[ editar artigo]

“Public Health”, “Global Health”, “One Health” e “Planetary Health”: o que são exatamente?

“Public Health”, “Global Health”, “One Health” e “Planetary Health”: o que são exatamente?

Embora extremamente importantes na formação e atuação dos médicos e profissionais de saúde, poucos sabem realmente a definição e aplicabilidade destas quatro abordagens da medicina. Se você está apenas iniciando seu interesse em saúde em nível populacional ou se é um veterano da saúde pública, pode ficar um pouco confuso com a proliferação destes vários termos: saúde pública, saúde global, saúde planetária, saúde única.... Confira abaixo os objetos de estudo destas áreas tão importantes:

Em primeiro lugar, a saúde pública está focada em melhorar a saúde humana do ponto de vista da população. Enquanto a medicina clínica se concentra nos indivíduos, a saúde pública opera no nível da população, investigando e prevenindo as causas das doenças e dos problemas de saúde. Charles-Edward Amory Winslow, um microbiologista americano e presidente da American Public Health Association, escreveu, em 1920, a definição clássica do campo:

“Saúde pública é a ciência e a arte de prevenir doenças, prolongar a vida e promover a saúde física e a eficiência por meio de esforços comunitários organizados para o saneamento do meio ambiente, o controle de infecções comunitárias, a educação do indivíduo nos princípios de higiene pessoal, a organização de serviços médicos e de enfermagem para o diagnóstico precoce e tratamento preventivo de doenças e o desenvolvimento da máquina social que garantirá a cada indivíduo da comunidade um padrão de vida adequado para a manutenção da saúde.”

Uma definição mais sucinta e comumente usada de saúde pública vem de um relatório do Instituto de Medicina (IOM) de 1988, que descreve que a saúde pública deve atender "ao interesse da sociedade em garantir condições nas quais as pessoas possam ser saudáveis".

Jeffrey Koplan e colaboradores postularam que a saúde pública é baseada em 4 fatores principais em um artigo na Lancet em 2009:

  • Tomada de decisão baseada em dados e evidências (estatísticas vitais, vigilância e investigações de surtos, ciência de laboratório);
  • Um foco nas populações em vez de nos indivíduos;
  • Uma meta de justiça social e equidade; e
  • Uma ênfase na prevenção ao invés de cuidados curativos.

Por sua vez, a saúde global está focada em questões de saúde humana que transcendem as fronteiras nacionais: ela abrange componentes de cuidados clínicos preventivos e de nível individual. Embora seu poder seja bem reconhecido e entusiasticamente apoiado por governos e organizações filantrópicas privadas como a Fundação Bill e Melinda Gates, definir saúde global tem sido controverso.

A definição citada com mais frequência por colegas acadêmicos foi elaborada também por  Koplan no mesmo artigo acima citado, “Rumo a uma definição comum de saúde global”:

“A saúde global é uma área de estudo, pesquisa e prática que prioriza a melhoria da saúde e o alcance da igualdade na saúde para todas as pessoas em todo o mundo. A saúde global enfatiza as questões, determinantes e soluções de saúde transnacional; envolve muitas disciplinas dentro e além das ciências da saúde e promove a colaboração interdisciplinar; e é uma síntese da prevenção baseada na população com cuidados clínicos em nível individual.”

Keith Martin, diretor executivo do Consortium of Universities for Global Health, tem uma definição mais concisa. Ele define saúde global como “uma disciplina que avança os esforços para melhorar o bem-estar das pessoas e do planeta”.

A saúde planetária - o conceito mais jovem apresentado nesta série - ganhou um impulso significativo desde que apareceu pela primeira vez em um comentário de 2014 na The Lancet. A Rockefeller Foundation-Lancet Commission on Planetary Health lançou oficialmente o conceito de saúde planetária em 2015 e, no final do ano, um consórcio de mais de 70 universidades, ONGs, entidades governamentais, institutos de pesquisa e outros parceiros fundou a Planetary Health Alliance, em Harvard.

De alcance abrangente, a saúde planetária se baseia na sustentabilidade de nossa civilização e aponta que os desequilíbrios ambientais causados por nossos próprios hábitos de consumo desenfreado de recursos e produção de resíduos refletem negativamente na saúde humana. Além de considerações de saúde pública e saúde ambiental, ela examina os sistemas políticos, econômicos e sociais a montante e apela a uma abordagem interdisciplinar.

