[ editar artigo]

TP #32: Órgãos em 3D, pronação, plano S e a revolução do acesso aberto

TP #32: Órgãos em 3D, pronação, plano S e a revolução do acesso aberto

Além das felicitações ao Dia do Obstreta, o Troca de Plantão nº 32, também traz um bate-papo sobre: técnicas de impressão de órgãos 3D, vacinas contra Covid-19, técnica de pronação e a iniciativa de aceso aberto para publicação científica.

O Troca de Plantão acontece de Segunda a Sexta às 06h30 da manhã no Clubhouse e é transformado em Podcast para você que não pode participar conosco ao vivo. Dê o play aqui e curta conosco.

Comandado por Fernando Carbonieri, médico e fundador da Academia Médica, o Troca de Plantão nº32 contou com os colegas Filipe ProhaskaAna Panigassi, Ana Carolina Carvalho, Debora Fukino, Alexander Buarque, Renato Toi, Guilherme Sapia, Luciana Taliberti, entre outros que também compartilharam conhecimento com a comunidade. Com audiência crescente, o Troca de Plantão da Academia Médica traz as principais publicações científicas do cenário mundial, discutidas por profissionais de ponta.

Grey'S Anatomy Schmico GIF by ABC Network - Find & Share on GIPHY

Nossos heróis aqui do #TP trouxeram as suas fofocas e a gente traz a sedimentação teórica para elas. Confira abaixo as referências que embasaram a discussão de hoje!

Fortes chuvas no final de semana causam alagamentos e transtornos no Grande Recife

Leia mais aqui.

Defesa Civil de Pernambuco contabilizou, até a tarde deste domingo (11), 19 ocorrências como deslizamentos de barreira, quedas de árvore e até o desaparecimento de uma pessoa levada pela água.

Reduzindo os cuidados de baixo valor e melhorando o valor dos cuidados de saúde

Leia, na íntegra, aqui.

O atendimento de valor baixo, definido como o uso de um serviço de saúde para o qual os danos ou custos superam os benefícios, é um problema generalizado e duradouro nos Estados Unidos. A aprovação de políticas que limitem o reembolso por serviços de baixo valor é um passo importante para mitigar esse cuidado. Por exemplo, Powers et al propôs uma estrutura para identificar e priorizar políticas para governar a retirada de cuidados de baixo valor com foco em evidências, eminência e economia. 

No entanto, a transição para um estado de prestação de cuidados de saúde que prioriza o valor sobre o volume exigirá o equilíbrio das prescrições de políticas “de cima para baixo” com uma abordagem “de baixo para cima” voltada para afetar a mudança cultural local. Tal abordagem envolve a implementação de estratégias de desadoção adaptadas para abordar os fatores comportamentais e organizacionais que impulsionam a prestação de cuidados de baixo valor dentro de um ecossistema de saúde local, seja uma prática individual ou um centro de referência terciário.

O atendimento de baixo valor é comumente atribuído ao pagamento de taxa por serviço (FFS), que recompensa os médicos e os sistemas de saúde por oferecer mais, mas não melhor, atendimento. No entanto, algumas pesquisas desafiaram essa percepção, demonstrando que o uso excessivo existe em sistemas de saúde não-FFS e em todos os tipos de seguro, independentemente do reembolso ou da estrutura de benefícios do seguro. Embora faça sentido abandonar a medicina FFS por meio de reformas de pagamento de cima para baixo, as iniciativas locais de baixo para cima podem ser igualmente importantes para abordar os impulsionadores comportamentais dos cuidados de baixo valor. 

A chave para esses esforços será a medição confiável de cuidados de baixo valor; incorporação de cuidados de baixo valor como um componente de medição de desempenho; e a implementação de intervenções que se alinham com as motivações de pacientes, médicos e organizações de saúde. Quando as iniciativas de cima para baixo têm uma resposta igualmente robusta de baixo para cima, o sistema de saúde dos Estados Unidos estará bem posicionado para reduzir o atendimento de baixo valor e fazer avanços consideráveis ​​na melhoria do valor do atendimento à saúde.

Técnica de impressão 3D consegue produzir órgãos humanos em apenas alguns minutos

Leia mais aqui.

