 55% dos pacientes internados em um hospital sejam cirúrgicos e o número de cirurgias chegue a 1,56 procedimentos por paciente internado.

A inserção de novas tecnologias e inovação nesse segmento assistencial é a nova fronteira e esperança do anestesista, dos profissionais de saúde e gestores com a tecnologia da informação para melhorar amplamente sua performance.

A realidade atual dos centros cirúrgicos em hospitais brasileiros é de uma verdadeira caixa-preta. A própria ANAHP – Associação Nacional de Hospitais Privados compila anualmente o relatório Observatório com uma das mais completas e minuciosas análises do mercado assistencial hospitalar do país. Além disso a associação realiza uma compilação de indicadores em um sistema integrado chamado SINHA que avalia 116 indicadores assistenciais, 56 financeiros, 28 de gestão de pessoas, 16 de sustentabilidade, 22 de atenção domiciliar e 5 referentes à tecnologia da informação.

Apesar de extremamente cuidadoso, apenas três indicadores cirúrgicos são citados: número de cirurgias, mortalidade cirúrgica e registro de lateralidade.

Isso na prática significa que em um dos melhores e mais complexos centros de rendimento de uma instituição hospitalar que é o centro cirúrgico, atuando no momento mais crítico da saúde das pessoas, nem o levantamento de eventos adversos que estão acontecendo está disponível para análise e ações preventivas. O fato de um a cada 200 pacientes cirúrgicos sofrer um evento adverso fatal completamente diferente da patologia que o levou à mesa cirúrgica é justificativa mais do que suficiente para repensarmos o setor e a gestão de seus dados.

Caminho da inovação

Cada cirurgia acontecendo no país é um avião voando sem torre de controle. Foi a partir desse insight e do conhecimento profundo da atuação e capacidade do anestesista brasileiro – um dos melhores profissionais da área no mundo – que a Anestech se dedica a integrar, rastrear e analisar dados perioperatórios; com foco em gerar conhecimento para aumentar a segurança do paciente, melhorar a gestão hospitalar e incrementar a proteção legal de todos os envolvidos.

Inovação com o paciente no centro do processo, mas também com as antenas voltadas para novas tecnologias para fortalecer habilidades humanas, pois acreditamos fortemente que a segurança do paciente e sucesso na gestão passa obrigatoriamente por um profissional de saúde descansado, valorizado, atualizado e de posse de ferramentas tecnológicas que expandam sua capacidade cognitiva e melhorem seu fluxo de trabalho.

 


Saiba mais no webinar da Academia Médica na próxima segunda-feira às 19h se inscrevendo aqui.

Esse ponto de vista será explorado na prática no evento “Anestesia 4.0: Ressignificando o papel do anestesiologista a partir da excelência de seus dados”, que acontecerá nos dias 7 e 8 de dezembro de 2018 na praia de Jurerê Internacional em Florianópolis – a ilha do silício. O evento será realizado pela Anestech com apoio da Academia Médica e além de falar sobre coisas que a faculdade esqueceu de contar, também vai falar sobre coisas que o mercado não contou porque também não sabe.

Nos encontramos lá!

 


Dr. Diogenes de Olvieira Silva

Anestesiologista, MBA

CEO/Founder Anestech Innovation Rising

 

Academia Médica
Diogenes de Oliveira Silva
Diogenes de Oliveira Silva Seguir

Anestesiologista, sócio-fundador e CEO da Anestech Innovation Rising, startup ganhadora de vários prêmios nacionais (entre eles startup de saúde do ano shark-tank do Consórcio Brasileiro de Acreditação Hospitalar), investida pelo Albert Einstein.

Ler matéria completa
Indicados para você