[ editar artigo]

Por que o empreendedorismo tem tudo a ver com Medicina?

Por que o empreendedorismo tem tudo a ver com Medicina?

Discorrer sobre qualquer temática ligada ao empreendedorismo é muito mais do que falar sobre o universo business em si, constitui na verdade, a cada linha uma missão desafiadora, uma arte complexa. Isso porque, dissertar sobre empreendedorismo é falar da trajetória ímpar daquele indivíduo que fez a história acontecer ao longo das eras: O empreendedor. Esse senhor (a) é um ser compromissado com o desenvolvimento, avesso a palavra impossível, dotado da habilidade de associar mentes, capacitado no dom de talhar pedras brutas e transformá-las em esculturas e tem codinomes diversos como, Rei Salomão, Andrew Carnegie, Henry Ford, Thomas Edison, Warren Buffet, Bill Gates, entre tantos outros.

Incutir a cultura empreendedora no universo das ciências médicas é como se envolver em um processo de aprendizagem que, ilustra, decodifica e simplifica um pouco da vida do indivíduo citado no parágrafo anterior. Nesse ensejo, o galeno desperto para tal perspectiva, passa a dominar as engrenagens da gestão de negócios, a qual é,  como demonstrado nas linhas seguintes, também um exercício contínuo de se aprimorar na arte de servir pessoas.

O que dizer do Planejamento Estratégico? Nada mais é do que um exercício de anamnese, no qual o indivíduo aprende a identificar pontos-chaves e praticar a antevisão; dominando assim a habilidade de correr riscos calculados, mediante uma visão clara das conjunturas diversas que cerceiam a edificação, manutenção e potencialização de um negócio. Agora me digam, não seria a capacidade de triagem e de antecipação, algumas das habilidades médicas mais imprescindíveis, para o profissional manusear os riscos associados as suas ações quando em exercício?

O que dizer sobre as Hard Skills e Soft Skills? Nada mais são do que as habilidades técnicas e humanas, imprescindíveis a qualquer Profissional da Saúde, que queira exercer sua práxis de forma holística, ou melhor dizendo, conjugada as exigências e necessidades do paciente do século 21, o qual, agora dotado de uma "enciclopédia" na palma da mão, não mais se contenta com um modelo de atendimento vertical e unilateral. Nesse contexto, compreender o valor de tais habilidades é como destrinchar o código do elo de confiança que transforma o paciente em cliente, o colega de trabalho em colaborador, o consultório em empresa.

O que dizer do Marketing? Nada mais é do que uma esfera do saber refinada sobre psicologia da mente humana, na qual o conhecimento sobre as preferências, hábitos, necessidades e motivações das pessoas é expressada, com intuito de desvendar seus comportamentos e permitir traçar estratégias de comunicação mais eficazes, as quais são pilares de qualquer relação médico-paciente perene.

Consoante o abordado é mais do que ajusto assim delinear o então propósito da integração da filosofia médica aos conhecimentos sobre Gestão e Empreendedorismo: realizar a salutífera associação entre o dom da medicina e o espírito do empreendedor, afim de unificar habilidades de duas entidades, que mais semelhantes do que aparentam, podem juntas continuar a serem os vetores de transformações, os autores de inovações ou remédios de esperança, almejados pela sociedade.

E você? O que está esperando para se integrar a essa associação?

 


Quer escrever?

Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 210 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!


 

Academia Médica
Rodrigo Souza
Rodrigo Souza Seguir

Acadêmico de Medicina - Universidade Salvador; Fundador e Presidente do Projeto Cognição Performance; Presidente do DAMED - UNIFACS; Presidente Liga Baiana de Neurocirurgia - UNIFACS; Ávido pela arte de empreender e aprender

Ler conteúdo completo
Indicados para você