{{ warning.message }} Ver detalhes
Post
Link
Pergunta
Especialidades Médicas - Cardiologia
[editar artigo]

Especialidades Médicas - Cardiologia

Especialidades Médicas - Cardiologia

A cardiologia é a especialidade responsável por estudar, diagnosticar e tratar as doenças relacionadas ao coração e grandes vasos.

Dentre as mais tradicionais e conhecidas especialidades médicas, a cardiologia também vem cada vez mais ganhando importância no cenário médico devido ao crescente aumento das doenças cardiovasculares, sendo atualmente a principal causa de óbito no mundo inteiro.

Não deixe de conferir a Agenda dos Concursos de Residência Médica 2016

Com o grande volume de conhecimento acumulado e que vem sendo produzido em cardiologia, também tem se verificado cada vez mais a segmentação e o aprofundamento da especialização em sub especialidades, o que tem refletido no tempo cada vez maior de formação do cardiologista.

A residência em cardiologia também tem como pré-requisito os dois anos prévios de residência em clínica médica. E tem como duração mais dois anos, com carga horária mínima de 60 horas semanais. Sendo que 10% a 20% dessa carga horária devem ser destinados à atividades teóricas (como aulas, seminários, reuniões científicas e discussões de artigos).

De acordo com a Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), os requisitos mínimos para o programa de residência em cardiologia são:

Unidades com instalações e equipamentos em: eletrocardiografia, ecocardiografia, métodos de medicina nuclear em cardiologia, hemodinâmica diagnóstica e terapêutica, cicloergometria, marca-passo e unidade coronariana.

Estágios obrigatórios: pós-operatório de Cirurgia Cardiovascular e Cardiologia Pediátrica;

Estágios opcionais: Pneumologia, Nefrologia, Fisiologia Cardiovascular, ou outros a critério da Instituição;

Com carga horária dividida em:

Unidade de internação: mínimo de 30% da carga horária anual;

Ambulatório: mínimo de 20% da carga horária anual;

Urgência e emergência: mínimo de 15% da carga horária anual;

Métodos diagnósticos não invasivos e hemodinâmica: mínimo de 5% da carga horária anual;

Unidade de terapia intensiva (incluindo unidade coronariana): mínimo de 10% da carga horária anual;

A cardiologia também constitui um campo muito amplo de atuação, sendo várias as áreas disponíveis para seguir e se aprofundar. Porém, ao mesmo tempo em que há a possibilidade de se aprofundar em uma área de conhecimento, ao optar por fazer uma sub especialidade você também deve levar em conta o tempo e o investimento necessário para isso, já que são 6 anos de curso, 2 anos de residência em clínica médica, 2 anos de residência em cardiologia e mais 1 a 2 anos para a sub especialidade escolhida.

Sobre as áreas de atuação, podemos dividi-las em: clínica, diagnóstica e intervencionista.

Dentro da área clínica, o cardiologista pode atuar na prevenção, tratamento clínico e reabilitação.

Atuação clínica do cardiologista: dislipidemias, miocardiopatias, cardiopatias congênitas, cardiopatia na mulher, hipertensão arterial, valvulopatias, coronariopatias, cardiogeriatria, transplante, cardiologia intensiva, unidade coronariana, unidades especializadas em pós-operatório de cirurgia cardíaca e reabilitação.

Os profissionais que trabalham com reabilitação, geralmente atuam tanto na parte clínica quanto na área de exames de diagnósticos (como ergometria e ergoespirometria).

Atuação diagnóstica do cardiologista: métodos gráficos (como o eletrocardiograma e o holter), exames de imagem (como ecocardiografia, cintilografia miocárdica, tomografia e ressonância magnética), reabilitação.

Nessa área de atuação, o cardiologista é responsável por realizar, interpretar, avaliar e emitir os laudos do exame realizado.

Por fim, ainda há a possibilidade de se sub especializar na realização de procedimentos minimamente invasivos, é área de atuação intervencionista:

Atuação intervencionista: cardiologia intervencionista, estimulação cardíaca e eletrofisiologia invasiva.

Na cardiologia intervencionista, através de cateteres endovasculares, o cardiologista consegue realizar estudos do coração, coronárias e grandes vasos, ou ainda fazer o tratamento de placas de ateroma, por exemplo. O surgimento do estudo eletrofisiológico revolucionou o diagnóstico e tratamento das arritmias e tem sido muito importante no entendimento do mecanismo e tratamento dessas patologias.

Livros que podem ser de seu interesse:

Manual De Cardiologia Manual Do Residente Da Universidade Federal De São Paulo UNIFESP 

Tratado de Cardiologia da SOCESP (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo)

Brunwald Tratado de Cardiologia

Tratado de Cardiologia - Eric Topol (2 volumes)

ACLS - Suporte Avançado à Vida em Cardiologia

Fontes: CNRM

Livro: Como Escolher a sua Residência Médica

Fique informado sobre as novidades da comunidade
Cadastre-se aqui
Gostou desse artigo? Escreva o seu também!
Nova publicação

Artigos relacionados

Continue lendo!

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso
aos conteúdos exclusivos.

Entrar