[ editar artigo]

O paciente não tem mais paciência?

O paciente não tem mais paciência?

Olá pessoal da Comunidade!

Me chamo Salvador, tenho 44 anos e me formei em medicina em 1996 pela PUC-RS. Fiz especialização em cirurgia geral e transplante de órgãos abdominais e hoje atuo como cirurgião geral, em um hospital universitário, atendendo pacientes do SUS e da minha clínica privada.

Em 2006 conheci a ciência da administração hospitalar e passei a me interessar muito pelo tema, principalmente por perceber a nossa frágil formação no assunto (para não dizer nenhuma...) durante a faculdade. Percebi, rapidamente, que existem inúmeras oportunidades de melhorias a serem implementadas em nosso sistema de saúde, desde o seu acesso, passando pela assistência propriamente dita e por fim, otimizando a coordenação integrada do cuidado.

Estes temas que cito acima, dentro do “administrês da saúde”, já são para lá de velhos. A cada congresso que vou, vejo os mesmos teóricos apresentando os mesmos slides de como vão mudar o mundo e de fato, muita pouca coisa acontece no mundo real.

Sempre que se fala em mudança, a maioria das pessoas que estão no debate são a favor. No entanto, são poucos os que dão o passo a frente e realmente implementam a transformação necessária. Ao longo da história do desenvolvimento humano, sempre foi assim. Para qualquer coisa.

Acontece que chegamos em um momento ímpar na vida humana que requer muita atenção nos fatos e comportamentos para que tenhamos respostas à altura destes desafios.

O nosso cliente, também chamado de paciente, não tem mais paciência. Ele vive hoje em um mundo totalmente digital, empoderado de informações técnicas (nem sempre corretas), exercendo, com isso, o seu direito de questionar tudo. E atenção: além de questionar tudo, ele compartilha tudo. Fotos, momentos de felicidade, de dor, tratamentos, opiniões, etc. Seu novo mindset não permite atrasos, desculpas, incompetência e principalmente não ser informado da verdade dos fatos.

Este modo de pensar e agir tem tornado cada vez mais evidente de como o nosso sistema de saúde foi desenvolvido centrado em outras prioridades que não são o cliente.

Para podermos realmente transformar nosso sistema de saúde em algo novo e disruptivo, também conhecido por SAÚDE 4.0, precisamos redesenhar nossa atitude, nossos processos assistenciais, nossos hospitais e planos de saúde, tendo o cliente/paciente como o centro das atenções.

Ouvir de fato suas dores, seus desejos e partindo deles repensar nosso modo de trabalhar. Incorporar tecnologias que encurtem esta distância entre médicos/pacientes/sistema de saúde e principalmente, incorporar este novo modo de pensar as relações humanas saudáveis e sustentáveis.

Penso que entender este novo mindset digital é premissa imprescindível para a verdadeira transformação do sistema de saúde em algo centrado no paciente.

E você, o que acha disso? Conte aqui nos comentários pra gente!

Academia Médica
SALVADOR GULLO NETO Seguir

Entusiasta pela reformulação do sistema de saúde

Ler matéria completa
Indicados para você