A impressão 3D vem sendo utilizada das formas mais inusitadas possíveis. Embora nem sempre ela seja utilizada de maneira positiva, como no caso das armas, um dos setores que tem se beneficiado da tecnologia é a medicina. Exemplo disso é uma técnica desenvolvida por pesquisadores da Universidade de Buffalo que permite “imprimir” órgãos humanos em questão de minutos.  O método é chamado de estereolitografia e utiliza hidrogéis, um material com consistência gelatinosa e que é empregado na produção de lentes de contatos, fraldas e estruturas em engenharia de tecidos. Os pesquisadores do estudo recente inclusive se aproveitaram dessa última técnica e a otimizaram para acelerar o processo de impressão.

(Preprint) CoronaVac é 50% eficaz para reduzir a infecção sintomática por SARS-CoV-2 após a primeira dose no contexto de alta transmissão da variante P.1 no Brasil

Leia, na íntegra, aqui.

Realizou-se um estudo de caso-controle com teste negativo pareado para estimar a eficácia de uma vacina inativada, CoronaVac, em profissionais de saúde (PS) em Manaus, onde P.1 foi responsável por 75% das amostras genotipadas de SARS-CoV-2 no pico de sua epidemia. As informações dos bancos de dados de vigilância eletrônica foram usadas para selecionar casos de infecção por SARS-CoV-2 confirmados por RT-PCR e controles de teste negativo pareados de 19 de janeiro de 2021 a 25 de março de 2021. Usamos regressão logística condicional para estimar a eficácia na redução as chances de resultados primários e secundários de, respectivamente, infecção sintomática e qualquer infecção por SARS-CoV-2.

 Entre 53.176 HCWs, 46.884 (88%) receberam pelo menos uma dose de CoronaVac e 2.656 (5%) foram submetidos ao teste de RT-PCR de 19 de janeiro de 2021 a 25 de março de 2021. De 2.797 testes de RT-PCR, 776 (28% ) foram positivos. 393 e 135 pares de caso-controle com e sem, respectivamente, doença sintomática foram selecionados para as análises combinadas. A vacinação com pelo menos uma dose foi associada a uma redução de 0,50 vezes (eficácia da vacina ajustada, 49,6%; IC 95%, 11,3 - 71,4) nas chances de infecção sintomática por SARS-CoV-2 durante o período de 14 dias ou mais após receber a primeira dose. A eficácia estimada da vacina de pelo menos uma dose contra qualquer infecção por SARS-CoV-2 foi de 35,1% (IC de 95%, -6,6 - 60,5) no mesmo período.

A administração de pelo menos uma dose de CoronaVac mostrou eficácia contra a infecção sintomática por SARS-CoV-2 no cenário de transmissão epidêmica P.1, ressaltando a necessidade de aumentar os esforços de vacinação em resposta à disseminação dessa variante no Brasil e no mundo.

(Preprint) Vacina Pfizer menos eficaz para SARS-CoV-2 variante B.1.351

Leia, na íntegra, aqui.

A variante do coronavírus descoberta na África do Sul pode escapar da proteção fornecida pela vacina COVID-19 da Pfizer / BioNTech até certo ponto, um estudo de dados do mundo real em Israel descobriu, embora sua prevalência no país seja muito baixa e a a pesquisa não foi revisada por pares. O estudo, divulgado no sábado, comparou quase 400 pessoas com teste positivo para COVID-19, 14 dias ou mais após terem recebido uma ou duas doses da vacina, contra o mesmo número de pacientes não vacinados com a doença. Ele combinou idade e sexo, entre outras características.

A variante sul-africana, B.1.351, foi considerada responsável por cerca de 1% de todos os casos COVID-19 em todas as pessoas estudadas, de acordo com o estudo da Universidade de Tel Aviv e o maior provedor de saúde de Israel, Clalit. Mas entre os pacientes que receberam duas doses da vacina, a taxa de prevalência da variante foi oito vezes maior do que aqueles não vacinados - 5,4% versus 0,7%. Isso sugere que a vacina é menos eficaz contra a variante sul-africana, em comparação com o coronavírus original e uma variante identificada pela primeira vez na Grã-Bretanha que passou a compreender quase todos os casos de COVID-19 em Israel, disseram os pesquisadores.

“Encontramos uma taxa desproporcionalmente maior da variante sul-africana entre as pessoas vacinadas com uma segunda dose, em comparação com o grupo não vacinado. Isso significa que a variante sul-africana é capaz, até certo ponto, de romper a proteção da vacina ”, disse Adi Stern, da Universidade de Tel Aviv.

