Protocolo de Cirurgia Segura finalmente é lançado pelo Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Fernando Carbonieri 2015/12/01 22:00:10 +0000 | 3 minutos de leitura
[editar artigo]

Protocolo de Cirurgia Segura finalmente é lançado pelo Colégio Brasileiro de Cirurgiões

Protocolo de Cirurgia Segura finalmente é lançado pelo Colégio Brasileiro de Cirurgiões

Atul Gawande é daqueles médicos que inspiram uma geração. O Cirurgião americano liderou a equipe que estabeleceu o protocolo de cirurgia segura da Organização Mundial da Saúde há quase 5 anos.

Já falamos desse protocolo aqui no Academia Médica algumas vezes, e ele foi responsável por reduzir a frequência das infecções de feridas operatórias em mais de 54% nos hospitais onde foi aplicado. Você não pode deixar de conferir esta palestra do cirurgião americano Athul Gawande sobre como ele criou o protocolo.

A ideia é muito simples e foi inspirada em como os pilotos de avião adotam os protocolos de segurança de vôo. Eles tem que cumprir rigidamente um checklist antes de colocar a aeronave no ar. Só assim, eles podem garantir a vida daqueles que confiam nele para uma viagem segura.

A analogia com a viagem de avião não é nova na cirurgia e na anestesiologia. Sempre foi feita a menção que o perigo (como em um vôo) está na indução anestésica e na recuperação. Nada mais sábio que adotar protocolos bastante rígidos para estes momentos cirúrgicos.

O Manual de Cirurgia Segura do CBC é bastante bom e traduz as dificuldades e expertise que os vários serviços que adotaram o protocolo adquiriram nesse tempo desde o lançamento. Mais que um protocolo, este documento realmente demonstra o caminho para iniciar o treinamento de todos os envolvidos na viagem cirúrgica.

O Cirurgião, o Anestesiologista e a equipe de enfermagem possuem responsabilidade compartilhada e o documento explicita bem isso. É uma segurança para o paciente e para toda a equipe, uma vez que a gestão de cada um dos membros garante a adoção do protocolo.

Se você ainda não conhece, não deixe de entrar em contato com isso e levar diretamente a diretoria técnica do seu hospital. Adotá-lo é uma forma de salvar vidas.

Sabemos que a tarefa de adoção não será nada fácil, entretanto é um esforço necessário que melhora os indicadores do cirurgião, do anestesiologista e do hospital como um todo

Baixe aqui o Protocolo de Cirurgia Segura do CBC

Não deixe de comentar, principalmente se você já tem a experiência na utilização deste protocolo.

COMPARTILHE
Fernando Carbonieri

Fernando Carbonieri

CEO e Founder - Academia Médica

Artigos relacionados

login modal