[ editar artigo]

O jeito produtivo de viver: ensinamentos do cirurgião Atul Gawande

O jeito produtivo de viver: ensinamentos do cirurgião Atul Gawande

1. Produtividade, o que isso significa? 

Você provavelmente já ouviu essa palavra - produtividade -, no mínimo, um milhão de vezes ao longo da sua vida e sabe muito bem que pessoas consideradas “produtivas" geralmente alcançam o sucesso nas suas carreiras profissionais. 

Muitos até acreditam que pessoas altamente produtivas, nas mais diversas áreas, são extremamente atarefadas, com uma rotina acelerada e infindável de compromissos e mais compromissos importantes. 

Produtividade, é lógico, possui significados diferentes em situações diferentes. Ser produtivo para algumas pessoas pode ser simplesmente o fato de passar o dia sentado no escritório, respondendo alguns e-mails, fazendo ligações e resolvendo problemas ao longo do dia. 

Para outros, entretanto, pode ser o fato de acordar um pouco mais cedo para se exercitar antes de começar o dia no trabalho e sentir-se igualmente satisfeito e produtivo em comparação àquele que ficou 16 horas sentado lendo e respondendo e-mails. 

Fato é que produtividade é um conceito amplo, vago em certa medida, e que foi definido por Charles Duhigg em sua belíssima obra “Mais Rápido e Melhor” como o nome que damos às nossas tentativas de descobrir a melhor maneira de usar nossa energia, inteligência e tempo conforme tentamos obter as recompensas mais significativas - para nós - com o mínimo de esforço desperdiçado. ¹

Em termos simples, é executar algo da melhor forma possível, desperdiçando o mínimo e obtendo o melhor resultado esperado. É realizar algo significativo sem sacrificar tudo o que importa no caminho; um processo de aprendizado sobre como obter sucesso com menos estresse e dificuldade.¹

2. Produtividade e esforço

Assim, Charles Duhigg nos mostra que ser produtivo é diferente de estar com a agenda lotada ou não ter tempo para realizar outras atividades, na verdade, ser produtivo é muito mais sobre entregar resultados excelentes do que o esforço propriamente dito para chegar até ele. 

Note que esforço e resultado, apesar de serem complementares e muito bem-vindos, não são sinônimos para Duhigg. Esforço, nesta linha, de nada adianta se não for devidamente direcionado para objetivos claros e congruentes com seus projetos de vida. 

Produtividade não é apenas o resultado de mais horas no consultório ou maiores sacrifícios, produtividade tem a ver com fazer determinadas escolhas de determinada forma com inteligência.

Apesar de extremamente laborioso, cavar a terra com uma pá, por exemplo, exige um esforço físico imenso e muita dedicação para realizar o trabalho, mas, a não ser que você encontre petróleo durante o feito, provavelmente não te fará ser bem sucedido. 

O ponto é: de nada adianta esforçar-se em uma tarefa na qual os resultados não são os que você procura ou espera. Fazer por fazer ou esforçar-se pelo mero prazer de gastar tempo, energia e intelecto não fará você chegar mais longe ou realizar seus desejos. É necessário planejar-se e direcionar energias para o que você realmente pretende obter resultado, é preciso definir objetivos. 

Napoleon Hill, um dos maiores escritores do século passado sobre performance, afirma que a unidade de propósito é essencial para o triunfo. Pois, de nada adianta gastar tempo e energia em  atividades extenuantes sem estar cristalino como água os resultados que buscamos obter. É necessário ter um objetivo principal bem definido, pois, segundo Hill, "toda casa bem-construída teve a sua origem num propósito definido e, ainda mais, num plano definido." ²

3. O que Atul Gawande pode nos ensinar sobre produtividade? 

Falar de produtividade é falar sobre Atul Gawande. Aos 54 anos, Atul faz parte do quadro fixo de redatores de uma revista prestigiada, além de ser um renomado cirurgião geral no Brigham & Women’s Hospital. Ele também é professor associado de Harvard, consultor da Organização Mundial de Saúde e CEO da Ariadne Labs, um centro de inovação em saúde, e da Lifebox, uma organização sem fins lucrativos que busca tornar cirurgias ao redor do mundo mais seguras. ³

Não satisfeito, ele também é autor de quatro best-sellers - Complicações, Mortais, Better e Checklist -, ganhou o Lewis Thomas Prize por escrever sobre ciência, o prêmio para “gênios” da Fundação MacArthur e dois National Magazine Awards e um Academy Health’s Impact Award pelo maior estudo de impacto no sistema de saúde.³ 

Atul Gawande - http://atulgawande.com/media/images/

Com um currículo de dar inveja, Atul pode ser considerado um exemplo de resultados excelentes nas carreiras de médico, escritor, CEO, filantropo e no que mais ele desejar ser, demonstrando uma habilidade ímpar para obter grandiosos resultados nas mais diversas áreas que se aventura. 

