[ editar artigo]

Acometimento neurológico associado à COVID-19

Acometimento neurológico associado à  COVID-19

A COVID-19 é uma doença infecciosa causada pelo coronavírus, o Sars-CoV-2, com partículas compostas pelo RNA viral com proteína nuclear envolvido por glicoproteína S e dímeros Hemaglutinina esterase, a fisiopatologia não é totalmente esclarecida, mas confirma-se que o vírus se liga ao receptor da ECA (enzima conversora de angiotensina-2), causando uma desregulação nesta e por fim um acúmulo de angiotensina II plasmática, uma das principais responsáveis pelos sintomas respiratórios e miocardite fulminante, comuns no quadro clínico da doença. 

Inicialmente acreditava-se que o SARS-CoV-2 afetava o sistema respiratório com maior intensidade, posteriormente comprovou-se que pode acometer todo o organismo causando os mais variados sintomas, inclusive sintomas de comprometimento neurológico.

Como o COVID-19 afeta o sistema nervoso?

Sabe-se que o vírus leva o paciente a um estado de hipercoagulabilidade, caracterizado pelo aumento significativo dos níveis de fibrinogênio e dímero-D, além de elevar níveis de fator VIII e de Von Willebrand, o que pode ser um dos principais responsáveis pela associação de COVID-19 com presença de trombos e complicação como AVC isquêmico. 

Um dos outros sintomas bastante discutidos relacionados à COVID-19 é a anosmia (perda total do olfato), que ainda não há consenso sobre sua fisiopatogenia, mas acredita-se que o vírus afeta os receptores de células envoltas aos neurônios olfatórios, o que acarreta em um edema local e desencadeia perda de olfato. 

Leia também: COVID-19 reduz cérebro no giro parahipocampal — área que afeta memória, além do córtex olfativo primário

Uma resposta imune exagerada gera uma neuroinflamação devido  às citocinas e alterações da barreira hematoencefálica - responsável por dificultar passagem de substâncias do sangue para SNC - assim, causando complicações como meningite, encefalite viral e encefalopatia necrosante hemorrágica. 

Principais complicações neurológicas e neuropsiquiátricos

  • Hemorragia intracerebral;
  • Hemorragia subaracnoidea; 
  • Vasculite cerebral; 
  • Convulsões;
  • Psicose;
  • Síndromes Neurocognitivas; 
  • Alteração de personalidade;
  • Transtornos de ansiedade;
  • Depressão; 
  • Síndrome de Guillain Barré;
  • Neuritebraquial;
  • Miopatias; 
  • Catatonia;
  • Trombose do seio venoso.

Qual o grupo mais suscetível aos danos neurológicos causados pelo SARS-CoV-2?

Os principais fatores de risco para acometimento neurológico por COVID-19 são principalmente aqueles pacientes com doenças prévias e crônicas, como hipertensão arterial sistêmica, diabetes, miocardiopatias, DPOC, imunossupressão, doença renal crônica e pacientes transplantados. 

Alguns outros fatores que devem considerados: gravidez, idade acima de 65 anos, obesidade, transtornos de coagulabilidade e aqueles em situações de vulnerabilidade (moradores de rua, população indígena e carcerária). 

Saiba mais: COVID-19: A importância de se atentar aos fatores de risco

Medidas de prevenção

A pandemia não acabou e as medidas preventivas continuam validas. Listamos as principais: 

  • Seguir as instruções e informações apresentadas por cada área; 
  • Manter distância de pelo menos 1 metro;
  • Evitar contato físico;
  • Usar máscaras, de preferência cirúrgica e N95;
  • Evitar locais fechados, com pouca ventilação e contato prolongado; 
  • Não tocar em superfícies públicas e tocar em boca, nariz e olhos;
  • Sempre lavar as mãos e passar álcool gel; 
  • Vacinar-se assim que possível, independente da vacina! 

Referências

1.RAZAI, M.S. et al. Coronavirus disease 2019 (covid-19): a guide for UK GPs. British Medical Association. Março, 2020. Disponível em:< https://www.bmj.com/content/368/bmj.m800>. Acesso em 12 de março de 2022.

2.NATH, A. Nervous system consequences of COVID-19. National Institutes of Health (NIH). Janeiro, 2022. Disponível em: < https://www.nih.gov/news-events/news-releases/researchers-highlight-covid-19-neurological-symptoms-need-rigorous-studies>. Acesso em 12 de março de 2022.

3.JIANG. K. How COVID-19 Causes loss of smell. Harvard Medical School. Julho, 2020. Disponível em: < https://hms.harvard.edu/news/how-covid-19-causes-loss-smell> Acesso em 12 de março de 2022.

4.MURTA, M.D.S. Hipercoagulabilidade na COVID-19: Prevenção, Diagnóstico e Tratamento. Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia do Estado do Rio de Janeiro. Janeiro, 2020. Disponível em: < http://www.sopterj.com.br/wp-content/themes/_sopterj_redesign_2017/_revista/2020/artigo-3-Hipercoagulabilidade%20na%20COVID-19%20Preven%C3%A7%C3%A3o,%20Diagn%C3%B3stico%20e%20Tratamento.pdf>. Acesso em 12 de março de 2022.

5. GAMA, B.B.D. et al. Pandemia do covid-19: acometimento neurológico e impactos cerebrais. Brazilian Journal of health review. Novembro, 2020. Disponível em: < https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/21815/17401> Acesso em 12 de março de 2022.

6. WORLD HEALTH ORGANIZATION. Coronavirus disease (COVID-19): How is it transmitted? Disponível em: < https://www.who.int/news-room/questions-and-answers/item/coronavirus-disease-covid-19-how-is-it-transmitted> Acesso em 12 de março de 2022.

 

Academia Médica
Maria Paula Idelbrando Vicari
Maria Paula Idelbrando Vicari Seguir

Acadêmica de Medicina do Centro Universitário de Pato Branco. Diretora de Educação Médica da IFMSA Brazil UNIDEP. Diretora do departamento científico do Centro Acadêmico de Medicina XXV de Setembro. Membro da LAHCS-PUC.

Ler conteúdo completo
Indicados para você