[ editar artigo]

O que podemos aprender com os pacientes de COVID-19?

O que podemos aprender com os pacientes de COVID-19?

Como lidar com o desconhecido? 

Possivelmente muitos de nós pensamos nessa pergunta, de uma maneira ou outra logo que as notícias sobre o COVID19 chegaram ao Brasil. Era meados de Jan.2020 e nada mudou nas nossas rotinas , hábitos. Chegou-se a pensar que o COVID19 não alcançaria o Brasil! Fevereiro chegou, celebramos o carnaval nas ruas , nos desfiles muita festa. 

Logo no inicio de Mar.2020 o alarme soou! Quarentena, comércios, serviços, escolas todos fechados! E muitos de nós sem saber o que fazer! 

 

O COVID19 chegou!!!

Henrique Nascimento, aos 31 anos sentiu-se cansado, um pouco febril. Era o primeiro dia de vida do pequeno Heitor e ele preocupado disse a sua esposa Katiane que iria ao hospital para fazer exames. 

 

Positivo para COVID19

O susto foi grande! 

Henrique precisou ser internado. Devido a evolução do quadro foi necessário intuba-lo ( A intubação orotraqueal, muitas vezes conhecida apenas como intubação, é um procedimento no qual o médico insere um tubo desde a boca da pessoa até à traqueia, de forma a manter uma via aberta até o pulmão e garantir a respiração adequada ) 

 

No caso do Henrique a intubação durou 1 mês e meio 

Enquanto isso sua esposa e seu filho se cuidavam e dividiam o tempo entre a casa o hospital. Uma jornada difícil, com abalo emocional natural diante essa circunstância.   

O caso do Henrique tornou-se mais grave, e ele precisou ir a ECMO ( consiste na retirada do sangue através de uma veia para uma bomba e por uma membrana artificial, que faz a função do pulmão. A técnica ajuda a eliminar o gás carbônico e a oxigenar o sangue, que então é devolvido para o organismo ) 

 

Foram mais 4 meses de terapia ECMO 

E qual seria o próximo passo nesta jornada? Qual outro recurso terapêutico poderia ser aplicado no tratamento do Henrique? 

Transplante de Pulmão

Uma porção de doenças e condições podem levar a danos irreversíveis pulmonares e impedir o funcionamento eficaz do nossos pulmões. Algumas das causas mais comuns incluem:

  • Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), incluindo enfisema;
  • Fibrose pulmonar;
  • Hipertensão pulmonar;
  • Fibrose cística e bronquiectasias;
  • Fatores que podem afetar sua elegibilidade para um transplante de pulmão.

O transplante de pulmão não é o tratamento mais indicado para qualquer doença pulmonar. Para tomar a decisão sobre, é necessário avaliar individualmente cada paciente, por um conjunto de médicos especialistas. 

Para Henrique o transplante foi a melhor saída! 

Henrique Batista do Nascimento em dia de alta médica, nesta segunda, 20 de setembro. — Foto: Arquivo pessoal

Nós da Academia Médica recebemos o Henrique no último dia 10 de Dezembro de 2021, no "II Simpósio de Pneumointensiva - Perspectivas pós-pandemia"   

 

"A voz do paciente" 

Um dos diferenciais no Simpósio, foi dar protagonismo ao paciente para compartilhar do seu ponto de vista o que foi atravessar a jornada do tratamento.

No painel  moderado pelo Dr. Fernando Carbonieri ( CEO e Founder da Academia Médica ) , Dra. Roberta Fittipaldi ( Pneumologista ) , Dr. Fabio Rodrigues ( Fisioterapeuta , Intensivista ) pudemos escutar sobre como foi lidar com as incertezas, a relação com médicos , enfermeiros, intensivistas , a saudades de casa e da família. 

  • Como foi lidar com a espera pelo pulmão para o transplante, os exercícios e fisioterapia respiratórias, o lidar com ansiedade. 
  • A recuperação pós transplante, o retorno para casa e não acaba aqui: a partir do transplante,  segundo o fisioterapeuta, a reabilitação leva de três a seis meses, e o acompanhamento médico é para o resto da vida. 

E neste cuidado permanente, o Henrique que ainda está se recuperando, precisa ir para suas consultas e fisioterapias respiratórias, exames de rotina o que ocasiona um alto investimento financeiro para acontecer. 

Com o intuito de COLABORAR, CONTRIBUIR foi criada uma VAKINHA VIRTUAL para que doações em qualquer valor possam ser feitas 💗

Ajuda de custos pós transplante pulmonar

VAKINHA - MEDICAMENTOS HENRIQUE - Transplantado 

 

"Esse período de internação me fez enxergar a vida com mais leveza, mais pé no freio, sabe? Pra mim, ficar esse tempo longe da minha família (esposa e filho) me fez ter forças pra lutar a luta que fosse e foi o que aconteceu"

 

Henrique Batista do Nascimento e a esposa, Katiane, no InCor, pouco antes da alta — Foto: Arquivo pessoal


Referências 

Autoria |  Tatti Maeda

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você