[ editar artigo]

Saúde Peer-to-Peer

Saúde Peer-to-Peer

 Oito em cada 10 questionamentos sobre saúde começam nos sites de pesquisa

Saúde Peer-to-Peer

Essa é uma continuação do nosso artigo sobre o Pew Research Center’s Internet & American Life Project

Infographic 2

Olhando de forma mais abrangente, 72% dos usuários da internet disseram que ja procuraram informações na internet de uma forma ou de outra no passado. Isso inclui pesquisas sobre condições graves, informações gerais e informações sobre patologias sem gravidade.

Quando perguntados sobre a última vez que procuraram informações de saúde ou médicas, 77% desses responderam que começaram a pesquisa utilizando o Google, Bing ou Yahoo. Outros 13% disseram que começaram a pesquisa em sites especializados, como o Web MD. Apenas 2% disseram que começaram a pesquisa em sites mais gerais, como Wikipedia. Um por cento que começaram a pesquisa em redes sociais, como o Facebook.

 

Metade das procuras por informações de saúde são para conhecidos

Trinta e nove por cento afirmou que procurou a informação para outras pessoas. Outros 39% afirmaram que procuraram na internet para saberem sobre suas próprias condições. 15% Disseram que já procuram informações para ambos os cenários;

Uma em cada 4 pessoas que procuram informações em saúde encontra uma barreira de pagamento.

Vinte e seis por cento declararam que tiveram que pagar por informações sobre alguma coisa que gostariam de ver online. Entre esses, apenas 2% realmente pagaram pela informação. Tres quartos dos que atingiram uma barreira de pagamento achou a mesma informação em outro lugar. Treze por cento que encontraram a barreira, disseram que desistiram.

 

A vida social sobre informações em saúde é pequena, mas ainda bastante presente nos Estados Unidos

Em outros questionários o Pew Internet Project não havia definido um período para atividades de saúde online. Agora, a frase "nos últimos 12 meses" foi incorporada a pesquisa. Com isso foi possível identificar uma disseminação entre os pares que já possuíram tal agravo. São pessoas que disseminam histórias sobre seu adoecer  para poder ajudar a outras sobre o que pode estar pela frente:

  • 26% disseram que viram a experiencia de alguém sobre saúde ou agravos em saúde nos últimos 12 meses
  • 16% dos usuários da internet disseram que procuram pares que tivessem as mesmas reclamações

Revisões sobre questões de saúde continuam sendo procuradas por um pequeno número de consumidores. Aproximadamente 20% dos internautas consultou online sobre drogas ou tratamentos médicos, médicos ou outros serviços, clínicas e hospitais. Apenas 3 ou 4% postou online sobre o serviço prestado pelos médicos ou clínicasrs.

Mais sobre o assunto :

Trabalhando com o Dr. Google

Fonte: Pew Internet
Academia Médica
Fernando Carbonieri
Fernando Carbonieri Seguir

Empreendedor serial em saúde com cases de transformação digital reais que já impactam milhões de vidas. Crio uma arena de discussões para que o conhecimento seja compartilhado e construído para que a saúde e a medicina evoluam!

Ler conteúdo completo
Indicados para você