A Rockefeller Foundation – Lancet Commission on Planetary Health definiu a saúde planetária como

“... a conquista do mais alto padrão possível de saúde, bem-estar e equidade em todo o mundo por meio da atenção criteriosa aos sistemas humanos - político, econômico e social - que moldam o futuro da humanidade e os sistemas naturais da Terra que definem os limites ambientais seguros dentro dos quais a humanidade pode florescer. Simplificando, a saúde planetária é a saúde da civilização humana e o estado dos sistemas naturais dos quais ela depende. ”.

Não muito distante, encontra-se a abordagem de “One Health”, ou saúde única, que concentra-se fortemente na resistência antimicrobiana, segurança alimentar e doenças infecciosas, por meio do "transbordamento" ou “spillover” de patógenos de animais para humanos ou vice-versa e como o surgimento de doenças infecciosas está associado a mudanças no uso da terra e atividades humanas, como agricultura, produção de alimentos, viagens e comércio. Mais de 60% das doenças infecciosas emergentes - incluindo Ebola, HIV / AIDS e gripe aviária - derivam de hospedeiros animais. Estima-se que mais de 15 milhões de pessoas morram anualmente de doenças infecciosas emergentes.

A EcoHealth Alliance, uma organização internacional sem fins lucrativos dedicada à abordagem de One Health para proteger a saúde humana, animal e ambiental de doenças infecciosas emergentes, define: “A perspectiva de One Health incorpora a saúde humana, animal doméstica, vida selvagem e ecossistemas e tem o potencial de levar a soluções eficazes e salvar vidas. ”

A OMS, por outro lado, adota uma lente mais orientada para a saúde pública, definindo a One Health como “uma abordagem para projetar e implementar programas, políticas, legislação e pesquisa em que vários setores se comunicam e trabalham juntos para alcançar melhores resultados de saúde pública”. Ela ainda especifica a relevância de One Health para o controle de zoonoses, resistência a antibióticos e segurança alimentar, grandes desafios do século XXI.

Observa-se uma extensa sobreposição no que tange às definições destas áreas, embora cada qual se debruce sobre algo em específico. Vale ressaltar a importância de cada uma no contexto de saúde das populações no presente e, principalmente, para o futuro.

 


Quer escrever?

Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 200 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!


Referências

American Public Health Association: “What is Public Health?”

Beaglehole R, Bonita R. What is global health?. Glob Health Action. 2010;3:10.3402/gha.v3i0.5142. Published 2010 Apr 6. doi:10.3402/gha.v3i0.5142

https://blog.ecohealthalliance.org/2017/09/what-we-mean-when-we-say-one-health

Koplan JP, Bond TC, Merson MH et al. for the Consortium of Universities for Global Health Executive Board. Towards a common definition of global health. Lancet. 2009; 373: 1993-1995

http://onehealthinitiative.com/about.php

Winslow, Charles-Edward Amory (1920). "The Untitled Field of Public Health". Modern Medicine. 2: 183–191.

Whitmee S, Haines A, Beyrer C, Boltz F, Capon AG, de Souza Dias BF, Ezeh A, Frumkin H, Gong P, Head P, Horton R, Mace GM, Marten R, Myers SS, Nishtar S, Osofsky SA, Pattanayak SK, Pongsiri MJ, Romanelli C, Soucat A, Vega J, Yach D. Safeguarding human health in the Anthropocene epoch: report of The Rockefeller Foundation-Lancet Commission on planetary health. Lancet. 2015 Nov 14;386(10007):1973-2028. doi: 10.1016/S0140-6736(15)60901-1. Epub 2015 Jul 15. Erratum in: Lancet. 2015 Nov 14;386(10007):1944. PMID: 26188744.

 

Academia Médica
Caroline Ahrens Ortolan
Caroline Ahrens Ortolan Seguir

Bióloga, especialista em Gestão Ambiental e acadêmica de Medicina na Universidade Federal do Paraná, Curitiba. Adoro cozinhar, correr, praticar yoga e ler! Acredito numa Medicina cujo foco não seja na doença, mas sim no paciente.

Ler conteúdo completo
Indicados para você