Os pesquisadores advertiram, porém, que o estudo teve apenas uma amostra pequena de pessoas infectadas com a variante sul-africana por causa de sua raridade em Israel.

Mortes de profissionais da saúde por Covid-19 despencam após vacina, indicam estudos

Leia mais aqui. 

Levantamentos preliminares de casos e mortes por Covid-19 entre profissionais de saúde mostram que a vacinação da categoria, iniciada em janeiro deste ano, começa a surtir efeito. Não há estudos conduzidos apenas com imunizados, e os parâmetros de avaliação divergem entre diferentes instituições, mas o avanço da imunização traz alento e esperança a quem trabalha na linha de frente do combate à doença.

Pronação: poderosa técnica que se tornou ainda mais conhecida após a pandemia da Covid-19

Leia mais aqui.

"Pronar seria posicionar o paciente no leito com a barriga voltada para baixo. Há anos utilizamos essa técnica em paciente com oxigenação muito baixa e já em uso de ventilador mecânico com todos os parâmetros otimizados - existe uma conta que fazemos a partir da gasometria e da quantidade de oxigênio que estamos oferecendo ao paciente e, a partir deste cálculo, indicamos a mudança de posição no leito", explica a médica intensivista do Hospital São José de Criciúma, Dra. Marina Casagrande do Canto.

De acordo com a especialista, a técnica auxilia no tratamento daqueles que estão internados devido ao coronavírus. Os pacientes com pneumonia viral por Covid-19 fazem uma resposta inflamatória muito grande no pulmão, sobrando poucas áreas viáveis para que o órgão exerça sua função de captar o oxigênio e mandar para o nosso corpo. Em um paciente deitado de barriga para cima temos o coração e as estruturas em sua volta, pesando na parte posterior do pulmão, ajudando a fechar áreas pulmonares. Quando virados, estas áreas, que antes estavam fechadas, conseguem abrir e ajudar na oxigenação do paciente. 

Artigos confirmam ligação de trombocitopenia rara à vacina AstraZeneca

Leia, na íntegra, aqui. 

Vários casos de eventos trombóticos incomuns e trombocitopenia se desenvolveram após a vacinação com o vetor adenoviral recombinante que codifica o antígeno da proteína spike da síndrome respiratória aguda grave coronavírus 2 (SARS-CoV-2) (ChAdOx1 nCov-19, AstraZeneca). Mais dados eram necessários sobre a patogênese desse distúrbio de coagulação incomum. Dos 11 pacientes originais, 9 eram mulheres, com idade mediana de 36 anos (variação de 22 a 49). Com início 5 a 16 dias após a vacinação, os pacientes apresentaram um ou mais eventos trombóticos, com exceção de 1 paciente, que apresentou hemorragia intracraniana fatal. Dos pacientes com um ou mais eventos trombóticos, 9 tiveram trombose venosa cerebral, 3 tiveram trombose da veia esplâncnica, 3 tiveram embolia pulmonar e 4 tiveram outras tromboses; desses pacientes, 6 morreram. 

Cinco pacientes apresentaram coagulação intravascular disseminada. Nenhum dos pacientes recebeu heparina antes do início dos sintomas. Todos os 28 pacientes com teste positivo para anticorpos contra PF4-heparina testaram positivo no ensaio de ativação plaquetária na presença de PF4 independente da heparina. A ativação plaquetária foi inibida por altos níveis de heparina, Anticorpo monoclonal bloqueador do receptor Fc e imunoglobulina (10 mg por mililitro). Estudos adicionais com PF4 ou PF4 - anticorpos purificados por afinidade com heparina em 2 pacientes confirmaram a ativação plaquetária dependente de PF4. A vacinação com ChAdOx1 nCov-19 pode resultar no raro desenvolvimento de trombocitopenia trombótica imune mediada por anticorpos ativadores de plaquetas contra PF4, que clinicamente mimetiza a trombocitopenia autoimune induzida por heparina.

Japão faz 1º transplante de pulmão de doador vivo para paciente com Covid-19

Leia mais aqui. 

O Japão realizou o primeiro transplante de pulmão do mundo em que o partes do órgão foram doadas por pessoas vivas a um paciente recuperado da Covid-19. O procedimento de 11 horas de duração foi realizado nesta quarta-feira, 7, por uma equipe médica composta por 30 pessoas no Hospital Universitário de Kyoto. Uma mulher que teve os pulmões gravemente danificados pelo vírus recebeu tecidos pulmonares doados pelo seu marido e filho. “Demonstramos que agora temos a opção de transplantes de pulmão de doadores vivos”, disse nesta quinta-feira, 8, o cirurgião torácico que conduziu a operação, Hiroshi Date.

