Uma breve história da Pediatria
[editar artigo]

Uma breve história da Pediatria

Ao longo da história, desde a Grécia antiga, médicos ofereceram cuidados à pessoas de todas as idades, incusive às crianças. Apesar disso, a Pediatria é um campo da medicina relativamente novo.

O termo Pediatria deriva de duas palavras gregas que significam pedo = criança e iatros = médico ou aquele que cura crianças.

O começo da pediatria:

No começo não havia distinção ou especialidade, cabendo ao médico o cuidado de pacientes de qualquer idade. Por esse motivo, todos os pacientes, de todas as idades, eram atendidos pelo médico.

1552 AC

O Ebers Papyrus discutia muitos temas incluindo amamentação, cura de vermes e tratamento de doenças oculares.

- 400 DC

Hipóocrates escreveu sobre diversos assuntos relacionados à saúde pediátrica incluindo: asma, diarréia, hidrocefalia e vermes.

- 900 DC

Avicenna escreveu sobre condições de saúde como convulsões, meningite, tétano, abcesso umbilical e vermes.

A era moderna

O primeiro hospital pediátrico no mundo ocidental é geralmente aceito como tendo sido o Hôpital des Enfants Malades, ou na tradução literal Hospital para Crianças Doentes inaugurado em 1802 em Paris. O hospital era conhecido por cuidar de pacientes até a idade de 15 anos.

O começo dos centros de cuidados pediátricos na França influenciaram a disseminação deste  tipo de cuidado por outros países da Europa. Logo após este fenômeno, outros hospitais pediátricos  foram criados na Alemanha, Rússia, Áustria, Polônia e Inglaterra no século 19.

O primeiro hospital para crianças nos Estados Unidos foi aberto em 1855 na Filadélfia, o Children's Hospital of Phyladelphia. Atualmente este hospital interna mais de 28 mil crianças por ano e realiza mais de 1.167.000 atendimentos no seu pronto atendimento, sendo também um berço de criação e incorporação de novas tecnologias diagnósticas, clínicas e cirúrgicas.

George Frederic Still era um médico instrumentador (aquele que produz instrumentos) inglês dedicou o seu trabalho à pediatria como uma especialidade. Ele escreveu  várias obras e estudos que alcerçaram a pediatria inglesa e mundial. Foi o primeiro a descrever a artrite idiopática juvenil, o murmúrio de Still e também foi o primeiro a descrever o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade. Seu livro intitulado Desordens Comuns e Doenças de Crianças serviu como guia para a prática de muitos médicos que se especializaram em Pediatria, inclusive para o Dr. Nelson, primeiro organizador do Nelson's Pediatrics, que agora está com nova edição lançada para o português (AQUI - você pode baixar para ler no seu kindle os  ).

O Dr. Abraham Jacobi,  único médico estrangeiro a assumir a presidência da Sociedade Amerincana de Medicina, é considerado o pai da Pediatria nos Estados Unidos que foi para Nova York em 1853  criou diversas sociedades dedicadas à saúde pediátrica, e departamentos pediátricos em hospitais de Nova York.

A pediatria como conhecemos hoje nos Estados Unidos originou-se com a Sociedade Americana de Pediatria e a Academia Americana de Pediatria (APA), que começou seus trabalhos nos anos 30. Semelhantes a APA, as sociedades pediatricas do mundo intero regulam a especialidade para determinar os preceitos científicos e éticos que mantém esta importante espcialidade.

Os pediatras atualmente também praticam sub-especialidades em pediatria, que focam em tipos específicos de doenças e condições de saúde em crianças. Esta evolução começou no século 20 e mais sub-especialidades continuam a ser criadas de acordo com as necessidades nas diversas áreas.


No Brasil

A Pediatria é uma das maiores especialidades médicas no Brasil, com aproximadamente 34 mil pediatras e mais de 3.000 residentes ao ano. Um dos grandes desafios dessa área, hoje, é estabelecer um sistema de prevenção, visto que a cada ano a expectativa de vida da população aumenta e o tratamento e a gestão da transição de crianças com doenças crônicas para a fase adulta promove uma melhor qualidade de vida.

Carlos Artur Moncorvo de Figueiredo é considerado o pai da pediatria no Brasil. A prática clínica como base para a formação profissional foi uma de suas preocupações essenciais. No dia 28 de julho de 1882, com a presença do imperador D. Pedro II, inaugurou a Policlínica Geral do Rio de Janeiro. Nela criou o primeiro curso regular de pediatria do país. A Policlínica Geral do Rio de Janeiro era também uma forma de conseguir crianças para as aulas práticas. O contexto histórico tendia para a especialização na medicina, mas sofria resistências. Parte da elite médica, calcada em uma prática essencialmente generalista, resistia à diferenciação resultante da divisão do trabalho e à criação de áreas diferentes no interior do conhecimento. Depois de gerar grande controvérsia, seu curso foi finalmente reconhecido e regulamentado e passou a funcionar em sua própria casa na rua da Lapa 95, centro da cidade do Rio de Janeiro. No serviço de pediatria da policlínica prestava atendimento ambulatorial ou domiciliar. Este curso prático para formação de pediatras funcionou regularmente durante 19 anos até seu falecimento em 1901. Neste estabelecimento, criou gerações e gerações de pediatras, entre os quais se destacou seu descendente predileto: Moncorvo Filho.

Ainda aqui no Brasil, a história da pediatria é marcada também pela história do Hospital Pequeno Príncepe. O HPP é marcado pelo pioneirismo na arte da pediatria desde a inauguração do dispensário infantil em 1919 e, subsequentemente, pela abertura do Hospital da Criança em 1930. Apenas a partir de 1971 ele foi chamado de Hospital Pequeno Príncipe. Com 370 leitos, no ano de 2015 internou mais de 23 mil crianças, atendeu ambulatorialmente mais de 310 mil consultas e realizou mais de 180 transplantes entre cardíacos, renais, hepáticos, ósseos e de medula óssea.

Literatura pediátrica

O primeiro livro exclusivamente de pediatria que se tem notícia foi impresso em 1472, escrito por Paolo Bagellardo, um italiano de Padua e se intitulava Libellus de Egritridinibus Infantium.

Waldo Nelson, considerado por muitos o pai da pediatria moderna, foi editor do Journal of Pediatrics e chefiou o departamento de pediatria da Temple University School of Medicine e deu aulas até os 80 anos. Ele foi um pediatra proeminente e autor de um dos mais importantes livros-texto de pediatria do mundo, o Nelson, Tratado de Pediatria, que ele publicou por  mais de 50 anos. Após 75 anos publicando a obra, a Elsevier lança a 20ª edição do Nelson, que chega ao mercado esta semana, como fonte indispensável para respostas definitivas em todos os aspectos dos cuidados pediátricos.

Clique AQUI para ter acesso aos primeiros 17 capítulos do Nelson 20ª Edição no Seu Kindle ou Computador

Referências:

https://www.news-medical.net/health/A-Brief-History-of-Pediatrics.aspx
Hospital Pequeno Príncipe
Sociedade Brasileira de Pediatria
Nelson Tratado de Pediatria - 20ª edição 

Academia Médica
Academia Médica Seguir

Página da redação do Academia Médica para noticiar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Continue lendo!

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso
aos conteúdos exclusivos.

Entrar
Indicados para você