{{ warning.message }} Ver detalhes
A banalização dos antibióticos e a origem das superbactérias
[editar artigo]

A banalização dos antibióticos e a origem das superbactérias

por Rafael Gaspar de Almeida Zell - 6º período Medicina - CESUPA - Belém do Pará

Na sociedade atual é comum idealizar os antibióticos como os "medicamentos ideais", de primeira escolha, os quais tratam todas as doenças. A comunidade não-científica faz uso dessas medicações muitas vezes sem orientação médica, durante tempo inadequado e para patologias que sequer reagem a estes fármacos. Tal realidade tem colaborado para a geração de um dos grandes problemas do século XXI: as superbactérias.

Antibióticos são medicamentos cujo princípio ativo é combater a ação de bactérias no organismo, podendo ter ação bactericida (morte das bactérias) ou bacteriostática (inibição do síntese proteica das mesmas). São divididos em várias classes dependendo de sua composição química, a exemplo das penicilinas (penicilina G, amoxicilina, oxacilina,etc) e cefalosporinas (cefalexina, cefepima, etc) que são classificadas como antibióticos beta-lactâmicos pela presença de um anel beta-lactâmico em sua composição, e de acordo com seu mecanismo de ação em quinolonas, macrolídeos, sulfonamidas, dentre outras.

Sua ação, como em qualquer fármaco, depende de fatores como: via de administração, absorção, distribuição, metabolização e excreção do medicamento. Desta forma, deve-se prescrever um antibiótico a um paciente baseado em seu quadro clínico para administrar a posologia ideal para o caso, o que evidencia a importância da orientação do médico para o uso de antibióticos. 

Todavia, a utilização inadequada deste fármaco é uma realidade muito frequente na sociedade, e isso se deve a inúmeros fatores, tais como: desconhecimento dos médicos sobre os antibióticos ideais, desconhecimento dos médicos sobre posologias, automedicação por parte dos pacientes, interrupção do tratamento, tomar as doses nos horários errados, etc. Além destes, é rotineiro ver pessoas compartilhando antibióticos com outras sem orientação profissional porque "deram certo com elas" na tentativa de ajudar o próximo. Até mesmo a indústria alimentícia tem utilizado antibióticos no crescimento de suínos e bovinos, os quais podem ser transmitidos para os humanos durante a ingestão ocasionando resistência.

A utilização inadequada de antibióticos seleciona bactérias resistentes a a estes medicamentos, as quais começam a se multiplicar não sendo possível o tratamento com o antibiótico original utilizado, sendo necessário a utilização de uma alternativa. Tal resistência pode ser ainda transmitida de uma bactéria para outra, ganhando um amplo espectro, sem tratamento, e criando as temidas superbactérias, para as quais ainda se investigam fármacos capazes de combater.

Mediante esta situação conclui-se a importância de maior abordagem deste tema nas mídias, em palestras, congressos e faculdades, além de rodas de conversas e campanhas de conscientização para melhor orientação dos pacientes, afinal, a prevenção é a essência da medicina.

Nome: Rafael Gaspar de Almeida Zell
Curso: Medicina
Semestre: 6°
Faculdade: Centro Universitário do Pará (CESUPA)
Cidade: Belém-PA

Associação Brasileira de Ligas Acadêmicas de Medicina ABLAM

Associação Brasileira de Ligas Acadêmicas de Medicina ABLAM

Associação Brasileira de Ligas Acadêmicas de Medicina (ABLAM)

Fique informado sobre as novidades da comunidade
Cadastre-se aqui
Gostou desse artigo? Escreva o seu também!
Novo post

Artigos relacionados