Em seu best-seller "Better: A surgeon's Notes on Performance”, Atul fala sobre algumas estratégias que ele utiliza no seu dia a dia e que o faz ser mais assertivo nas tarefas que se propõe a realizar.⁴  São elas:

3.1) Não reclamar

Embora simples, não reclamar é algo difícil de realizar durante o dia, pois, segundo o autor, temos uma tendência natural para levar qualquer conversa para o lado negativo das coisas que diariamente acontecem conosco. 

Reclamar é, nas palavras do próprio autor, entediante, não resolve os problemas e provavelmente levará você mais para baixo. Não é necessário, lógico, ser extremamente feliz o tempo todo, basta ter algo para discutir como uma ideia que você leu ou um “problema" interessante que você precisa lidar. 

Assim, quando você para de reclamar, você também para de arranjar desculpas para as atividades que precisam ser feitas e começa a pensar em soluções. Muda o foco de falar do problema e começa a falar sobre solução. 

3.2) Conte algo

Contar algo pressupõe um processo de racionalização do ocorrido, com uma análise dos fatos, para poder melhor explicar a situação e ser compreendido. Neste sentido, racionalizar o problema leva você a um melhor entendimento do todo, bem como o faz pensar em maneiras melhores de solucionar o problema e automaticamente encontrar caminhos para melhorar. 

Afinal, quando você racionaliza algo, interpreta e entende para depois explicar, você de forma intuitiva está observando os nuances do problema e isso facilita atacá-lo de forma mais eficiente. Segundo Atul, quando você explica algo, você aprende algo. 

3.3) Lute contra a ignorância

Por fim, o autor conta sobre a importância de reconhecermos nossas inadequações, defeitos, e trabalharmos para encontrar soluções. O autoconhecimento é pedra angular do crescimento pessoal e é necessário que constantemente desafiemos o status que nos encontramos em busca de mais conhecimento sobre nós. 

Somente com a mudança de conceitos pré-estabelecidos, assumindo vícios, reconhecendo nossa ignorância, poderemos conhecer quais são os objetivos que queremos de forma clara e planejar uma boa estratégia para alcançá-lo. 

"Portanto procure algo novo, algo para mudar. Conte a alguém como você foi bem-sucedido ou falhou. Escreva sobre. Pergunte as pessoas o que elas acham. Veja se você consegue manter a conversa fluindo” Gawande, Atul.⁴ 

4) Produtividade não significa trabalhar mais

Entretanto, engana-se quem pensa que Atul Gawande é um homem que vive para o trabalho e passa horas a fio, ocupado e sem tempo, com objetivo de trazer máxima excelência em tudo que faz. A bem da verdade é que, conforme Charles Duhigg relata, Atul Gawande ocupa bastante tempo planejando as próximas férias com a esposa ou indo a um show de rock com os filhos. 

O que nos faz perceber que produtividade com certeza não é trabalhar ou suar mais. Trata-se de escolhas inteligentes, metas audaciosas, porém realizáveis, reenquadrar situações de forma que o problema passe a ser oportunidade, abrir a cabeça para novas e criativas formas de associar as coisas que nos são ofertadas e aprender como otimizar os resultados sem perder a qualidade. 

Ser produtivo não é uma tarefa fácil, óbvio, mas é através de bons exemplos, como Atul Gawande, que devemos nos espelhar e buscar extrair o máximo em ensinamentos para aplicar em nosso cotidiano com intenção de fazer escolhas mais inteligentes, mais rápidas e melhores.

No fim, produtividade pode ser resumida em satisfazer-se com os resultados que você alcança sem ter que deixar boa parte da sua vida de lado, é, em última análise, encontrar equilíbrio para viver uma vida com mais significado. 

 


Quer escrever?

Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 190 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!


Referências

[1] Duhigg, Charles. Mais Rápido e Melhor: os segredos da produtividade na vida e nos negócios. 1ª ed. - Rio de Janeiro : Objetiva, 2016. 

[2] Hill, Napoleon. A Lei do Triunfo: 16 lições práticas para o sucesso. 47ª ed. - Rio de Janeiro : José Olympio, 2019. 

[3] About Atul Gawande [homepage da internet - acessado em 5/10/2020]. Disponível em: http://atulgawande.com/about/

[4] Gawande, Atul. Better: A Surgeon’s Notes on Perfomance. New York : Metropolitan, 2007. 

 

Academia Médica
Rafael Lobo
Rafael Lobo Seguir

Acadêmico de medicina pela Universidade do Sul de Santa Catarina. Apaixonado por literatura, busco através dos meus textos transcender o academicismo e levar propósito à carreira médica. "A vida é breve, a arte é longa" O maior dos médicos, H.

Ler conteúdo completo
Indicados para você