A paciente, identificada apenas como uma mulher da região oeste de Kansai, contraiu a doença no final do ano passado e passou meses em uma máquina de suporte de vida que funcionava como um pulmão artificial, de acordo com o Hospital da Universidade de Kyoto. A Covid-19 teria danificado tanto os pulmões que eles não funcionavam mais e a paciente precisava de um transplante para sobreviver. Foi então que o marido e o filho se ofereceram para doar partes de seus próprios órgãos. Os dois estão em condições estáveis enquanto a mulher continua em cuidados intensivos. A expectativa é que ela receba alta hospitalar em cerca de dois meses. Em março, os Estados Unidos já tinham realizado um transplante de pulmão em que o receptor era um homem de 60 anos que tinha tido os órgãos danificados pela Covid-19 e o doador, uma pessoa que tinha contraído a doença, se recuperado, mas morrido em seguida por outras causas.

Dieta cetogênica reduz os sintomas de abstinência de álcool em humanos e a ingestão de álcool em roedores

Leia, na íntegra, aqui. 

Indivíduos com transtorno de uso de álcool (AUD) apresentam metabolismo cerebral elevado de acetato em detrimento da glicose. A hipótese é que uma mudança nos substratos de energia durante a abstinência pode contribuir para a gravidade da abstinência e neurotoxicidade em AUD e que uma dieta cetogênica (KD) pode mitigar esses efeitos. Descobriu-se que os pacientes internados com AUD randomizados para receber KD ( n = 19) necessitaram de menos benzodiazepínicos durante a primeira semana de desintoxicação, em comparação com aqueles que receberam uma dieta americana padrão.

Ao longo de um tratamento de 3 semanas, KD em comparação com SA mostrou menor "desejo" e aumento da reatividade do córtex cingulado anterior dorsal (dACC) a estímulos de álcool e bioenergética dACC alterada (isto é, cetonas e glutamato elevados e marcadores neuroinflamatórios mais baixos). Em um modelo de rato de dependência de álcool, uma história de KD reduziu o consumo de álcool. Fornecemos evidências clínicas e pré-clínicas dos efeitos benéficos da KD no controle da abstinência de álcool e na redução do consumo de álcool.

Um guia para o Plano S: a iniciativa de acesso aberto sacudindo a publicação científica

Leia mais aqui.

Em 2018, um grupo influente de financiadores de pesquisas anunciou uma promessa ousada: os cientistas que eles financiam deveriam publicar seus artigos revisados ​​por pares fora do acesso pago por periódicos. A iniciativa, chamada de Plano S, causou um alvoroço imediato sobre seu objetivo de acabar com os modelos de assinatura de periódicos - o meio pelo qual muitas publicações acadêmicas financiaram sua existência. A data de início prevista para 2020 foi adiada e seus detalhes foram ajustados. Mas depois de muita discussão sobre políticas, o projeto começou formalmente em 2021, com 25 agências de financiamento implementando mandatos de acesso aberto (OA) semelhantes.

À medida que os primeiros artigos sob esses mandatos são publicados, os apoiadores do Plano S dizem que é o início de uma jornada em direção à ciência aberta. Mas a maioria dos financiadores de pesquisa ainda não se inscreveu, e as negociações sobre o plano produziram um cenário complexo de opções para evitar acessos pagos. Aqui está o que a iniciativa significa para cientistas e periódicos - e algumas das controvérsias que ocorrerão em 2021 e depois.

Hoje: Dia do Obstetra

A Obstetrícia é a especialidade médica responsável diretamente pelo acompanhamento e cuidado das gestantes ao longo da gravidez, durante o parto e pós-parto. São estes profissionais que estudarão, caso a caso, as necessidades para que a gestação corra tranquila e o parto seja bem-sucedido.

 

O que você achou desse episódio? Ajude-nos a fazer melhor. Pule para dentro da conversa e compartilhe conhecimento conosco!

alex landi | Tumblr | Greys anatomy couples, Greys anatomy facts, Greys  anatomy memes

Se você esteve conosco ao vivo, por favor, deixe os seus comentários abaixo!

Troca de Plantão

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você