[ editar artigo]

10 dicas para escrever cientificamente em inglês

10 dicas para escrever cientificamente em inglês

É inquestionável que o idioma científico do mundo é o inglês. Então, se você quer ser lido pela comunidade científica mundial, você deve apresentar seus achados científicos na língua mãe da ciência.

Por esse motivo trago o artigo escrito por Mariel Marlow, pesquisadora filiada do Global Health Equity Scholars Fellowship (consórcio da UC Berkeley, FIU, Stanford & Yale), que fez o seu fellow aqui no Brasil. O artigo foi publicado no Clinics (USP) e lá, ela discorre sobre o como escrever artigos científicos em inglês como se você fosse um nativo.

Ela tomou essa iniciativa por averiguar que os erros de tradução do português para o inglês são frequentes e se repetem por inúmeras vezes no mesmo artigo. O trabalho é estressante e cansativo. No artigo ela traz os 10 principais erros cometidos pelos brasileiros ao traduzir um paper do português para o inglês. Vale a pena ler. Esses conhecimentos podem poupar horas de revisão do seu artigo antes de encaminhá-lo ao Journal que escolheu.

10 dicas para escrever cientificamente em inglês, como um nativo.

  • Evite começar frases com a expressão "It is" - Apesar de correto gramaticalmente, iniciar uma frase com essa expressão demonstra falta de maturidade pois é considerado um inglês fraco e juvenil.
  • Portuguese: “É importante destacar os trabalhos mais recentes que…”

    Weak English: “It is important to highlight the most recent works that…”

    Strong English: “The most recent works that (…) are important to highlight.”

  • Aprenda a usar o "The"; tente tirá-lo do início da sentença e use-o quando for referir-se a objetos/eventos/pessoas.
  • Apenas deixe sujeitos em caixa alta quando se remeterem ao nome formal de um lugar/instituição/título.
  • Remova o "that" Remove “that”!
  • Português: “Os resultados mostraram que muitas pessoas gostam de frutas.”

    Weak English: “The results showed that many people like fruits.”

    Strong English: “The results showed many people like fruits.”

  • Atente-se aos adjetivos, incluindo os adjetivos possessivos, na frente de nomes quando possível. Você pode precisar remover o 's de um adjetivo no plural.
  • Essa dica é extremamente importante e eu prefiro que vocês leiam o artigo original para entenderem melhor.

  • Em inglês não há problema em repetir o sujeito. A repetição do sujeito é mal vista no português, entretanto é desejável na escrita em inglês.
  • Tente utilizar o menos possível a primeira pessoa ("I" e "We") e coloque na voz passiva.
  • Nos seu gráficos, os títulos devem sempre estar no singular, assim como os dados incluídos nos gráficos.
  • Frases preposicionais, transições e adverbos, no começo das sentenças, deve ser seguido de vírgula.
  • Se o artigo for mal escrito em português então ele será mal escrito em inglês.
  • Logicamente o que você leu aqui não demonstra todas as nuances do artigo escrito pela Dra Mariel Marlow. Por isso não deixe de ler o artigo na íntegra publicado na Clinics e disponível gratuitamente online. Clique AQUI para acessá-lo.

    Deixe seu comentário logo abaixo

    Academia Médica
    Fernando Carbonieri
    Fernando Carbonieri Seguir

    Empreendedor serial em saúde com cases de transformação digital reais que já impactam milhões de vidas. Crio uma arena de discussões para que o conhecimento seja compartilhado e construído para que a saúde e a medicina evoluam!

    Ler conteúdo completo
    Indicados para você